O mais lindo chamado de uma mulher

Por Xico Sá

Milo-Manara-300x2001Perdão por ser tão direto, logo eu que curto uns arrodeios no verbo, mas a hora mais comovente de um homem é quando a moça, enredada nas preliminares e nos dengos orais, nos puxa e ordena: “Me come!”. Hora sagrada, pedido que justifica estar no mundo, um pára-tudo na vida besta, um sentido para a dramaturgia terrena, uma viagem sideral com  Barbarella, uma pausa que move o planeta, rotação e translação, formigas nas nervuras das folhas das folhas da relva.

“Me come!”, ela diz, ela prescreve o gozo, o ossinho, digo, o ilíaco perfura nuvens do arranha-céus na janela, você é feito homem de novo na hora, Adão reloaded, costela bíblica no bafo.

O milagre, o projeto levanta-te Lázaro, você que se julgava morto depois de uma antologia de ressacas e invertidas do varejão Ceasa da existência. O “me come” é o fiat lux, o Gênesis –tanto o bíblico quanto o do Crumb. O “me come” é o chamado capaz de ressuscitar um zumbi, um morto-vivo, um fantasma de homem. O “me come” é sinfonia, é Frank Zappa com gritos & sussurros, é música ao longe, é onomatopeia do pre-gozo de Serge Gainsbourg e Jane Birkin…

“Me come” que sou tua, mesmo que por um momento, e vamos fazer dessa noite a noite mais linda do mundo, como recomenda o Odair, o gênio do cancioneiro romântico. É o decifra-me ou te devoro, é o mantra mais sagrado até mesmo para um inapetente faquir de mulheres, é o incêndio da hora, todos los fuegos, o fogo, como no livro do homenzarrão Cortázar que tanto excita a falsa-magra do Catete.

Perdão por ir tão ao ponto, caro leitor mais correto, mas o “me come”, seja homem, é o chamado da selva, a psicanálise selvagem depois de línguas e dedos, o grande cartaz da passeata, a redenção, você sai às ruas feliz com o cheiro dela na barba, você sai chutando as tampinhas da realidade para dentro dos bueiros, você mira com cara de safado a morena-Jolie de Botafogo, você desce na estação Cantagalo -ai de mim, Copacabana!-, ainda com aquele “me come” a encobrir o barulho das britadeiras da cidade maquiada da beleza e do caos.

2 comentários em “O mais lindo chamado de uma mulher

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s