Salve a Águia Guerreira do Souza!

O blog abre os trabalhos nesta quarta-feira destacando o principal fato do dia: o aniversário de 110 anos de fundação da Tuna Luso Brasileira, bicampeã brasileira e um dos clubes mais antigos em atividade no país. Dona de apaixonada torcida, diferente pela própria natureza, a Águia Guerreira do Souza foi fundada pela colônia portuguesa, mas com o passar do tempo se transformou numa agremiação querida por todos os paraenses – inclusive meu amado pai, José Dias, lá em Baião. Berço de bons jogadores – como China, Antenor, Fefeu, Bosco, Marinho, Guilherme, dentre outros – e craques indiscutíveis, como Geovani e Paulo Henrique Ganso, a Tuna é uma das glórias do desporto paraense. Vida longa à Lusa!

16 comentários em “Salve a Águia Guerreira do Souza!

  1. Manoel Maria, Haroldo, Délcio, Mesquita, Da Silva, Valtinho, Leonidas, mas o maior e melhor de todos foi o deus Grego Giovanni.

  2. São 110 anos de muitas glórias, dois títulos nacionais, 10 regionais no Futebol e muitos outros títulos e troféus em vários esportes, inclusive no raro Tiro ao Alvo, onde tivemos um dos maiores atletas nacionais e o campeão olímpico Guilherme Paraense.
    A Tuna sempre foi destaque no Reo, onde conseguiu 40 títulos ganhos heroicamente na Baía do Guajará, além de ter sido destaque no Futebol de Salão (hoje, Futsal), Tênis, Natação, Basquete e outros esportes.
    A Tuna sempre foi um destaque também no Social e mesmo qe não tenha a maior torcida, tem um torcedor fiél, que ama as cores Verde, Branca e Verrnelha.
    Parabéns à minha querida Tuna Luso Brasileira!

  3. Parabéns a esta querida agremiação, parabéns a todos que escreveram seu nome honrando as cores da Tuna Luso Brasileira, Bi-Campeã Brasileira. Alguns ainda estão por lá, prestando seus serviços, como o querido Antenor, transmitindo seus conhecimentos às novas gerações. Parabéns!!

  4. 110 anos de muitas alegrias para nos Tunantes e para toda a cidade. Tenho grandes e boas lembranças tanto dos esquadrões campeões , como de outros sem títulos.
    Mas na minha memória há um time que jamais vou esquecer o de Campeao de 1970.

    Olhem a escalação da Águia Guerreira de 70:

    TUNA – Omar; Marinho, Abel, Carvalho e Acari; Antenor e Waltinho; Fefeu, Mesquita, Leônidas (Nilson) e Gonzaga.

    Notem que Nilson “Diabo”era reserva.

  5. Parabéns aos tunantes. Meu tio, Raimundo Nantes (era tunante até no nome), enfermeiro da gloriosa, deve estar comemorando no céu. Em dezembro 1985, á altura de meus 16 para 17, tive a honra de jogar uma pelada na “Granja” junto com o cracaço Fernando da Tuna, que naquele jogo reforçou o time do SBT. Inesquecível! Recebi um passe primoroso dele e correndo pela ponta em diagonal, tal como Müller do São Paulo, cruzei à meia altura para o nosso centro-avante (motora do SBT na época) fazer o gol. Nunca esqueci do Fernando, nem daquele jogo. Ave Guerreira!

  6. Desejo que a Tuna Luso Brasileira volte a ocupar em breve o seu verdadeiro espaço no cenário estadual e nacional, conquistando títulos e formando craques. Obrigado aos amigos pela lembrança, gentileza e palavras de carinho. Parabéns e vida longa para a Tuna Luso Brasileira!

  7. Sarará, Pinheiro e Nonato, Satiro, Iran e Muniz, Estanislau, China, Teixerinha e Juvenil era um timaço e a base da seleção paraense que deu de 7 a 0 na amazonense.

  8. Alguém poderia dar alguma posição sobre o livro que o jornalista Ferreira da Costa escreveria contando a história da Tuna Luso Brasileira?
    Pelo que foi divulgado, estaria acertado entre as partes interessadas (Tuna e jornalista) que o livro se intitularia “TUNA – SUAS GLÓRIAS, SUA HISTÓRIA” e mostraria como se deu a fundação da Agremiação, a consolidação do seu grande patrimônio, as conquistas alcançadas nos esportes amadoristas, suas conquistas no futebol (10 Campeonatos do Pará, 2 Campeonatos Nacionais), participação na Taça Brasil, Copa do Brasil, biografias de grandes craques, ex-atletas, biografias de grandes dirigentes, afinal, toda a trajetória gloriosa da Elite do Norte.
    O livro deveria ter ficado pronto e impresso em dezembro de 2011 e lançado no início de 2012 mas até agora nenhum sinal do livro!
    A Tuna acabou de fazer 110 anos e o livro poderia ter sido um grande presente para os cruzmaltinos e para os amantes do futebol. Se alguém tiver alguma posição, por favor informe. Forte abraço!

Deixe uma resposta