Nicácio tenta recuperar status de titular

PSC Nicacio-Mario Quadros (3)

Depois de ficar sem jogar contra o Guaratinguetá devido a uma contusão na perna, o centroavante Marcelo Nicácio treina firme para recuperar o posto de titular. A batalha não será das mais fáceis, pois Careca, seu substituto no jogo, teve grande atuação, marcando três gols e encantando a torcida alviceleste. O dilema agora está com o técnico Givanildo Oliveira, que terá que fazer a opção por um dos atacantes, levando em conta que são jogadores com as mesmas características. O próximo compromisso do Papão será contra o São Caetano (SP), na terça-feira (9), às 19h30. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola) 

Remo busca saídas para a crise

O presidente em exercício do Remo, Zeca Pirão, reuniu na noite desta quarta-feira com sócios e torcedores na sede do clube. Do encontro ficou a proposta de criação de grupos setorizados de trabalho para agir em defesa do clube, captando recursos e ideias para enfrentar a crise. A diretoria apresentou um relatório de atividades, com números quanto à receita e despesa no primeiro semestre. Os grandes problemas se localizam na ausência de arrecadação no futebol profissional no segundo semestre e a necessidade imediata de pagamento das rescisões com os jogadores que tinham contrato até junho. Uma das ideias surgidas diz respeito à possibilidade de cessão da área do Carrossel para uma grande empresa local. Pelo acordo, o clube receberia mensalmente R$ 160 mil. A alternativa depende ainda de aprovação pelo Conselho Deliberativo.

Desportiva negocia atleta com futebol francês

RemoXDesportiva 1a decisao sub20-Mario Quadros (21)

A conquista do título estadual sub-20 já rendeu dividendos à Desportiva. Primeiro clube-empresa de fato do Pará, o Tricolor de Marituba revelou vários atletas durante o campeonato e despertou o interesse do futebol estrangeiro. Destaque na competição, o atacante Ronaldo é o primeiro jogador negociado para fora do Brasil. Ele vai defender o Saint Rosé, clube da Ilha de Guadalupe, território francês da região do Caribe, e já disputará a Copa de Guadalupe. A diretoria da Desportiva confirmou ontem a transferência internacional, sem divulgar os valores envolvidos. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola) 

Brasil volta ao Top 10 da Fifa

O Brasil voltou, após um ano, a figurar no top 10 do ranking da Fifa. O título da Copa das Confederações, conquistado no último domingo com a vitória sobre a Espanha, por 3 a 0, garantiu este retorno – em 9° lugar. Em junho, a seleção amargurava a 22ª posição, a pior de sua história desde que o ranking foi criado, em 1993. Um dos motivos que fizeram o Brasil cair foi a falta de jogos em competições oficiais, que valem mais pontos. Com o retorno às competições, algo que não ocorria desde 2011, quando disputou a Copa América, o Brasil teve a chance de somar pontos importantes na lista. A seleção chegou aos 1095 pontos.

A vice-campeã do torneio ocorrido no Brasil, a Espanha, se manteve na liderança. Os espanhóis aparecem com 1532 pontos, à frente da Alemanha, que tem 1273. A principal surpresa da lista deste mês aparece na 3ª posição: a Colômbia saltou quatro lugares e agora está no top 3, com 1206 pontos. Completam o top 5 a Argentina e a Holanda. Dentro dos 10 primeiros lugares ainda estão Itália – que ganhou duas posições após o 3° lugar na Copa das Confederações -, Portugal, Croácia e, logo atrás do Brasil, a Bélgica.

A Inglaterra perdeu cinco posições e, agora, aparece em 15°, atrás da Bósnia Herzegovina. O Taiti, apesar da participação carismática no torneio no Brasil, foi uma das seleções que mais perderam posições na lista atualizada: 16. A seleção da Oceania caiu da 138ª para a 154ª posição.

30jun2013---thiago-silva-levanta-taca-de-campeao-da-copa-das-confederacoes-1372639717035_615x300

ranking-da-fifa-em-julho2013-1372938618747_564x430

Santos demite “turma de Neymar”

3jun2013---bruna-marquezine-acompanha-a-apresentacao-de-neymar-em-barcelona-1370281219832_615x300

Por Samir Carvalho

Comitê de Gestão do Santos intensifica a cada semana a reformulação no quadro de funcionários. Além de atingir o departamento jurídico, com as demissões dos advogados João Vicente Gazzola e Fábio Gonzalez, além do superintendente de futebol, Felipe Faro, a “faxina” abrangeu a “turma de Neymar”, como eram chamados internamente os assessores que organizavam a gestão de carreira do craque, negociado com o Barcelona, da Espanha.

