A frase do dia

“Estou aliviado. Foram três anos de trabalho duro, para tentar manter a motivação e a energia para seguir em frente. (…) O momento especial obviamente foi quando o time encontrou uma opção com Lewis Hamilton, o que me ajudou a tomar essa decisão. Ainda havia espaço para mim e as negociações estavam acontecendo, mas eu não estava seguro. Às vezes, o destino decide por si mesmo e foi isso o que aconteceu”. 

De Michael Schumacher, anunciando sua aposentadoria definitiva da F-1. 

4 comentários em “A frase do dia

    1. Penso que sai de cena na hora certa, ao perceber que não tinha mais condições de andar no pelotão da frente.

  1. Ontem, acompanhando o treino de Suzuka, vi o Lito Cavalcanti falar sobre um aspecto interessante: Schumacher tinha voltado em uma Fórmula 1 muito diferente da que era quando a deixou. Essa limitação de testes fizeram com que ele e Ross Brawn não pudessem repetir a dobradinha vitoriosa que fizeram na Ferrari. Mas um campeão como ele sempre deixa um bom legado, a Mercedes tá com um bom carro atualmente, mas certamente no ano que vem terá uma das melhores equipes e com um dos melhores e mais ousados pilotos atuais, não podemos não dizer que isso não foi a sementinha plantada pelo heptacampeão. Infelizmente, por ufanismo de Galvão & cia, deixamos muitas vezes de torcer por ele por torná-lo o arqui-inmimigo do nosso todo-poderoso rubinho, mas mesmo se ele voltasse a dirigir uma bicicleta contra outros fórmulas, haveria de se respeitar porque se trata do maior campeão de todos os tempos.

  2. Concordo ser o alemão um grande Piloto, mas o Barrichelo tirou um pouco do brilho de suas conquistas com a mãozinha que o levou ao triunfo em muitas ocasiões. SENA, Emerson e PIquet foram campeões sem divisão ou parceria.

Deixe uma resposta