Esquema mundial de manipulação é investigado

Da Folha de S. Paulo

000_aph2002060595669A Europol, organização europeia de polícia, informou nesta segunda-feira que descobriu uma rede de corrupção internacional no futebol profissional na qual estão envolvidos mais de 15 países no mundo todo e que já realizou 50 detenções. Estão sob suspeitas inclusive jogos da Copa dos Campeões da Europa e das eliminatórias da Copa do Mundo.

O diretor da Europol, Rob Wainwright, informou que “foram identificados mais de 380 partidas de futebol profissional nos quais houve práticas de apostas ilegais”, e que “essa ampla rede criminosa é controlada desde a Ásia”. Entre essas partidas “ficou provada a prática de combinação de resultados em 150 casos”, acrescentou um dos policiais que participaram da investigação. “Realizamos a maior investigação sobre partidas suspeitas no futebol”, disse o diretor da Europol, ao mesmo tempo em que acrescentou que esses supostos delitos envolvem “enormes quantidades de dinheiro”.

Entre os países investigados figuram Alemanha, Áustria, Eslovênia, Reino Unido, Hungria, Holanda e Turquia, além de países africanos e sul-americanos. Wainwright informou também que a Europol “emitiu 28 ordens internacionais de prisão” e outras 50 pessoas já foram detidas. Os especialistas da Europol investigaram durante 18 meses um total de 425 jogos de futebol oficiais, assim como representantes de clubes, jogadores e criminosos que são suspeitos de envolvimento com os casos de corrupção.

Segundo as informações da organização do Serviço Europeu de Polícia, essas operações teriam dado lucro de 8 milhões de euros (cerca de R$ 21,5 milhões) e essa rede teria efetuado pagamentos no valor de 2 milhões de euros (R$ 5,4 milhões) em subornos, sendo 140 mil euros (R$ 380 mil) o maior realizado a uma pessoa. O diretor da Europol acrescentou que os resultados da investigação apontam “em direção a um grande problema de integridade no futebol europeu”.

Os investigadores disseram que não serão divulgados nomes de jogadores ou clubes enquanto a investigação estiver em andamento, mas apontaram especificamente para o jogo entre as seleções sub-20 da Argentina e da Bolívia, válido pela Copa Córdoba, em 2010. O confronto acabou 1 a 0 para os argentinos com um gol de pênalti aos 56min do segundo tempo. O árbitro húngaro Lengyel Kolos deu 13 minutos de acréscimo em uma partida que não teve apagão ou confusão, apenas uma parada técnica de poucos minutos.

Deixe uma resposta