Futebol sem lei e sem alma

Por Gerson Nogueira

A queda-de-braço entre a CBF e a Federação Espanhola nem chegou a se consumar, apenas foi esboçado. Felipão sacou mais rápido que Cisco Kid e convocou Diego Costa para os próximos do escrete canarinho. Com isso, o técnico deixa claro que tem dois jogadores (o outro é Júlio César) definidos para a Seleção que vai tentar o hexa mundial no ano que vem. O jogador estava na alça de mira de Vicente Del Bosque para reforçar a Fúria, principalmente depois do excepcional rendimento mostrado nas últimas rodadas do certame espanhol.

É improvável que o técnico brasileiro seja fã do futebol de Costa e que tivesse de fato a intenção de convocá-lo para disputar a Copa do Mundo. Concordo com os que enxergam no gesto de Felipão apenas a malandra providência de evitar que um renegado pelo Brasil venha a brilhar pela atual campeã do mundo. Seguro morreu de velho e o gaúcho não é de brincar com esses riscos.

bol_dom_271013_15.psAté as pedras sabem que Felipão tem seus preferidos para a linha ofensiva. Neymar, Jô, Fred, Hulk. Pato foi sacado antes mesmo de bater aquele bisonho pênalti na Copa do Brasil. Leandro Damião corre muito por fora. E agora ressurge o sergipano Diego Costa, que já foi convocado antes, mas não marcou posição. Não se sabe que equação será montada para incluí-lo no grupo, mas é certo que vem para ficar. Até porque seria uma tremenda sujeira negá-lo à Espanha para depois descartá-lo antes da Copa.

Antes que alguém se assanhe a recriminar Costa por ameaçar trocar a pátria pela chance de disputar uma Copa, vale lembrar que isso não começou e nem vai acabar com ele. Aliás, o problema vem de longa data. Quando se trata de um boleiro apenas mediano ninguém liga a mínima. Foi o caso de Oliveira, que saiu do futebol maranhense direto para os campos da Bélgica. Ou o brucutu Pepe, do Real Madri e da seleção lusa.

Bronca feia é quando o cara é goleador e pode ameaçar a majestosa mãe gentil, como fez José João Altafini, que virou Mazzola ao trocar as cores nacionais pela Azzurra. Era um “oriundi” e, por isso, adquiriu sem atropelos a condição legal de defender a Itália na Copa do Mundo de 1962 mesmo já tendo atuado pelo Brasil quatro anos antes na Suécia.

Costa, ao contrário de Altafini, não tem qualquer vínculo com a cultura ou a história da Espanha. É um boleiro que, como tantos outros, desembarcou no país de Picasso e Buñuel com o fito exclusivo de ganhar dinheiro e subir na vida jogando bola.

Diante da chance de se consagrar ao lado de craques como Xavi e Iniesta não hesitou em topar o desafio de virar casaca encarando um torneio em seu próprio país natal. Há a possibilidade até de que venha recusar a convocação de Felipão e assumir de vez a condição de atleta “espanhol”.

É aí que entra o questionamento de fato relevante nessa história. O que leva dona Fifa a permitir essa promiscuidade de atletas buscando abrigo na seleção que possa pagar mais, golpeando o sentido de representação por mérito de cada país? A única resposta possível é o sentido comercial da coisa.

Sem falsos melindres patrióticos, caso seja mantida a permissividade na utilização de atletas naturalizados a Copa do Mundo perde sentido como competição entre nações. Desce ao nível de puro fricote o ritual de execução de hinos e a restrição a anúncios (ou qualquer acessório) nos uniformes de cada seleção. Seria mais honesto assumir logo a condição de uma Liga dos Campeões de dimensão planetária.

————————————————————————–

Direto do blog

“Os jogadores mais valorizados e seus empresários não têm mais interesse em nosso futebol. Preferem ficar pelo interior de São Paulo ou pelo Nordeste. Para cá só vêm atletas sem mercado lá fora (basta observar os reforços de Remo e Paissandu nos últimos anos para constatar isso – os jogadores de nome, todos improdutivos; os demais, muito fracos). Simplesmente viramos reféns da pobreza da região. Não temos cacife financeiro para montar times competitivos. Veja nossos patrocínios, baixíssimos. A promoção do sócio-torcedor do Paissandu vendeu mil títulos, enquanto o Ceará tem mais de 30 mil associados…”.

De Mauro Dias Lima, consciente da indigência do futebol paraense, apesar da força indomável de duas grandes torcidas.

