Leão e Papão estreiam mal na Copinha

Remo e Paissandu estrearam mal na Copa S. Paulo, amargando derrotas para Santos e Comercial de Ribeirão Preto, respectivamente. Na sexta-feira à tarde, o Leãozinho foi vencido pelo Santos por 3 a 0, com gols de Jubal, Léo Citadini e Stéfano Yuri. No primeiro tempo, o Remo sofreu um gol logo aos 5 minutos, em falha do goleiro Elielson. Sem entrosamento e pouco efetivo na marcação, o time paraense ainda teve um pênalti contra si, cuja cobrança Elielton defendeu. O goleiro ainda se destacaria por mais três grandes defesas nesse período inteiramente dominado pelo Santos. Na etapa final, o Remo voltou mais combativo e desperdiçou duas chances de empatar, com Rodrigo e Jaime. No final, cansado, permitiu que o Peixe ampliasse o placar para 3 a 0.

No sábado pela manhã, o Paissandu foi derrotado pelo Comercial por 2 a 0. Sem jogar bem, o time paraense equilibrou o primeiro tempo, mas acabou dominado no segundo. Caíque, aos 12 do segundo tempo, e Sídnei, aos 41, marcaram os gols do triunfo do Comercial.

17 comentários em “Leão e Papão estreiam mal na Copinha

  1. Claudio, Gerson e amigos na verdade eu já esperava essas duas derrotas, o Remo pq simplesmente jogou com o Santos, campeão paulista da categoria.

    E o Paysandu pq foi sem nenhuma pretensão, enquanto o rival foi de avião, o papão foi de ônibus.

    Se um dos dois ainda se classificar, tá mais pro rival, essa que é a grande verdade.

    Essa competição é importante, mas nossos dirigentes não pensam assim, por isso que vão morrer contratando carradas de bondes.

    Curtir

  2. Investir e planejar são duas coisas necessárias e fundamentais. Pelo que fundamental significa, o que funda e estrutura o que vem depois, nossos dirigentes ainda não têm essa palavra no léxico.

    Curtir

  3. De fato, os técnicos são inteiramente despreparados. Os times não têm noções mínimas de organização em campo. O Remo, na sexta, deixou o Jaime entre dois gigantes do Santos durante todo o primeiro tempo. Não viu a cor da bola.

    Curtir

  4. Espero que glorioso Wandick possa tirar do papel suas ideias de construir um centro de treinamentos adequando, para que possa ser feito um melhor trabalho de base com os garotos de Belém e do Pará. Mais para que isso possa transcorrer de uma forma coesa, ele terá de contratar profissionais especializados para fazer o acompanhamento dessa garotada, tipo, bons preparadores físicos, fisioterapeutas, nutricionistas, fisiologistas, massagistas, tudo de primeira qualidade, afinal de contas, se for para fazer, tem de fazer muito bem feito, caso contrário e melhor deixar do jeito que está as coisas.
    Não esquecendo, do mais importante, contratar bons treinadores para treinar esses garotos, tipo, Charles Guerreiro, Samuel Cândido, Sinomar Naves, NAd, gente que sabe falar a língua da boleiragem e conhece do assunto. Já que o clube não reuni condições financeiras de trazer treinadores de base, do nível de um Milton Cruz do São Paulo, então temos de nos contentar com os melhores treinadores do futebol do Pará, que são estes que citei, ainda tem mais alguns outros, tipo Valtinho, Fran Costa, Lecheva entre outros…

    Curtir

  5. Não e verdade Gersão? Se o Paysandu realmente conseguir realizar este sonho para o futebol do Pará, de construir um centro de treinamento, com todos os profissionais adequados, com alojamento, com uma boa equipe técnica formada pelos melhores treinadores que nos temos aqui em nossa região, tenho certeza que isso poderá dar um bom samba enredo para o futebol paraense como um todo, principalmente para o Paysandu. Acho que todos tem a ganhar, não somente o clube em questão, mais imprensa, torcida, e os próprios jovens, que podem ter um melhor acompanhamento físico, tático e ate mesmo pessoal, com o auxílio de uma equipe de psicólogos, tudo para produzir não só novos craques, mais também cidadãs de bem, isso pra mim, e uma grande iniciativa de ajudar o lado social de nossos jovens que vivem em sua grande maioria em condições de desigualdade, vivem em volto a criminalidade, isso e muito positivo a meu ver, não sei se os demais colegas do blogue concordam, mais e o meu entendimento para um mundo melhor.

    Curtir

  6. Agora a parte mais difícil: calcular o custo de todos esses massagistas, preparadores físicos, fisiologistas, nutricionistas somado à ajuda de custo para os atletas, aos alojamentos, à alimentação (para que saiam da desnutrição crônica): um trabalho sério não sairá por menos de trezentos mil reais/mês. Ou seja, devido à precariedade de nossos clubes, um centro de treinamento, ao invés de uma fonte de renda, será mais um estorvo, um fardo a se carregar, que acabará abandonado. Remo e Paysandu não conseguiram manter sequer os placares eletrônicos que haviam sido instalados (por doação) em seus estádios.

    Curtir

  7. E porque não Cláudio? Acho que eles (treinadores citados) podem ser muito bem aproveitados como treinadores de base, podem render muito mais com os garotos do que rendem com os times profissionais. Afinal de contas, caso você não tenha prestado atenção, apenas mencionei o nome destes acima, pelo fato do Paysandu não dispor de condições financeiras para trazer “vários” profissionais no nível de um “Milton Cruz” que pra mim, sem dúvida e o melhor treinador de base de todo futebol brasileiro.

    Curtir

  8. Concordo contigo Éverton Castro, mais vale ressaltar que segundo o próprio Wandick Lima, o departamento de marketing bicolor, está correndo atrás de parcerias para poder pelo menos iniciar este grandioso projeto, agora mante-lo em funcionamento, já será um outro estágio mais complexo, mais isso e um desafio que o novo presidente está disposto a resolver.
    Se todos pensarem como você meu amigo, então e melhor os nossos clubes fecharem a porta de vez, pois tem de meter a cara e ver no que vai dar. Se tantos e tantos outros clubes do Brasil, sem expressão nenhuma no cenário nacional, dispõem de centros de treinamento, porque Paysandu e ate Remo, Tuna e São Raimundo não podem ter, citei estes, pelo simples fato de todos já terem sido campeões brasileiro. Acho que desafios são para serem superados, ultrapassados e deixados pra bem longe, somente os fracos pensam que nada irá dar certo, verdade, pode ate não certo, mais só poderemos saber se vai dar certo se tentar.

    E melhor morrer tentando, do que morrer sem tentar!

    Curtir

  9. O Paysandu já tentou! Por volta de 1992 tinha uma sede campestre e nunca conseguiu viabilizar um CT. Depois, em 2004, tentou usar a sede do antigo Teleclube e novamente não deu certo por absoluta falta de recursos financeiros. Hoje, a situação financeira é ainda mais grave e a construção de CT não soa mais nem como sonho e sim como loucura. Volto ao exemplo do placar eletrônico pifado e abandonado…

    Curtir

  10. Sim Éverton! Como havia dito acima, se não for tentado amigo, então e melhor tanto nós bicolores, quanto os azulinos enrolarmos as nossas bandeiras e queima-las junto as camisas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s