Sob chuva, um banho de liberdade nas ruas

1016085_623924177620598_1250522465_n

Depois do banho de liberdade nas ruas chuvosas da Mangueirosa, com 15 mil pessoas unidas pelo desejo de protestar e operar mudanças, não há mais dúvida: a juventude não pode mais ser acusada de alienada, como se dizia há até bem pouco tempo. Como nos idos de 1968 (lá se vão 45 luas, meu Deus…), os jovens saíram do imobilismo e se lançaram à ação. Sem violência ou dispersão. Nem mesmo derrapadas que trazem o DNA inconfundível da direita bovina, pregando a derrubada do governo legítimo e constitucional de Dilma Rousseff, prejudicam o conjunto da obra. Para um escriba dinossauro que andava meio descrente, é bonito ver tudo isso acontecer. Parabéns aos insatisfeitos de sempre. Alerta para os partidos sem substância e raiz. E que pena dos míopes e pobres de espírito que não entendem o processo que se desenrola sob a vista de todos. (Foto: Herbert Marcus)

Encruzilhada para os partidos

1013681_623924564287226_498561046_n

Por Luiz Carlos Azenha

O Brasil sempre foi governado a partir de um pacto de elites. É a tal “modernização conservadora”. O povo vota mas fica de fora das decisões substantivas, especialmente as que dizem respeito ao orçamento. As decisões são resultado de conchavos de bastidores. Consideram, por exemplo, quanto os donos das empresas concessionárias do transporte doaram nas eleições; quanto as empreiteiras que fizeram as obras da Copa ou constroem hidrelétricas na Amazônia doaram a partidos e candidatos. E assim por diante. O que o pessoal do MPL fez foi destampar a panela de pressão. Todos nós queremos que as decisões no Brasil, em todas as instâncias, considerem acima de tudo as necessidades reais das pessoas.

A direita simula que é a favor das manifestações, mas obviamente tem medo das reivindicações de fundo (ou alguém acha que existe empresário de ônibus de esquerda?). A direita não quer perder o poder da PM como balizador de suas “políticas sociais”, que é o que provisoriamente aconteceu. A PM é a garantia de seus privilégios. O PT é governo e nenhum governo gosta de confusão, especialmente se acredita que tem tudo para ganhar a próxima eleição. Além disso, os acordos de governabilidade do PT são firmados sobre a manutenção de privilégios históricos da direita, também ameaçados pelos manifestantes. A não ser que o PT retome seu compromisso histórico com as causas sociais, teremos em alguns dias um consenso inédito entre os grandes partidos para jogar essa molecada no rio Pinheiros.

(Foto: Herbert Marcus)