A “turma de Neymar” era composta por quatro profissionais e capitaneada por Eduardo Musa. Além de Musa, que estuda proposta para trabalhar com Neymar pai na Espanha, o quarteto também contava com Gabriela Pozzi, noiva do lateral esquerdo Léo, do Santos.

A era de demissões na Vila Belmiro soma oito vítimas, já que o clube também confirmou que destituiu do quadro de funcionários o gerente de Recursos Humanos, Withney Reina. O UOL Esporte apurou que somando o salário de todos os demitidos, o clube economizará cerca de R$ 200 mil mensais, incluindo salários e encargos trabalhistas.

“Foram demitidos. Na realidade só um não foi, já que está de férias, mas será demitido quando retornar. Os outros todos já foram demitidos”, afirmou o vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues.

A demissão mais aguardada no clube era do quarteto que trabalha com Neymar. A diretoria do clube ficou insatisfeita ao presenciar fotos e vídeos de seus profissionais na apresentação do ex-camisa 11 do Santos no Barcelona. Imagens na televisão, inclusive, mostraram alguns deles trabalhando pelo craque no gramado do Camp Nou.

“Eles foram custeados pelo Barcelona, não pelo Santos. O Santos não gastou nenhum centavo com isso. O Barcelona pagou estadia, pagou tudo. A gente já tinha definido que eles sairiam do Santos, como saíram”, explicou o dirigente santista.

Antes de serem deslocados para cuidar da carreira de Neymar, três deles integravam o departamento de marketing e um a assessoria de imprensa do Santos. O clube promete manter o departamento para outros atletas do clube, mas acredita que não há mais no time astros que justifiquem um estafe desse tamanho para o gerenciamento.

Já a demissão mais contestada foi a de João Vicente Gazzola, considerado o principal advogado do clube na gestão do presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro. O ex-gerente jurídico do clube deixa a Vila Belmiro sem perder uma causa na Justiça. Profissionais alegam que Gazzola foi impecável para resolver burocracias que envolveram as contratações de Robinho, em 2010, e Montillo, nesta temporada.

O maior desafio da vida do Galo

Por Juca KfouriVictor ganhou ‘status’ de santo ao fazer uma defesa milagrosa e classificar o Atlético-MG para a semifinal da Libertadores. Nesta quarta-feira, ele voltou a fazer milagres, mas não foi suficiente para segurar o Newell’s Old Boys. Os argentinos demoraram, mas conseguiram superar o bom momento do goleiro e venceram por 2 a 0 no jogo de ida da semifinal, em Rosario.

O Atlético-MG, agora, terá que vencer por três gols de diferença para obter vaga direta na final a Libertadores, ou ganhar por 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis. O confronto acontece na próxima quarta-feira, no Independência.

03maxinO vencedor da série entre Newell’s Old Boys e Atlético-MG irá encarar quem levar a melhor entre Olimpia e Independiente Santa Fé. O time paraguaio ganhou por 2 a 0 na partida de ida.

O time da casa ditou o ritmo da partida, tentando explorar as laterais e obrigou o goleiro Victor a trabalhar em alguns momentos, com duas finalizações de Scocco e uma de Maxi Rodríguez. Entretanto, a melhor chance da partida foi do Atlético, com Bernard, nos minutos finais da etapa, mas o jogador do time alvinegro parou no goleiro Guzmán.

O Atlético-MG voltou melhor e mais bem posicionado no segundo tempo. Marcava mais de perto, recuperava bolas e conseguia trocar bolas. O Newell foi quem passou a dar chutões. Mas a equipe argentina ainda era perigosa e conseguia impor velocidade.

E foi com uma ajuda generosa da defesa alvinegra que chegou ao gol. Três jogadores do Atlético marcaram só a bola, bateram cabeça e ficaram indecisos. Maxi Rodríguez não quis saber de conversa e cabeceou para o fundo das redes.

O time mineiro sentiu o gol e ficou nervoso. Pegava pouco na bola e não ameaçava. Nem a entrada de Luan no lugar de Diego Tardelli ajudou. Jô ainda empatou a partida, mas o bandeira marcou um impedimento milimétrico. Anulou o gol e desmotivou os mineiros.

Aos 35 minutos, Scoco decidiu o jogo e, quem sabe, a semifinal. Ele marcou falta com perfeição no canto inferior do gol atleticano e fez o segundo do Newells. Os argentinos partiram para cima em busca do terceiro, enquanto os brasileiros apenas tentavam se segurar já sem poder de reação.

NOTA DO BLOG – Impossível não é, mas o Galo terá de se superar no Independência na próxima quarta-feira.

A torcida atleticana terá de jogar como nunca e Ronaldinho precisará fazer o que não conseguiu em Rosario.

Mas depois do milagre de São Victor contra os mexicanos, nada é proibido para o Galo vingador, muito menos sonhar com a final da Libertadores.

