Os dados já estão rolando

Por Gerson Nogueira

bol_qua_150513_15.psFelipão é cabra teimoso, turrão, mas de burro não tem nada. Sua opção por uma seleção mais “nacionalista” do que todas as últimas que disputaram competições oficiais é a prova de que está buscando a plena identificação do time com a torcida. Fez isso com sucesso em Portugal em 2005 e 2006, fazendo o país abraçar a seleção como nunca havia ocorrido antes.

O problema do retorno de Felipão à Seleção são as dificuldades naturais de uma época particularmente pobre em talentos, talvez a pior desde a Copa de 1978. Vai arcar com as vaias e críticas pelos jogos ruins (como em Belo Horizonte, recentemente), mas qualquer outro técnico enfrentaria os mesmos problemas para armar hoje um bom time nacional. Desconfio apenas que Felipão está tornando tudo mais difícil ainda.

Apesar da grande repercussão, sua lista para a Copa das Confederações chamou atenção muito mais pelas ausências do que pelos nomes lembrados. Deixar de fora nomes como Ronaldinho Gaúcho e Kaká, apesar do currículo de ambos, não chega a ser pecado tão terrível assim. Duro mesmo foi ver a barração de Ramires, um dos grandes volantes do futebol mundial, que certamente iria somar muito ao lado de Paulinho, Hernanes e Oscar.

Gaúcho, que teria sido excluído por suposto atraso na apresentação em BH, rendeu pouco no amistoso com o Chile e este tenha sido o fator determinante para a decisão do treinador. Aliás, na Seleção, o meia atleticano poucas vezes arrebentou de fato. Quanto a Kaká, vem mal das pernas desde 2010 e jamais conseguiu se impor como titular no Real Madri. A experiência de ambos talvez seja útil ao escrete, mas tecnicamente não há grande perda com suas ausências.

Quanto ao meio-de-campo, setor que é hoje o calcanhar-de-aquiles do time, soa esquisita a opção por Fernando, que é bom jogador, mas está muito abaixo do nível de Ramires. Com o volante do Chelsea ao lado do corintiano Paulinho, Felipão teria uma dupla em condições de abastecer o ataque e ajudar na armação. Rápida e eficiente, bem ao estilo dos grandes clubes europeus.

Em entrevista recente, o técnico debochou dessa preocupação, afirmando que só jornalistas gostam de volantes ofensivos. Dias depois, o mundo viu, assombrado, os confrontos entre alemães e espanhóis pela Liga dos Campeões. Alguns dos craques de Bayern, Borussia, Barcelona e Real estarão no Brasil no ano que vem jogando o Mundial e – coincidência ou não – atuam justamente como volantes modernos, capazes de lançar e fazer gols.

Já há algum tempo Felipão mostra-se antiquado em relação ao futebol praticado hoje no mundo. Seus próprios insucessos recentes no exterior confirmam esse descompasso. Continua refém da ideia de um time com posicionamentos marcados, quase estanques, dividido entre defesa e ataque. Cultiva o gosto por bolas aéreas, o que não seria nenhum problema se o time tivesse mais alternativas de chegada à área adversária.

A incrível presença de Hulk na seleção, desde a era Mano Menezes, é algo que só encontra explicação nesse pendor dos técnicos gaúchos por avantes forçudos, que levam a bola na marra e às vezes encontram o rumo do gol. Não satisfeito em levar apenas Hulk, Felipão chamou também Leandro Damião, que é apenas um pouco menos trombador.

Um de meus pesadelos recorrentes sobre a Copa no Brasil é ver na final uma Seleção desesperada por empatar e Felipão ao lado do campo mandando Hulk, Damião, Felipe Luís e todos os brucutus possíveis para o jogo do abafa. Rezo para que a realidade seja menos cruel.

———————————————————–

Tempos modernos na Curuzu

A torcida se agita, inquieta e ávida por notícias. Quer saber das contratações, como nos velhos tempos. A diferença é que hoje o Paissandu é dirigido por gente que pensa profissionalmente.

Não há aquela preocupação demagógica com o oba-oba, a superexposição, os exageros midiáticos, tão ao gosto de gestões recentes. Os reforços chegam e são anunciados discretamente, sem a presença de dirigentes para capitalizar holofotes.

Depois de muito tempo, jogadores chegam sem a pompa que o provincianismo costuma dar a esses eventos rotineiros. Imagine se uma empresa interrompe seu funcionamento normal para estender tapetes para um novo funcionário?

No futebol moderno, com a exceção reservada aos jogadores de fato excepcionais, o procedimento deve ser o mais simples possível. O Paissandu está implantando esta nova cultura, superando problemas que hábitos enraizados deixaram pelo caminho.

