Por que o Cruzeiro ainda não garantiu o título

Por Mauro Cezar Pereira

São sete pontos de diferença a favor do Cruzeiro. Sim, é muita coisa e difícil imaginar que uma equipe que mantém ritmo tão avassalador vá perder terreno. Isso faz do time mineiro o óbvio favorito a erguer a taça de campeão brasileiro em 2013. Mas o jogo da noite de quarta-feira em Belo Horizonte contra o Botafogo não foi uma “final antecipada”, como se dizia. E não foi porque ainda faltam 48 pontos a serem disputados pelas equipes que completaram a rodada 22 de 38!

E com tantos pontos em jogo, é possível, sim, uma virada, que no momento é improvável, como se percebe. História recente: na temporada 2011/2012 da Premier League, o Manchester City chegou a abrir cinco pontos sobre o Manchester United ainda no primeiro turno.

Na rodada 22, a que vivemos no Brasileirão 2013, tinha quatro pontos de frente. Dez jogos depois, em 8 de abril do ano passado, na 32ª, portanto a seis do final e com apenas 18 pontos a serem alcançados, o United tinha OITO pontos sobre o City: 79 a 71.

O campeonato terminou com os dois times de Manchester acumulando 89 pontos cada, e o título dos Citizens pelo melhor saldo de gols, 64 contra 56 dos Red Devils. Raro, mas real. O campeonato de pontos corridos tem seus mistérios e supresas. Para que tanta pressa em apontar o campeão?

Ah, o apito nacional…

Luiz Flávio de Oliveira, irmão de Paulo César de Oliveira, deu um só pênalti nos 11 cotejos que apitou no Brasileiro de 2012 e já soma três em seis jogos no deste ano. O “mano” teve cinco em 13 compromissos na temporada passada e está com dois em oito partidas na atual.

No Mineirão, Luiz marcou dois, um correto, para o Botafogo, perdido por Seedorf, outro inexistente, a favor do Cruzeiro, convertido por Júlio Baptista. Nesse dois lances o cotejo se definiu. O terceiro tento Celeste foi conseqüência natural do cenário daquele momento.

O time mineiro fez por merecer o triunfo, mas a peleja foi decidida na sutileza da cobrança para fora do holandês e do pênalti para os cruzeirenses que árbitros brasileiros adoram ver. E Luiz Flávio, nota-se, adquiriu tal mania recentemente. No Campeonato Paulista deste ano, ele trabalhou em quatro jogos e não assinalou uma penalidade máxima sequer. Na noite do Mineirão, transformou o encontrão de Everton Ribeiro e Bolívar em lance decisivo.

3 comentários em “Por que o Cruzeiro ainda não garantiu o título

  1. Não acredito que foi os lances das penalidades que decidiu a partida; e o terceiro gol não foi consequência como diz…o cruzeiro teve várias chances durante a partida, essas acima das chances que o Botafogo também teve, o resultado ao meu ver foi real e merecedor. Não decide o campeonato porque tem ainda várias rodadas, agora que o cruzeiro mostra nesse momento o melhor futebol e merecedor de ganhar, esse mostra.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s