O homem que limpou a estátua do poeta

RIO — Ao ouvir no rádio a notícia sobre a pichação da estátua de Carlos Drummond de Andrade, ocorrida na madrugada de Natal, o comerciante Herbert Parente não pensou duas vezes. Pegou thinner — espécie de solvente —, estopa, flanela e pincel e caminhou pelas ruas de Copacabana em direção ao monumento, no posto 6 da praia, na Zona Sul do Rio. Os produtos já estavam à mão, já que Parente é dono de uma loja de material de construção. O caminho era razoavelmente curto, pois ele mora na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. As pernas, apesar dos 64 anos de idade do dono, seguiam ligeiras, já previamente embaladas pelas aulas de dança frequentadas às terças e às quintas-feiras. E o destino? Aquele poeta, que, no passado, foi cliente de sua loja, ainda no antigo endereço, também no bairro.

— Drummond comprava comigo. Eu respeitava porque era Drummond, não batia papo com ele, como eu fazia com Mário Lago — afirmou o comerciante. — Também levei boa vontade para a limpeza, pois, sem isso, não acontece nada. Cheguei lá e havia pessoas tirando fotos com a estátua pichada. Pedi licença e comecei a limpá-la. Não deu muito tempo, chegou a imprensa. Eu faria isso com qualquer um, se fosse Caymmi também. Na verdade, no final, queria era dar um beijo na testa dele, ficou tão bonito! Limpei até os pés, que estavam com areia. Mas acabei não fazendo isso, pois não queria aparecer.

2013122678077

Não adiantou. Já no dia seguinte, em sua loja, na esquina das ruas Bulhões de Carvalho e Piragibe Frota Aguiar, os fregueses passavam para cumprimentar Herbert, que até posou para foto com uma antiga cliente. As paredes do local, impecáveis, refletem o cuidado do proprietário, que, com as próprias mãos, faz a limpeza da fachada — que, segundo ele, é pichada uma vez ao mês. A estátua de Drummond, portanto, não foi a primeira a receber os cuidados de Herbert Parente.

Comprometido com o trabalho, ele ainda recusou um convite para tirar uma foto ao lado da imagem do poeta, dizendo que não poderia se afastar da loja durante o expediente.

— Quando fui em direção à estátua, não contei para a minha mulher. Se falasse em casa que ia fazer isso, iam falar “você vai pagar mico”. Mas tenho um carinho pela obra dele, e o povo gosta de tirar foto com a estátua. O pessoal faz fila. É um convite para uma foto ele ali, sentado no banco. Eu mesmo tenho várias fotos com a estátua — admite Parente. 

— Ele sempre ajuda, mas nunca conta para ninguém. Isso é dele mesmo. Eu achei uma atitude muito bonita. Nós sempre passamos ali, chamamos a estátua de “Drummondzinho” — afirma a dona de casa Maria Fernanda Parente, mulher de Herbert. — Ele vai ser conhecido como o homem que limpou a estátua de Drummond, mas, em casa, a última palavra é sempre dele: “sim, senhora”.

O comerciante diz não ter nem pensado em esperar pela limpeza da Secretaria municipal de Conservação. Pegou os produtos, colocou numa bolsa e caminhou em direção à praia. A estopa, na verdade, foi empréstimo do porteiro. Guardas municipais que estavam no local, segundo ele, perguntaram se o comerciante fazia parte de alguma organização não governamental.

Piauiense de Teresina, Parente é morador do Rio desde os 14 anos. E se diz um carioca nato. Casado com uma mineira, também amante da Cidade Maravilhosa, o comerciante segue uma herança familiar. A loja era do pai e, desde 1969, é localizada no posto 6. Formado em administração, ele hoje trabalha com um dos dez irmãos na loja, que recebe cerca de cem fregueses diariamente. O mais velho dos irmãos, Parente diz que trabalha desde os 8 anos de idade, tem “tradição de roça” e, já aos 13 anos, cuidava sozinho de um curral. Parente tem três filhas, já encaminhadas. Uma delas, que mora nos Estados Unidos, chegou a ver o pai pela TV Globo Internacional. (De O Globo) 

Um presidente diferente

mujica4

O presidente uruguaio, José Mujica, compareceu à cerimônia de posse de seu novo ministro das finanças, Mario Bergara, nesta quinta-feira (26) usando sandálias, destoando dos companheiros de governo que vestiam terno e gravata. Conhecido por seu austero estilo de vida, Mujica doa 87% de seu salário a programas sociais, especialmente o dedicado à construção de casas para famílias de baixa renda.