Mistério no gol do Papão

Por Gerson Nogueira

GERSON_04-07-2013A difícil vitória sobre o Guaratinguetá na terça-feira deixou mais perguntas do que respostas nas cabeças alvicelestes. Um dos pontos mais questionados no time que começou a partida é a sempre fundamental posição de goleiro. Não que o atual titular estivesse acima de qualquer discussão no Campeonato Paraense. Muito pelo contrário. Zé Carlos, que substituiu Paulo Rafael, jamais teve a plena confiança do torcedor. O Paissandu conquistou o título, mas a desconfiança persistiu até a Série B.

O mais difícil é entender como, mesmo depois que Givanildo Oliveira substituiu Lecheva, o goleiro permanece como titular. Ao longo das sete rodadas iniciais da Série B só houve um jogo em que Zé Carlos saiu de campo como destaque do time. Foi justamente na estreia contra o ASA, quando fez defesas que impediram a derrota do time.

Nas demais partidas, demonstrou insegurança nas saídas de gol e se atrapalhou em lances fáceis, intranquilizando sua linha de zaga. Contra o Ceará, cometeu erros primários, espalmando bolas para o interior da área. No jogo contra o Atlético Goianiense voltou a exibir instabilidade.

Com passagens por vários times de porte médio, Zé Carlos chegou bem recomendado ao Paissandu. Pode ser um bom goleiro, mas é inegável que não atravessa seu melhor momento. A questão é que, ao contrário de outras ocasiões recentes, há outro goleiro disponível, adquirido especificamente para a Série B.

Marcelo, que estava em atividade no certame paulista, chegou com status de grande reforço. Sua contratação foi trabalhosa, cercada de idas e vindas. Surpreendentemente, depois de se apresentar na Curuzu, teve que se recuperar de uma lesão e não teve chance de mostrar qualidades.

Lecheva, que comandou o Paissandu nas três primeiras rodadas e foi afastado sumariamente, chegou a ser criticado por não lançar o novo goleiro. Afinal, uma das leis que regem o futebol é aquela que diz que todo time começa com um grande goleiro. Não é, obviamente, a situação atual do Paissandu. Marcelo pode até nem ser melhor tecnicamente que Zé Carlos, mas ainda não permitiram que seja avaliado.

Quando uma vitória importante não consegue sufocar as inquietações da torcida com a defesa, alguma coisa precisa ser feita. Dos três gols marcados pelo limitado time do Guaratinguetá, o goleiro falhou no segundo e podia ter se antecipado ao atacante no lance do terceiro.

As falhas deixaram a forte impressão de que, além de outros problemas relacionados com a zaga e a marcação, o Papão precisa urgentemente de um goleiro. Contra o São Caetano, a repetição de erros tão sérios não será mais atribuída exclusivamente ao jogador. Certamente será debitada na conta de quem o escala.

———————————————————- 

Leão precisa de ações concretas

Às voltas com uma dívida trabalhista monstruosa e enfrentando bloqueio judicial de sua receita, o Remo vive momentos de indefinição. Com a licença do presidente Sérgio Cabeça, o vice Zeca Pirão assumiu o comando e tenta à sua maneira desfazer os nós da administração do clube. Abriu um canal para que a torcida se manifeste, apelou aos azulinos para que ajudem o Remo e anunciou apoio às propostas de mudanças defendidas pelos sócios. É, sem dúvida, um avanço.

Mas, para que essa postura não seja interpretada como mero factóide ou manobra protelatória, Pirão terá que partir para atos concretos. É válido apoiar as mudanças e estimular a participação de sócios e torcedores, mas não pode ficar só nisso.

A essa altura, talvez a melhor alternativa fosse mesmo antecipar o pleito programado para 2014. O Remo não pode mais esperar enquanto os problemas se acumulam. E, mais do que nunca, a proposta de eleições diretas deve nortear o pensamento dos que são responsáveis pelo clube.

Só a ampliação do número de votantes trará a legitimidade necessária e o apoio popular para os passos (nem sempre fáceis) que devem ser dados em nome da sobrevivência do clube.

———————————————————- 

Nobre arte de volta à ribalta

Os salões do Pará Clube servirão de palco para uma grande noitada de boxe, hoje, que terá como evento principal a disputa do título brasileiro dos médios entre o campeão John Anderson e o desafiante Odair Teodoro. A programação inclui várias lutas na preliminar, com destaque para o duelo pelo título paraense entre Jackson Neguinho e José Ricardo.

A promoção é da Associação Zezé do Boxe, que se mantém como um dos pilares da nobre arte no Pará. Zezé é originário de Baião e um baluarte do pugilismo, acumulando sacrifícios sem conta para continuar a formar lutadores e a tirar menores da rua através do esporte. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quinta-feira, 04)