14 comentários em “Capa do Bola, edição de sexta-feira, 01

  1. Essa contusão do Rafael Oliveira, depois de ter batido uma Ressonância e nada ter dado, me faz pensar que é por raiva de ter perdido o lugar para o Iarley, já que ele, diz-que, se contundiu ontem e, desde 3ª feira estava sendo barrado nos treinos… Vai fazer de tudo pra ficar de fora, a não ser que venha uma pressão dos dirigentes pra cima dele… Anotem..

    1. Ainda acho, amigo Cláudio, que o Rafael é titular absoluto. Não merece essa campanha tenebrosa que parte da torcida move contra ele.

  2. Caríssimo Gerson e demais amigos do blog penso que para o Rafael é um momento decisivo para se firmar como titular no ataque do Papão e analiso por dois flancos:
    1) Se ele for no banco e de repente entrar e marcar o gol do título irá aos céus em segundos.
    2) Se entrar jogando e mesmo que tenha uma dedicação tática impecável e não marcar um gol desce para um inferno astral sem precedentes.
    Apesar de tê-lo criticado no ano passado e ainda achar que o mesmo perde um carrilhão de gols para marcar um, daria um voto de confiança, ele precisa de incentivo, motivação e autoafirmação. Neste hora a cabeça do jogador deve estar centrada, focalizada em um único objetivo: jogar bem. Quanto a fazer o gol este será conseqüência do que já foi descrito.
    Creio que o Lecheva deva estar arrumando este time para não ter falhas e se as tiver não sejam comprometedoras a ponto de ver o título do primeiro turno ficar com o rival!
    O Rafael é Paysandú e isto pesa bastante quando se é um jogador e torcedor ao mesmo tempo.
    Também estou convicto que se marcar um gol no domingo ele deslanchará inclusive com probabilidades de pedir a música do Fantástico é esperar para conferir!
    Do outro lado da avenida não temos um time bobo, o adversário está sedento, desejoso, ávido pelo título. No primeiro embate demonstrou que cederá duramente esta peleja, os “caras” são dedicados e fechados entre si, o técnico deu mostras do seu valor e que fará de tudo para conquistar o turno!
    O ataque remista não merece comentários, ele é valoroso por si só, O Val Barreto vale o quanto pesa, e sem dúvida nenhuma se ele estivesse do lado bicolor já seria o artilheiro do parazão, o rapaz é matador! Um bom achado que há muito tempo não víamos em nosso futebol.
    O clássico de domingo irá premiar uma das duas melhores equipes desta competição e espero que seja o PAYSANDÚ, é claro por ser bicolor, assim como os torcedores do leão o querem vencedor!
    Que vença o mais astuto, o mais sábio, o mais oportunista. Que neste domingo de decisão o Mangueirão esteja coberto de PAZ e por um clima de confraternização do futebol. Como do já disse outras vezes adversários sim mas inimigos nunca!
    Aqui em João Pessoa, nós paraenses, um grupo de aproximadamente 50 pessoas, iremos nos reunir na casa de um amigo também do Pará para lá fazermos um mini-Mangueirão, há torcedores dos dois clubes, e regados a uma boa maniçoba, um delicioso pato-no-tucupi, tudo importado, é claro, e tomando uma gelada torceremos pelas nossas preferências no dérbi!
    O futebol tem que ser encarado apenas entre as quatro linhas, fora nas arquibancadas, devemos ter a festa que só o torcedor paraense sabe fazer!

  3. Miguel, achei interessante a conclusão do teu comentário, sobre a sucursal do Mangueirão aí na Paraíba. É verdade, fora os “terrores da moçada” estúpida, que não é a maioria dos torcedores da dupla Re/Pa (longe disso), não vejo está hostilidade toda entre os torcedores comuns. Estes têm, parentes, amigos, conhecidos etc adeptos dos dois clubes e convivem muito bem numa sadia encarnação ou zoação, como se usa dizer mais recentemente, seja na rua, na escola, no trabalho etc. A propósito, lá no meu trabalho, onde têm alguns, que mesmo sem comentar costumam visitar o blog, duas expressões usadas aqui, tem feito muito sucesso nas amistosas encarnações – azul calcinha e cachorro de peruca. Digo isso, porque aqui no blog, guardadas as devidas proporções, às vezes, nos deixamos envolver num clima parecido com o das “organizadas” e nos permitimos hostilidades as mais diversas. Valeu Miguel! Agora, não exagere na maniçoba. Afinal, aí tão distante, certamente não tem um Penico da Santa Casa. Lembra dessa. Rsrsrsrs.

  4. Concordo plenamente com o Gerson Nogueira que na post.3 defende a titularidade que o Rafael Oliveira fez por merecer neste parazão.apesar de admirar e respeitar o Cláudio Santos confesso que tenho ficado decepcionado com seus comentários sempre desvalorizando jogadores e técnicos prata da casa,

  5. Amigo Antonio me permita discordar de vc meu dileto amigo.

    Tais brincadeiras feitas aqui no Blog desde que não descambe para palavrões ou ataques pessoais que ferem a honra e a dignidade de cada um, são na minha opinião de boa aceitação.

    Por exemplo o nosso querido Rocildo tem apimentado este espaço com suas brincadeiras e suas histórias do tempo da criação da roda, onde não vejo nada de errado.

    Como vc disse essas brincadeiras acontecem no nosso cotidiano, no meio que a gente vive.

    Não podemos nos comparar com as gangues organizadas, já que eles só falam em matar e morrer.

    Eu tenho um amigo que todos os jogos de Papão e Remo colocamos uma Coca Cola no fogo, este domingo será um pacote, e olha que nossa brincadeira já vem de uns 4 anos pra cá.

    Eu da minha parte sou adepto a uma boa brincadeira, pois gosto muito daquela frase que diz que das coisas menos importantes é o futebol a mais importante.

    Com tantas coisas ruins que acontece, não podemos em hipotese alguma marginalizar o nosso querido futebol.

  6. Relacionados do Paysandu para o clássico de domingo:

    Goleiros: Zé Carlos e Paulo Wanzeler
    Zagueiros: Thiago Costa, Raul, Pablo e Diego Bispo
    Lateral-direito: Yago
    Lateral-esquerdo: Rodrigo Alvim
    Volantes: Ricardo Capanema, Vanderson, Billy e Esdras
    Meias: Djalma, Eduardo Ramos e Alex Gaibú
    Atacantes: João Neto, Rafael Oliveira, Iarley e Heliton

  7. Boa noite. Não entendo muito de futebol, mas não haveria possibilidade do Lecheva escalar Iarley no lugar de Djalma, mantendo joão Neto e Rafael Oliveira no ataque. J. lima.

Deixe uma resposta