Ainda se ouve, aqui e ali, gente – inclusive da própria imprensa – reclamando da “falta de novidades” sobre reforços. Quando você ouvir um comentário desse tipo, acredite: é sinal evidente de que as mudanças estão funcionando. Ainda bem.

———————————————————-

Direto do Twitter:

“Fica tranquilo, Bruno, a poesia do futebol está no frango, como dizia tio Nelson Rodrigues”.

De Xico Sá, consolando o goleiro palmeirense, que engoliu galináceo monumental do Tijuana.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 15)

16 comentários em “Os dados já estão rolando

  1. Para o time sofrível que o Palmeiras tem, cair nas oitavas da Libertadores até que foi um grande resultado. Achei que o porco não passaria nem da primeira fase.

    Curtir

  2. Gerson e amigos, tempo vai mostrar se essa demora foi por prudência, profissionalismo e tudo mais….

    Vale dizer que o Eduardo Ramos, se não fosse o Aguilera bater o pé, como nos velhos tempos, passando por cima dos novos tempos, o Paysandu não teria contratado esse jogador… É bom não confundir pressa, com agilidade nas contratações….

    É a minha opinião.

    Curtir

  3. Deste time eu só não convocaria o Julio Cezar. Ah, também discordo da não convocação do Ramires. Mas, no particular, de dizer a favor do Felipão, que o Julio Cezar fez muito boas partidas desde que voltou. E que o Ramires, ou melhor, a ausência do Ramires por motivos alheios ao futebol, não é motivo para que eu, desde logo, me aborreça com o Felipão, como no passado me aborreci quando ele, o Felipão, num comportamento semelhante, barrou o Romário. Muita sorte e muita graça ao Felipão e aos seus eleitos.

    Curtir

  4. Eu acho o Ramires o melhor volante à disposição, o Jô em melhor forma que o Leandro Damião e não encontro justificativa para a convocação do Hulk. No entanto, como se trata do desafio de dar um padrão de jogo à seleção, pouco importa se foi A e não foi B o escolhido pela Comissão Técnica, importa é saber se essa seleção terá condições de praticar um futebol competitivo a ponto de candidatar-se ao título e resgatar a credibilidade junto ao torcedor, até aqui tomado por um longo ceticismo por motivos sobejamente conhecidos.
    Com efeito, é preciso superar o desafio tático de compactar a equipe, reduzindo a distância entre seus setores e fazendo a todos compreender que sem a bola nos pés eles também tem uma função; superar o desafio técnico de criar jogadas, tanto pelos flancos do campo quanto por dentro, exigindo o máximo de participação dos jogadores; e, ´principalmente, superar o modo burocrático de atuar de algumas peças. A principal delas Neymar, muito hábil quando enfrenta marcação a distância, porém, diante de times que não dão espaço, sempre faz a coisa errada, como prender a bola em demasia, tentar cavar falta e outras jogadas desnecessárias.
    Finalizar lembrando que, em 2002, a seleção foi à Copa cercada de desconfianças e voltou campeã, mesmo com uma equipe que tinha Roque Jr., Edmilson, Kleberson, Gilberto Silva, dentre outros que não gozavam da simpatia do torcedor, enquanto a de 2006, cheia de ícones como Ronalducho, Ronaldinho Gaucho, Adriano revelou-se mais um grupo de pagode do que um time digno de representar o futebol brasileiro e frustrou grande parte da torcida, que esperava um show de bola e teve que assistir a mais patética de todas as ajeitadas de meião da história do nosso futebol.

    Curtir

  5. esse Palmeiras que jogou ontem, PERDE pro PAPÃO fácil, fácil!!
    e essa Tia Joana vai pegar uma bela “pisa” do Galo.

    Curtir

  6. Do Presidente do Fortaleza:

    “Estamos agindo acima do limite do clube. Buscaremos de três a cinco reforços para chegar e vestir a camisa. Propostas foram feitas e aguardamos a resposta dos empresários dos atletas”, disse Osmar Baquit que confirmou conversas com os atacante Léo Ramalho e Marcelo Nicácio.

    Curtir

  7. Na minha modesta opinião, Felipão so errou ao convocar esse goleiro frangueiro Julio Cesar. No mais, Felipão convocou quem podia ser convocado e devia ser convocado. Paciência, se a carência de craques do atual futebol Brasileiro é a bola da vez. Acertou não levando Gaucho e Kaka, velharias que nem no auge da carreira conseguiram render bem na seleção. Imagine agora como medalhões. Não dá. Eu se fosse o Felipão, em vez de convocar todos esses desconhecidos, eu daria uma oportunidade de ouro ao Ganso, so para ver se ele derrepente não deslancha, pois Ganso era a bola da vez para a Copa 2010 e saiu como injustiçado, ao não ser levado pelo Dunga. Daria também uma oportunidade para o goleiro do Corhinthians e Ramires. Mas quanto a não convocação de Ramires, tenho a impressão, se não tiver enganado, que na conjuntura atual, é o único com garantia de convocação para a COPA 2014, e por isso acho que Felipão está querendo encontrar mais um volante igual a ele. Quanto aos outros inclusive Neymar, acredito que não tem vaga garantida pelo futebolzinho que está jogando. Pode até ter se for pela pressão da mídia através de empresários. mas pelo futebol não, ainda precisa comer muito feijão com arroz, porque não está rendendo nada.