O ex-guerrilheiro de 78 anos, impulsionador de uma lei que legalizou neste mês o mercado de maconha no país, vive com a esposa, a ex-guerrilheira e senadora Lucia Topolansky, em uma pequena chácara nos arredores de Montevidéu, onde cultiva flores e hortaliças. (Do G1) 

Cabra bom.

Para reflexão…

O Centro de Pesquisas Econômicas e de Negócios da Inglaterra (Cebr, na sigla em inglês) divulgou um estudo sobre a evolução da atividade econômica na União Europeia e fez uma previsão surpreendente. De acordo com o prognóstico do Cebr, a Grã Bretanha vai superar as economias de França e Alemanha até 2030 e se transformar no maior Produto Interno Bruto (PIB) do bloco.

O principal responsável pelo crescimento seria o impulso gerado pela imigração, enquanto Alemanha sofre com baixo crescimento populacional e se esforça para salvar o euro. “Se o euro caísse, os prognósticos para a Alemanha seriam muito melhores”, afirma o documento. Para o Cebr, uma Alemanha baseada no marco alemão não seria superada pela Grã Bretanha em muitos anos, “talvez nunca”.

O Cebr reitera, entretanto, que nações em desenvolvimento como Brasil e Índia devem ultrapassar todas as nações europeias em breve.

E ainda há quem ache que o Brasil piorou…

A frase do dia

“Se a nossa equipe estivesse na Série B, iríamos jogar com maior orgulho para colocar o clube no patamar que merece, buscando títulos como fizemos nos últimos três anos, quando conquistamos dois títulos. Infelizmente aconteceu um descuido de outra equipe, a lei foi cumprida e, portanto, não tem nada de anormal. A lei foi cumprida e isso que importa”.

De Fred, atacante do Fluminense, em tratamento no CT da Disneylândia. 

Lecheva comanda Independente no Parazão

O técnico Lecheva se apresenta hoje ao Independente Tucuruí, para iniciar o trabalho de preparação para o Campeonato Paraense. Ele confirmou ontem acerto financeiro com a diretoria do clube. Lecheva vai substituir a Samuel Cândido, que classificou o time na primeira fase do Parazão. Só após assumir a equipe é que o treinador vai definir as possíveis contratações. “Ainda não tenho noção de como está o Independente, mas a intenção é fazer uma boa campanha e montar um time forte”, disse ao DOL.
Depois de defender o Paissandu como jogador, Lecheva assumiu a direção técnica do time em várias ocasiões. A última delas foi em 2012, quando conseguiu o acesso à Série B e conquistou o título estadual de 2013. Deixou o comando do time depois de três rodadas da Série B e dirigiu a Tuna na primeira fase do Parazão. A Lusa foi rebaixada para a fase seletiva da competição e não disputará o campeonato de 2014.

Emoções de Roberto Carlos perdem audiência

anita2-300x224O especial de Roberto Carlos, exibido na noite de terça-feira (25) na Globo, comemorou 40 anos no ar com audiência em baixa.

O programa, que contou com as participações de Tatá Werneck, Annita, Tiago Abravanel, Lulu Santos e Erasmo Carlos, registrou média de 26 pontos no horário. Cada ponto equivale a 62 mil domicílios na Grande São Paulo.

A Globo manteve a liderança em ibope na faixa, mas em 2012, o programa do cantor alcançou média de 29 pontos. (Da Folha SP) 

O passado é uma parada…

1483388_10200314379981017_2057368315_n

Esquina da avenida Presidente Vargas, entre rua Aristides Lobo e Riachuelo, em 1910. Flagrante da ação de “turma de expurgo” dirigida por Maurício Abreu, da equipe de Oswaldo Cruz, que veio a Belém para erradicar a malária. “Os prédios, geminados, já com os telhados totalmente revestidos de pano americano. Falta ainda a vedação de portas e janelas com o mesmo tecido, para dar início à fumigação interna contra as formas aladas do mosquito vetor”, diz relato da época. (Via Hiroshi Bogéa, no Facebook)