Essa esquerda adora provocar…

Por Glauco Alexander Lima (*)

Também, a esquerda ficou provocando, agora tem que segurar a onda. Ficou insistindo em cotas pra pretos em universidades, era sensível a cólera que isso provoca em muitos setores da sociedade. Mas os caras não recuaram, ficaram insistindo em cotas pra afro descendentes, gente descendente de escravos em universidade, isso é muita provocação. Ficaram insistindo em financiamento de ensino superior pra pobre entrar em universidade particular. Teve muita gente que ficou revoltada, achou absurdo, chamou de premiar incompetentes, mas os caras continuaram na provocação. Ficaram insistindo nesse negócio de transferência de renda, em Bolsa Família, isso gera ódio em muita gente. Teve gente que reagiu dizendo que isso era esmola pra para vagabundo, que era moeda eleitoral, que os pobres são pilantras e burlam o Programa, que mulheres pobres tem 10 filhos só para receber a fortuna do Bolsa Família. Mas os esquerdistas sonhadores, loucos, humanistas, não recuaram com as provocações e agora estão sentido o peso de uma reação sofisticada, que distorce tudo e usa a revolta santa, procedente, para defender posições diabólicas. A esquerda provocadora insistiu contra a redução da maioridade penal. Isso causou mais ódio, ainda mais que a comoção com crimes revoltantes, tira qualquer capacidade de análise mais responsável. Mas a esquerda louca seguiu combatendo o dente por dente, olho por olho. Uns loucos provocadores. Comunistas patifes. Socialistas arruaceiros. A esquerda louca ficou defendendo moradias populares, casa para quem estava condenado a pagar aluguel pra sempre, isso não agrada muita gente, muita especulação imobiliária rosnou. Mas os provocadores não se importam e continuam insistindo. Agora esse esquerdistas provocadores precisam defender estas provocações, não recuar, esclarecer, combater os discursos moralistas que os acusam de serem os pais da corrupção, da bandidagem e de todos os problemas históricos do país. Pessoal da esquerda, se vire, o mundo precisa que vocês nunca parem de provocar!!!!! Precisa que esse debate aumente, lance luzes e não trevas, que a discussão seja elevada. Vocês devem ser cada vez políticos melhores, transformadores, contundentes, consistentes e insistentes nas provocações.  

(*) Publicitário.

Sócio-torcedor bate marca de 500 mil no país

Por Eduardo Ohata (Folha de S. Paulo)

A receita dos clubes representada pelos sócios-torcedores – número que este ano saltou de 362 mil para mais de 500 mil, impulsionado pelo “programa de fidelidade” liderado pela Ambev -, bate valores de contrato de TV, patrocínio e espaço na camisa. A explicação da rápida escalada do número de sócios-torcedores passa pelo bolso. Até a virada do ano, as vantagens do sócio frequentemente se referiam à ida ao estádio, com compra antecipada de ingresso e descontos.

Porém desde a criação do programa da Ambev, este ano, sócios-torcedores dos clubes que aderiram têm descontos em uma cesta com mais de 600 produtos ou serviços de dez empresas. A soma dos descontos pode superar o valor da mensalidade. “A receita com os sócios-torcedores representa hoje mais do que o que recebemos de direito de TV ou patrocínio”, comemora Gilvan Tavares, presidente do Cruzeiro que, percentualmente, assistiu o maior crescimento no número de sócios-torcedores entre os clubes participantes.

“[O sócio-torcedor] representa muito mais do que recebemos com patrocínio de camisa. E a tendência é aumentar, porque o sócio-torcedor alavanca a bilheteria”, argumenta Gilvan, que revelou que seu clube arrecada R$ 3 milhões mensais dos sócios. Com esse influxo de dinheiro dos sócios-torcedores, contratou Dedé e Souza.

131721088

Com vantagens não relacionadas à ida aos estádios, a tendência é a adesão de torcedores de outros estados. É uma das apostas do Flamengo, cuja arrecadação com o sócio-torcedor atualmente só perde para o patrocínio master e fornecedor de material. “A arrecadação do sócio-torcedor tornou possível a contratação do [atacante] Marcelo Moreno e do técnico Mano Menezes. Dependemos do aumento do programa para chegarmos a mais reforços”, afirma Fred Luz, diretor de marketing do Flamengo.

A meta traçada pela Ambev é chegar à marca de um milhão de sócios-torcedores até o fim do ano. Seus executivos lançam mão de números de fora do país para mostrar o potencial do programa. “O Internacional, melhor clube nacional em quantidade de sócios-torcedores, tem 2% dos torcedores como sócios. Já o Benfica, que é o melhor do mundo, tem 4%”, compara Ricardo Roza, gerente corporativo da Ambev.