    Curtir

  8. Amigo, Rodrigo, li no Amazônia hoje que os times de Rondônia não vão abrir mão da vaga para série D. Disseram que é impossível isso acontecer.

    Quanto a esta nova postura/cultura que o Gerson falou na Curuzu, realmente é mais um adentro do Vandick. Mas confesso que às vezes me passa a ideia que ele acredita muito no Lecheva e seus comandados. Acho isso perigoso. Porque mais na frente ele pode ver que não é isso tudo e correr desesperado atrás de reforços. Também acredito que contratações pontuais, mas que realmente sejam reforços pontuais. Esse Careca que o Gerson disse no twitter, por exemplo, eu nunca ouvi falar. Claro também que eu não acompanho futebol como muitos amigos aqui.

    Curtir

  9. Bom dia Gerson Nogueira e amigos do Blog;
    Há muito que a Seleção Brasileira deixou de interessar-me, desde quando as convocações feitas por empresários, mostrou à plebe, a verdadeira cara da cbf, ou seja, um antro de corrupçãpo, mas não dá para ficar alheio e sempre volto a dar um pitaco, desta feita, penso que o que destoa mesmo é o técnico, Sofrível, esse Felipão, então as convocações, bom deixa prá lá.
    Em se tratando do Grande Bicolor Amazônico, concordo com a coluna, também entendo como muito profissional a condução das contratações, porém, ontem, a Pseudo Bomba, aventada pelo grande baluarte Cláudio Santos, deixou este blog, em polvorosa, é natural e aproveitando esse ensejo, ontem o Dinho Menezes noticiou que o uruguaio Oliveira, muito bom de bola, poderá ser contratado, legal mesmo, mas, o que venho lembrar neste momento é que é prática usual e reconhecida como acertada a contratação de pelo menos um jogador que além de ser craque, promova a agremiação como o foram Ivair, Flávio, Fio Maraviçlha, Chico Fraga, Chico Spina, Dadá “Jacaré” Maravilha, RobGol e o próprio Wandick; nesse diapasão, só percebo um atleta, também uruguaio com recente e vitoriosa passagem pelo glorioso carioca, refiro ao LOCO ABREU, ele mesmo, muito interessante seria essa contratação, patrocinador para atleta desse quilate, penso que não faltará.

    Curtir

  10. Vejo com muita felicidade a forma como o Paysandu é dirigido hoje. Sem aquela pirotecnia de outrora onde o porteiro dava “em primeira mão” o jogador a ser contratado. É natural que muitos acostumados àquela velha prática sintam-se desconfortáveis.

    Acompanho o Mercado da Bola e lá eles divulgam as negociações feitas pelos clubes e sinceramente, acho que o Paysandu está no caminho certo, contratando com coerência e pensando a cada passo.
    Para nós não há segredo em como jogam os três reforços e de cara sabemos que serão titulares.

    Curtir

  11. Também gosto da forma como o Paysandu vem sendo dirigido, é claro que todos sabemos que o time necessita de reforços e eles estão vindo, mas como colocou o Gerson, sem aqueles estardalhaços do passado.

    Cabia nesta Seleção o marcos Rocha no lugar do Jean.

    Esse jadosn também não me agrada. Mas como brasileiro vou torcer pela minha Seleção nacional.

    Brasiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiil

    Curtir

  12. Camarada Dennis;
    Não é muito difícil trazer o Loco Abreu, senão vejamos, ele hoje é banco no Nacional do Uruguai, inclusive o Recoba, lá também é banco e nós sabemos quem é Recoba, então, analisa as vantagens de jogar no Brasil hoje, que são um atrativo prá qualquer atleta:
    1- Copa das Confederações daqui a 30 dias;
    2- Copa do Mundo daqui a um ano; desde ontem, os holofotes do mundo estão no Brasil, quem estiver aqui será visto e valorizado, jogando no Uruguai só lá será visto.
    Percebe por que entendo que é uma contratação plausível e interessante? existe o interêsse de ambas as partes, penso.

    Curtir

  13. Se o Paysandu contratar o Careca, penso que será um bom reforço. Vou torcer pra que essa notícia se concretize. Bora Papão!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s