————————————————————————-

Bola na Torre

O programa debate a situação do Paissandu na Série B e seus próximos jogos. Analisa a campanha do Remo na Copa do Brasil sub-20 e a preparação do time profissional. Discute, ainda, o acesso ao Parazão 2014. Com Giuseppe Tomaso, Valmir Rodrigues, João Cunha e este escriba baionense. Às 23h30, logo depois do Pânico na Band.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 27) 

43 comentários em “Futebol sem lei e sem alma

  1. Na minha opinião os melhores jogadores não optam mais pelo Pará não por opção deles próprios ou de seus agentes. Na realidade, é a famigerada “parceria” entre os dirigentes paraenses e empresários que deliberadamente só traz perna de pau. Perguntinha ingênua: por que será?

    Curtir

  2. No que diz respeito ao Diego Costa, deixa esse cara pra lá. Por mais craque que seja, não merece vestir a camisa canarinho.

    Quanto aos “craques” não quererem vir jogar no Pará, sabe-se que os jogadores querem aparecer na “vitrine” armada pelos campeonatos nacionais. O que podem pretender times que vivem sem divisão e os que quando a têm é a terceirona e que quando alcançam a 2a. divisão são imediatamente rebaixados? Quem quer jogar em times como esses?

    Voltando ao assunto Leãozinho, eu tinha até concordado com os que achavam que os moleques tinham conquistado um belo feito mas depois olhando bem a coisa não tanta assim. Afinal façamos as contas: 6 jogos, 1 empate, 2 vitórias, 3 derrotas. A festa toda ficou por conta pelos torcedores/jornalistas.

    Curtir

  3. O argumento está mais que certo a coisa não pode virar uma “liga dos campeões mundial” tem que botar regras, acho que em se tratando de futebol, só mesmo se o cara já morasse no País a pelo menos uns 10 anos, do jeito que está não pode.

    Curtir

  4. Se pudesse aconselhá-lo, diria para recusar gentilmente o convite para a seleção brasileira, preferindo a espanhola.

    Há décadas que não existe mais essa de “patriotismo”. Isso ficou no passado; agora é só dinheiro.

    Veja o caso de Messi, na Argentina ele tira o pezinho e faz apenas o mínimo exigido. Já no Barça, que lhe amparou e lhe deu oportunidade, é o rei.

    Curtir

  5. Reportagem no Estado de São Paulo de hoje:
    Paysandu está em 4o lugar no ranking de punições do STJD devido ao comportamento do torcedor…depois do próximo julgamento, devido aos incidentes contra o Avaí, será o primeiro disparado.
    Quem em sã consciência vai expor sua marca na camisa do clube pagando alto? E quem em sã consciencia vai querer jogar em clube onde o torcedor pode ameaçar sua integridade física e da sua família?
    Ah, só aparece o Paysandu, mas se considerar as ultimas participações do Remo, este estaria nas cabeças tbm….
    Essa força indomavel das nossas torcidas está mais prejudicando que ajudando, exemplo é o saldo punições x adesao socio torcedor….nossos dirigentes erram sim, mas o torcedor precisa mudar seu comportamento também…não há nada que não possa ser melhorado, mas pode piorar tbm.

    Curtir

  6. Jogadores que já tiveram alguma projeção nacional, daqueles que o narrador de fora reconhece, até vieram pra cá, sim. O problema é que a indigência administrativa reinante nos nossos clubes cada vez aumenta mais, na FPF nem é bom falar. Imagine o campeonato paraense hoje sem o patrocínio oficial.
    Ainda vivemos a fase dos ‘mecenas’ que colocam dinheiro do próprio bolso no custeio dos clubes e programas como sócio-torcedor, fonte de renda em todas as partes do país, de norte a sul, aqui funciona como uma espécie insólita de programa anti-Midas, ou seja, em vez de ouro, quando tocado pelos dirigentes dos clubes locais acaba virando merda. Triste!

    Curtir

  7. Sobre o Diego Costa, acho desnecessária sua convocação pois temos atacantes muito bons, e depois, se ele se naturalizou espanhol, é porque quer jogar pela Espanha.

    Quanto aos jogadores que não querem jogar nos clubes do Pará, é elementar meu caro, o futebol paraense ha muito tempo não dá visibilidade pra joganor nenhum.

    Os clubes são muito mal administrados, tanto Rempo como Paysandu e acho que isso ainda vai durar muito tempo.

    Queria que alguem perguntasse ao Vandik Lima como é que ele se sente vendo um time como o Icasa de Juazeiro do Norte, interior do Ceará lutando por uma vaga na série “A” e o Paysandu lutando pra permanecer na série “B”.

