O adeus do velho Noriega

Aquele Brasil e Inglaterra de 1959, em que Julinho Botelho foi vaiado por substituir Garrincha, fez um gol logo no início e saiu aclamado do Maracanã. O Corinthians 4 x 3 Palmeiras de 1971 ou a conquista do mundial de clubes de basquete do Sírio, em 1979. Foram muitos os jogos que Luiz Noriega dizia terem sido inesquecíveis. Narrador e comentarista (de 1962 a 1990, fez todas as Copas do Mundo), foi um dos principais locutores esportivos do Brasil. Filho de um espanhol que tinha uma botica e de uma dona de casa brasileira, nasceu em Nova Aliança (SP), mas foi criado em Olímpia. Estudou para ser professor, chegou a cursar direito na USP (sem concluir), mas acabou enveredando para o rádio. Começou na Difusora de Olímpia, na década de 1940.

Nos anos 1950, veio para São Paulo para trabalhar na Tupi. Sondado pela concorrência, ganhou aumento de Assis Chateaubriand e foi mandado para uma rádio dos Diários Associados em Recife. Em 1969, já de volta, entrou para a Cultura, onde ficou até 1987. Passou ainda pela TV Gazeta, na qual fez o programa “Campeões da Bola”. Ligado ao tênis, atuou como vice-presidente da federação paulista e foi assessor de imprensa da entidade.

Recusou convites para trabalhar fora de São Paulo, pois, além de adorar a cidade, queria ficar perto dos amigos e da família. Era casado com a pedagoga Ângela desde 1965. Passara por uma cirurgia devido a problemas oncológicos, segundo o filho Maurício Noriega, comentarista do SporTV. Morreu anteontem, aos 82, de infecção generalizada. Teve três filhos e três netos. (Da Folha de S. Paulo) 

Papão contrata meia revelado pelo Vitória

A Assessoria de Comunicação do Paissandu divulgou, no final da tarde desta quinta-feira, o nome do mais novo reforço do clube. É o meia Esdras, baiano de Porto Seguro, 22 anos, revelado nas divisões de base do Vitória e com passagens pelo Oeste de Itápolis, ABC de Natal, Colo Colo (BA) e Sagrada Esperança, de Angola. O jogador tem chegada prevista para esta sexta-feira.

Leão escalado para enfrentar o Japiim

O técnico Flávio Araújo, do Remo, já definiu a escalação para o amistoso desta sexta-feira à noite com o Castanhal, no estádio Baenão: Fabiano; Zé Antonio, Henrique, Carlinhos Rech e Tiaguinho; Nata, Jonathan, Edilsinho e Endi; Val Barreto e Branco. Outros jogadores devem entrar no decorrer da partida, que faz parte dos preparativos do time para o Campeonato Paraense.

Semelhanças embaraçosas

Por Sérgio Xavier (da Placar)

Alexandre Pato lembra um garoto que surgiu lá na década passada. Freddy Adu nasceu em Gana, se naturalizou americano e pintou como um novo Pelé. A Europa o cobiçou, Adu rodou por clubes em Portugal, na Turquia, na Grécia e hoje ele está atuando na Liga norte-Americana. Aos 23 anos, parece um veterano em fim de carreira. O problema é que ele amadureceu mais cedo que os garotos da sua idade, encheu os olhos dos outros e depois não ultrapassou a fronteira que separa os bons dos realmente fora de série.

Alexandre Pato tem a mesma idade que Freddy Adu e, guardadas as devidas proporções, é parecido. Em 2006 pintou nas categorias de base como um fenômeno. Botava seus companheiros no bolso a ponto da diretoria do Internacional escondê-lo para que não surgissem gaviões para levá-lo antes que pudesse assinar o primeiro contrato profissional. Pato era precoce demais, concluía e pensava como jogador adulto. O Milan pagou 20 milhões de dólares sem pestanejar e o deixou treinando em Milão por seis meses. Pato ainda não tinha idade para jogar o Campeonato Italiano.

A partir de então, Pato não aconteceu. E nem foram apenas as repetidas lesões. Ele virou um bom jogador, não um craque. Teve chances na seleção e não as aproveitou. O potencial pode ser de craque, a realidade recomenda menos empolgação. É esse o jogador que o Corinthians está contratando. Uma aposta, e de alto risco, até porque ele deve sair pela faixa de 40 milhões de reais. Dará certo?

Remo recebe mais três reforços

A_Fo0bNCcAA0Xr2O Remo recebeu no começo da noite desta quarta-feira mais três reforços: o volante Tragodara, 20 anos, o meia-armador Eduardo, 23, e o lateral Berg. Todos chegam aparentando entusiasmo pela chance de defender o Remo. “A expectativa de jogar no Remo é grande, pois trata-se de uma equipe de peso e reconhecida aqui na região. Prometo fazer o máximo”, disse Eduardo, que foi goleador do Campeonato Acreano de 2012 (13 gols) e estava há dois meses sem treinar. Tragodara, outro jogador oriundo do Acre, também chega disposto a brilhar no Evandro Almeida: “Estou com uma grande perspectiva de poder mostrar meu futebol em uma equipe com o tamanho do Remo. Espero contribuir para que o Remo conquiste seus objetivos neste ano”. Berg (foto) foi o último a chegar, por volta das 23h. Sua contratação foi uma das mais complicadas, mas a diretoria conseguiu fechar, atendendo a um pedido do técnico Flávio Araújo. Quanto ao meia Josy, que também chegaria nesta quarta, houve um problema com o voo, mas sua viagem foi remarcada e ele chegará nesta quinta-feira. Todos serão submetidos a exames médicos, antes de assinar contrato com o clube. Segundo a diretoria, o ciclo de contratações será fechado com a contratação de um camisa 10 experiente e de um outro atacante. (Com informações do DOL e Rádio Clube/foto da Ascom do Remo)