Charles Guerreiro é o novo técnico do Remo

TUNAXPFC semifinal Parazao2013-Mario Quadros (26)

Diretoria do Remo confirmou, no final da tarde desta terça-feira, o nome de Charles Guerreiro como novo técnico. Ele deve ser apresentado oficialmente ao elenco azulino nesta quarta-feira, no estádio Evandro Almeida. As negociações para a volta de Charles ao clube começaram ainda durante a fase final do Campeonato Paraense. Para assumir o projeto de reconstrução do time azulino, Charles largou o Paragominas, pelo qual foi vice-campeão estadual. Deve trazer como auxiliar técnico Nildo Pereira e o preparador físico Nicolau Barros. Edson Cimento será o treinador de goleiros. Alguns jogadores que disputaram o Parazão estão cogitados para reforçar o Leão. Entre os mais citados estão Mael, Ratinho, Magno, Levy, Sinésio e Lucas. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola) 

23 comentários em “Charles Guerreiro é o novo técnico do Remo

  1. 1 – Pra alegria do amigo Claudio Columbia

    2 – Significa que a vaga já foi comprada e é de time do Pará

    3 – Aleilson quando se apresenta e mais meia duzia do Jacaré

    4 – Uma vergonha se for verdade a compra dessa vaga de novo.

    Curtir

  2. Ei, Edson, mas parece que só comprar a vaga não tá dando jeito. Daqui a um tempo talvez os “indirigentes” do Remo resolvam comprar logo o título. Aí certamente eles terão muito a aprender com um certo rival listrado.

    Curtir

  3. Sem-vergonhice não é só aqui. Vejam o que diz o site do Futebol Interior:

    Desportiva pode trocar vaga na Copa do Brasil pela Série D com Aracruz

    Cariacica, ES, 21 (AFI) – O Desportiva Ferroviária propôs algo inusitado para o Aracruz nesta terça-feira. A Locomotiva pretende abrir mão da vaga da Copa do Brasil de 2014, em troca da participação do Campeonato Brasileiro da Série D.

    Enquanto o Dragão conquistou o direito de disputar a Série D na primeira fase do Capixaba, a Desportiva Ferroviária conquistou a vaga para a Copa do Brasil ao se tornar campeã Estadual.

    A proposta já está nas mãos da diretoria do Aracruz, que se prontificou em dar uma resposta à Ferroviária ainda nesta semana. A ideia surgiu através do presidente da própria Locomotiva, Wilson de Jesus, ao achar que a situação seria boa para ambas as equipes.

    Segundo o dirigente, a proposta já foi entregue e resta agora apenas esperar a decisão do Aracruz. Wilson de Jesus afirmou também que não se pode ter tudo na vida (se referindo na disputa das duas competição), mas admitiu que torce por um acordo entre as agremiações.

    Curtir

  4. Uma reportagem triste estou vendo na TV, sobre a seca do nordeste, animais morrendo, outros já mortos sendo arrastados até um local onde milhares estão expostos numa imagem extremamente emocionante. Os criadores, sem alternativas e o pior os governos fazem vista grossa pra situação calamitosa. Enquanto isso, estádios luxuosos e alguns até previstos como elefantes branco sendo inaugurados com pompa pelo Governo Federal. Que Brasil maravilha!!!

    Curtir

  5. Sei não, Charles é o técnico ideal para dirigir a Portuguesa, pois tal qual a lusa, ganha quando todos acham que vai perder e perde quando todos acreditam que vai ganhar.

    Curtir

  6. Como eu tenho repetido aqui, a CBF tem que aumentar o número de times na Séries B e C, mudar o calendário do futebol nacional adequando-o ao europeu e deixar os campeonatos estaduais para os times que não participam das três divisões nacionais. Falo isso não apenas porque sou remista, mas porque há muitos outros times tradicionais que foram jogados no limbo pela CBF. Alguns conseguiram voltar, como o América-MG , o Santa Cruz, o Joinville e o Criciúma. Outros ainda estão tentando se reerguer, como a Desportiva, o Londrina, o Juventude, o Gama, o CSA e etc. O problema é que não cabem todos na segunda e na terceira divisão e fica difícil a permanecer por muito tempo numa competição nacional. Um fato a favor destes clubes é que os jogadores precisam de times tradicionais para ganhar visibilidade, daí se explica o fato de que muitos atletas ainda querem defender o Remo, mesmo sabendo que o clube está há cinco anos sem divisão, pois sabem que podem se destacar e despertar o interesse de outros clubes do Brasil e do exterior. Se os clubes sabem do seu potencial, porque não se organizam para reivindicar mudanças?