    Curtir

  8. Vamos por parte:

    Em relação à Diego Costa, o qual não conheço, nunca o ví jogar ou falarem dele no Brasil , a não ser agora, e nem sei em que time ele atuou no Brasil, nem quando: Não podemos deixar de reconhecer nesse episódio, a astúcia do povo europeus, para conseguir aquilo que já almejam ha muito tempo no futebol, mas que tinham conseguido até agora somente através das poderosas cifras que possuem. Ou seja, a partir daqui, ocorrerá exatamente o que correu a algums tempo atrás quando o futebol brasileiro encantava e era realmente o melhor do mundo: Alguem lembra o que ocorreu?? Pois eu Lembro: Naquele tempo do auge do futebol brasileiro, os nossos atletas eram obrigados a permanecerem por aqui nos dando alegria com grande futebol, porque a legislação no futebol europeu so permetia em suas competições 2 jogadores estrangeiros por clube. Assim nosso futebol tinha de dividir exportação de jogadores para clube eu europeus com todos os outros países do mundo, sendo muito difícl a saída em massa de atletas brasileiros para a europa como ocorre hoje. Mas ainda na década de 80, se não me engano, foi revogada a tal legislação europeia, que so permitia 2 atletas estrangeiros por clube, permissibilidade dos clubes europeus contratarem conforme suas conveniências e cifras. Na mesma época jogadores, craques no nosso futebol começaram a de debandar em larga escala, inclusive o grupo espetacular da Copa 82( Zico, Junior, Socrates, Cerejo, Eder, Falcão que se tornou Rei do Roma e muitos outros.) Daí em diante nosso futebol começou a entarem decadência e so ganhamos duas Copas até então, com time truncado, futebol não vistoso e com poucos craques tipo Romário e Fenômeno, ainda assim quase todos os atletas jogando no futebol europeu. Então os europeus conseguiram o que queriam naquele tempo mas hoje eles querem muito mais: querem não so craques estrageiros(no geral) atuando no futebol europeu, mas principalmente em suas seleções nas Copas do Mundo. E isso é muito perigoso, para o futebol mundial e não so o brasileiro porque incorre-se o risco de termos nas Copas do Mundo, competições sem graça, sem lei e sem alma tal qual você falou Gerson Nogueira.

    Curtir

  9. Em relação ao Paysandu na competição, infelismente na minha opinião, não dá mais para permanecer, a não ser com milagre. Mais até milagre para ocorrer o time em campo tem de fazer por onde mercer o milagre, porque Deus disse em relação às suas dádivas: ” faz por ti, que aí sim eu te ajudarei. Não fiquem esperando somente a Deus dará”… Então esse é o problema do time atual do Paysandu: É fraco e dentro de campo não está fazendo por si na questão da superação, garra, determinação em permanecer na serie B. Estão entregando vitórias fáceis paraos adversários inclusive la fora, aí até milagre é dificil. Um conselho que dou, sem querer ser discrente pois ainda há muitas chances matemáticas, é que a diretoria ja começe um rigoroso, sério e eficiente e eficaz planejamento para a temporada 2014, objetivando novo acesso. Caso contrário poderemos ter outro desastre nas comepetições futuras. Manisfestei essa mesma opinião quando o Paysandu foi eliminado fácil em Belem pelo Naviraense, depois de ter ganho la fora. Era contra o retorno pelo tapetão, apesar de saber da irregularidade do jogador matogrossense, porque sabia que seria muito prejudicial ao futuro do Paysandu inclusive no retorno a serie B. Não deu outra, o time retornou a Copa Brasil, mas aí foi muito tempo perdido de preparação paraa serie b, muita coisa ruin ou podres no clube foram mascarados com o retorno pelo tapetão, os mesmos jogadores perebas do jogo da eliminação permaneceram intocáveis, e o resultado está aí: Paysandu quase rebaixado. Por isso dou o conselho, da diretoria trabalhar o que puder para o time permanecer na serie B, mas ao mesmo tempo, não se iludir tanto e ja planejar com inteligência para proxima temporada.

    Curtir

  10. Depois de ler a noticia no reporter diario ja ia fazer essa pergunta. Quem era o camisa 33. Ta respondido. Pra mim nao fede e nem cheira.

    Curtir

  11. A noticia é antiga, mas tem que ver se o Zé Soares não tem problema de saúde.

    SOFIA (Bulgária) – A transferência do meio-campo brasileiro Zé Soares do Levski Sófia, atual campeão búlgaro, para o Metalurg Donetsk, da Ucrânia, pode fracassar devido a problemas médicos, informou o portal “Sportni.Bg”.

