Remo recebe reforço para a zaga

foto (2)

O zagueiro Max Lélis, reforço do Remo para a temporada 2014, desembarcou no começo da tarde desta quinta-feira em Belém. Recepcionado pelo presidente Zeca Pirão e diretores do clube, Max vai ser submetido a exames clínicos e depois assinará contrato. Seus últimos clubes foram o Betim-MG e o Guarani de Campinas. Antes de fechar com o Remo, o jogador chegou a ser sondado pelo Paissandu. (Foto: GIUSEPPE TOMMASO) 

Pelé será obrigado a pagar pensão aos netos

Da coluna de Mônica Bergamo (no DIÁRIO)

Dois netos de Pelé conseguiram, na Justiça, obrigá-lo a pagar pensão de sete salários mínimos para cada um (ou R$ 4.746). Eles são filhos de Sandra Arantes do Nascimento Felinto, que travou batalha judicial para ser reconhecida pelo ex-jogador. Ela morreu em 2006 e o pai dos garotos alega não ter condições, sozinho, de prover o sustento das crianças.

COMO TODOS
Os advogados disseram que os netos não conseguiam, sem a ajuda, comprar “uma roupa melhor”, morar em casa “confortável”, ter alimentação “adequada” nem viajar, ir a um clube e ter médicos e dentistas razoáveis. Ao apoiar o pleito, os desembargadores consideraram que os jovens “passam privações não suportadas pelos outros netos” de Pelé. A assessoria do ex-jogador afirma que ele não pretende se manifestar.

CASTELO
O caso de Pelé foi analisado por três desembargadores. Um deles, num voto divergente, e derrotado, considerou que o dinheiro pedido pelos netos não se destinará à subsistência, mas, sim, à melhoria de suas “condições sociais”. Frisou a insistência deles em obter ajuda para “conhecer a Disney”.

STJD julga recurso do Papão para reduzir pena

PSCXAVAI confusao-Mario Quadros (13)

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julga, nesta quinta-feira, recurso do Paissandu pedindo a redução da pena aplicada pela 3ª Comissão Disciplinar do órgão pelos incidentes registrados no jogo contra o Avaí-SC, na Curuzu, valendo pela 31ª rodada da Série B. O Papão foi punido com a perda do mando de seis jogos em competições nacionais e mais R$ 80 mil de multa pecuniária. Ocorre que a procuradoria do STJD achou a pena branda para a gravidade do caso e, por intermédio do procurador Rafael Fioravante Vanvine, pediu que seja mais rígida, com o aumento da perda do mando de campo.

O recurso bicolor será defendido pelo advogado  Osvaldo Sestário, contratado pelo clube no Rio. Ele terá o auxílio do diretor jurídico do Papão, advogado Alberto Maia. A pena aplicada ao Paissandu já deveria ter sido cumprida contra o Bragantino-SP na rodada final da Série, mas a CBF manteve a partida para o Mangueirão. Caso a punição seja mantida, o clube terá que jogar fora de Belém nas seis primeiras rodadas da Série C 2014. (Foto: MÁRIO QUADROS/Arquivo Bola)

Cartola rondoniense ganha mimo da CBF

Da Folha de SP

Heitor Costa, presidente da Federação de Futebol de Rondônia, ganhou um agrado da CBF. O cartola vai ao Marrocos acompanhar o Mundial de Clubes protagonizado por Atlético-MG e Bayern de Munique com a viagem paga pela confederação – o convite da entidade se estende à mulher e ao filho do dirigente. Costa é cotado para compor a chapa de Marco Polo Del Nero à presidência da CBF, no cargo de vice da Região Norte.

Internet explora foto de advogado ao lado de Fred

Fred

Começou a circular em redes sociais uma foto em que o advogado Osvaldo Sestário, pivô da polêmica envolvendo a escalação do jogador Héverton, pela Portuguesa, está ao lado do atacante Fred, do Fluminense. A esposa do advogado, que aparece na foto com uma camisa do Flu, é tricolor. A fotografia dá a impressão de ter sido tirada no STJD, provavelmente em algum julgamento no qual o atacante tricolor tenha participado. Em julho, o centroavante foi aos tribunais e condenado a quatro partidas após agredir o zagueiro vascaíno Jomar. Dois dias antes do julgamento de Héverton, Sestário havia defendido Felipe, meia do Fluminense. No total, participou da defesa de 29 clubes em 2013.

A Lusa corre o risco de perder quatro pontos por ter escalado Héverton, que estava suspenso e não poderia ter entrado em campo na última rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Grêmio. A diretoria do clube paulista diz que não foi informada da punição, tendo sido representada no julgamento da ultima sexta-feira por Sestário. O advogado, por sua vez, afirma que avisou, por telefone, que Héverton tinha sido suspenso por dois jogos e não poderia entrar em campo. Na segunda-feira, o caso será julgado. Se a Portuguesa perder os pontos, será rebaixada e o Fluminense escapará da queda. (Do Blog de Meio de Campo)