Brincadeirinha de mau gosto

Em notinha plantada num jornal da cidade, o ex-presidente Amaro Klautau surge com uma anedota para justificar aquele plano maroto de vender o estádio Evandro Almeida a preço de banana para um consórcio de construtoras e empresários de Belém. Por R$ 32 milhões (a perder de vista), AK quase conseguiu transacionar o patrimônio do clube, alegando dívidas monstruosas depois desmentidas pela atual diretoria. No afã de garantir o negócio, cuja comissão era calculada por baixo em R$ 6 milhões, o intrépido cartola mandou retirar a golpes de picareta o símbolo do clube que estava instalado no pórtico do estádio há mais de 70 anos. Temia que a peça fosse usada como justificativa para o tombamento do estádio, inviabilizando a venda.

Agora, para tentar explicar o incansável empenho de dois anos para comercializar o Baenão, alega, mimosamente, que sua intenção era altruísta: temia que as arquibancadas desabassem, provocando uma tragédia. Caso fosse verdade, AK errou duplamente: primeiro, por não alertar sobre o perigo e pedir a interdição do estádio; segundo, por não ter providenciado, como gestor do clube, a imediata reforma das instalações. No fundo, trata-se de um piadista militante. Se houvesse um conselho deliberativo atuante e guardião da história do clube, o ex-dirigente deveria responder judicialmente pelos prejuízos incalculáveis causados ao patrimônio e à imagem do Remo. Felizmente, vozes sensatas prevaleceram e a diretoria anuncia que vai recolocar nos próximos dias o escudo no lugar onde sempre deveria estar: na fachada do Evandro Almeida.

Basquete masculino estreia com vitória em Londres

Foram 16 anos de espera, mas o basquete masculino do Brasil retornou aos Jogos Olímpicos com uma vitória difícil, mas importantíssima. Contra um adversário sempre traiçoeiro, a seleção baseou seu jogo na sólida defesa, embora com discreto aproveitamento no ataque. Com isso, sofreu para derrotar a Austrália por 75 a 71, valendo pelo grupo B. Apesar do bom resultado, a equipe comandada por Rubén Magnano demonstrou falhas ofensivas e sofreu alguns “apagões” durante o jogo, o que irritou o treinador em diversas oportunidades. Com o triunfo, o Brasil largou na frente de sua chave e aguarda o restante da rodada para saber qual será sua posição. O cestinha brasileiro foi Leandrinho Barbosa, que marcou 16 pontos. O armador Marcelinho Huertas também esteve bem e anotou 15 pontos. Tiago Splitter e Anderson Varejão (foto acima) tiveram atuações satisfatórias. Pela Austrália, destaque para Patrick Mills, que ficou com 20 pontos e deu muito trabalho aos defensores brasileiros. (Com informações da ESPN e Folhaonline)