    “Trata-se de um problema muito sério e, por isso, a transferência está bloqueada por enquanto. Mais consultas médicas estão sendo feitas na Alemanha”, disse o búlgaro Velizar Dimitrov, jogador do Metalurg, sem revelar em que consiste o problema.

    Segundo a imprensa búlgara, o diretor financeiro do Levski Sófia, Konstantin Bazhdekov, ainda não recebeu do clube ucraniano a confirmação da transferência. O prazo para realizá-la expira hoje.

    O Levski esperava receber entre 300 mil e 400 mil euros por esta transferência. O clube búlgaro ainda terá direito a uma participação caso o meia seja negociado novamente.

    Zé Soares chegou ao time búlgaro em 2007, depois de defender o Remo na campanha que levou o time à terceira divisão do Campeonato Brasileiro.

    Curtir

  12. 2006 First League Remo (Brasil) 20 2
    2007 First League Remo (Brasil) 25 7
    2007-2008 High League Levski Sofia (Bulgaria) 19 2
    2008-2009 High League Levski Sofia (Bulgaria) 25 3
    2009-2010 High League Levski Sofia (Bulgaria) 9 2
    2009-2010 Premier League Metallurg (Donetsk) 14 2
    2010-2011 Premier League Metallurg (Donetsk) 25 2
    2011-2012 Premier League Metallurg (Donetsk) 27 2
    2012-2013 Premier League FC Metallurg Donetsk 13 1
    2013-2014 Premier League FC Metallurg Donetsk 1 0

    Nos ultimos tres anos, o Ze Soares fez tres gols no campeonato Ucraniano.

    Curtir

  13. Estava falando com Passos e ele me respondeu, com naturalidade, que o elenco do Remo já está montado (Claro que no papel…). Falta apenas mais um atleta.
    Podemos aguardar, então, mais oito jogadores vindo aí. Será que no meio da pomposa contratação do Hermano virão também Pimentinha, Danilo Rios ou Bismarck?

    Curtir

  14. Ah…E em tempo: Que “toca” marcamos ao não prestigiarmos o atacante Lucas, que fez boas partidas em Bragantino, Ananindeua e Tuna. É a nova sensação do Sampaio.
    Aquele Daniel, do Holanda, o Josy (sempre) e Pelado, do Santos AP, dariam bons reforços para times com menos cacau. Falem pro Lecheva hahaha

    Curtir

  15. Herrera? Não tá esquisito, não? Um atleta que teoricamente deveria ter lugar na série A optando por ficar sem divisão é mais do que estranho. Melhor pesquisar o histórico clínico do atleta porque parece mais um daqueles jogadores de nome que vem pra cá enganar, um Iarley, um Eduardo Ramos da vida.

    Curtir

  16. Gerson. Campeonato pouco atraente (em todos os sentidos). Alem da fama dos clubes de devedores, são uma das razões.

    Outro aspecto a ser analisado está no fato de que jogar em remo e Paissandu não é sinônimo de vitrine, ja que nosso futebol está muito desvalorizado a nivel nacional, sendo hj melhor jogar o paulista z, ja que é mais facil achar um contrato em clubes de empresarios do eixo sudeste (vc não vê isso no sul).

    A mudança parte da inversão de valores em termos de mercado da bola tanto no Paissandu como no rival, ou seja, Papão e Remo devem deixar de ser clubes caracterizado por importar jogdores, para serem exportadores, isso, talvez, atraia bons jogadores, ja que empresários olharão para quem está jogando nesses clubes.

    A outra mudança deveria partir da cbf, com a mudança do campeonato brasileiro do sul e sudeste, para promover campeonatos regionais com finalização nacional em play-off, isto faria de Paissandu e remo vitrines se verdade, alem de desenvolver o futebol em todo o Brasil, descobrindo, consequentemente, novos craques nacionais.

    Curtir

  17. Alex Ferguson, em sua biografia, admitiu que tinha dificuldade em treinar jogadores argentinos.
    Será que Charles Guerreiro se sairá melhor?

    Curtir

  18. Por falr em trinta e três, Herrera já tinha 33 anos quando saiu do Botafogo, agora é mais um ex-atleta em atividade, ou seja, o Iarley do Remo amanhã.

    Curtir

  19. Dirigentes tentaram vários ex-botafoguenses, amigo. Primeiro foi o Loco Abreu, depois o Túlio e agora se concentram em dois atacantes. Pelo menos a origem é boa.. rss

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s