    Curtir

  7. que vergonha hein ! mendigaando vaga de novo;e pra quarta divisão….a que ponto cchegou esse time que ha 5 anos nãao ganha nadaa…..vcs são a vergonha do pará……papãaooooo pooorraaa!!!

    Curtir

  8. hahaha O amigo Cláudio tendo quase que um enfarto do miocárdio, com esse anúncio. rs Calma, amigo Cláudio, olha o coração, como você sempre diz. rs Mas quem sabe não daria certo. rs

    Curtir

  9. Amigo, Cláudio, o Charles é um cara super do bem, profissional, valoriza o futebol local, pode ser que ele consiga dá um novo espirito mais humilde e trabalhador ao Remo. Sinceramente, pode dar certo. Felicidade nessa nova faze azulina.

    Curtir

  10. Amigo Lucilo, já era pra eu ter comentado, aqui, o quê um amigo meu chamou atenção: há muitas ONG’s internacionais atuando na Amazônia, em defesa da biodiversidade e dos povos amazônidas. Por outro lado, por que será que não há tais ONG’s no Nordeste, atuando no combate à seca e à fome ?

    E mais: estão construindo estádios (com valores bem acima daqueles previstos) e a calamidade nordestina de vento em polpa.

    Curtir

  11. O problema não é o Charles que é um cara honesto e trabalhador e sim a diretoria do rival que com certeza vai meter o bedelho no trabalho dele. Desse jeito podem trazer quem for de Luxemburgozinho até o Mourinho que de nada vai adiantar. O profeta Giba há alguns anos atrás previu tudo isso.

    Parece que é hoje a manifestação da torcida azulina em frente a sede. Está aí uma grande oportunidade para mostrar para quem se acha dono do clube que vocês sim é quem são os donos do Remo. Não aceitem o Bororó como intermediário. Bem intencionado, ele está sendo usado como escudo.

    Curtir

  12. Isso é verdade amigo Heleno, as ONGs se proliferam as montes aqui na amazônia, eu mesmo cheguei a fazer um trabalho conjunto por sinal muito bom na cidade de igarapé-Miri no Pará. No nordeste acredito que também tenha outras ONGs, no entanto a amazônia por sua imensidão e grande destaque intencional, propicia maior visibilidade a essas organizações. O nordeste por sua “pobreza” e de um povo de fácil manipulação politica paga terrivelmente por esse desinteresse governamental, aí eu incluo todos, sem distinção partidária. Conheço boa parte do nordeste, sou filho de nordestino, minha mulher é nordestina nascida em áreas de seca e sou caboclo amazônida que desenvolveu trabalhos técnicos durante anos dentro da floresta.

    Curtir

  13. Caro Lucilo, a questão, fundamentalmente, é que as ONG’s são uma forma de países estrangeiros “marcarem território” na Amazônia, pois sabe-se que há muita riqueza, não apenas mineral, de petróleo e gás, mas sim riqueza de fauna e flora (quantos novos
    fármacos podem ser feitos e patentiados, daí a biopirataria, já que o governo federal brasileiro não se interessa em proteger bem a Amazônia, como faria se esta fosse em território do EUA ou de qualquer outro país desenvolvido). Já no Nordeste, não há toda essa abundância de riqueza, portanto, quase nada de ONG’s estrangeiras por lá.

    É incrível como os governantes deixam a Amazônia desprotegida, à merce de gringos inescrupulosos, que entram com facilidade e promovem a biopirataria. Outra coisa é o crescente desmatamento. Esse papo de sustentabilidade é uma enorme FALÁCIA, pois com a população nacional e mundial crescendo, o consumo de alimentos e bens aumenta e aí…. Acho que futuramente o quê restará da Amazônia são enormes parques e reservas indígenas, pois a grande parte será devastada, pois é a última fronteira agrícola
    para o nosso país. É porque nossa economia ainda é e será baseada em boa parte em agricultura e pecuária, ambas para exportação. Só um complemento: há cerca de uns 15 anos, começou em Santarém (e noutras partes do Estado do PA)
    uma onde chegada de agricultores gaúchos, chegaram comprando
    terras (estas, mais baratas que no Sul) e plantando soja. Tanto que em Stm a multinacional Cargil tem um porte, aonde navios estrangeiros vêem buscar a soja, pelo rio Amazônas. Não sou contra isso, mas há que ter um limite para a devastação em prol da pecuária e agricultura. Mas o brasil (em minúsculo, mesmo !) só vai se livrar dessa forte dependência da agricultura quando investir PESADA E SERIAMENTE em todo o seu sistema educacional e científico, para então poder, depois de um tempo, GERAR TECNOLOGIA DE PONTA, para exportá-la, vendê-la e o país lucra mais com isso do que com agricultura.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s