Remo confirma contratação do atacante Mendes

O técnico Edson Gaúcho foi apresentado na manhã desta quarta-feira e dirigiu seu primeiro treino, sem fazer grandes alterações no time titular. Em conversa com os dirigentes, o treinador insistiu com a contratação do centroavante Mendes, ex-Paissandu e Águia. O pedido foi acatado e o jogador deve chegar ainda hoje a Belém. Gaúcho disse também que, se depender de sua vontade, o Remo vai mandar seus próximos jogos no estádio Edgar Proença.

Sob regime linha-dura

Por Gerson Nogueira

O Remo, depois das hesitações de praxe, fez o que precisava ser feito. Afastou o desgastado técnico Flávio Lopes e anunciou o nome do substituto no começo da tarde de ontem. Na verdade, Edson Gaúcho estava contratado desde a manhã de segunda-feira quando contatos foram mantidos na esteira do vexame remista em Rondônia.
A diretoria concluiu que Lopes não poderia mais continuar no comando. Além da derrota acachapante para um time semi-amador, as declarações depois do jogo acabaram complicando de vez sua situação. Sem explicações convincentes para o fiasco, Lopes alvejou os jogadores, dizendo que havia faltado alma e comprometimento.
Esse tipo de afirmação expôs divisões profundas entre comandante e elenco, além de atritos com o vice-diretor de Futebol, Hamilton Gualberto. Alguns sinais de discórdia já eram visíveis, principalmente em relação aos jogadores caseiros, mas Lopes parecia ainda ter o grupo sob controle. A queimação pública, no melhor estilo Zagallo, demonstrou que o treinador estava sozinho.
Pela maneira surpreendente como foi construída, a derrota para o Vilhena chegou a ser encarada por alguns dirigentes como boicote dos jogadores ao técnico. A tese, porém, perde sentido diante da desastrosa atuação de todo o time.
Em desespero pela má estréia, a diretoria apressou-se em buscar um novo técnico, antes que a situação se tornasse irrecuperável. Afinal, caso sofra outro tropeço em casa, domingo, contra o Penarol, o Remo fica em situação dramática quanto à classificação.
A contratação de Edson Gaúcho já havia sido cogitada por ocasião da perda do primeiro turno do Parazão, quando Sinomar Naves era o técnico. Não houve acordo financeiro e o Remo optou por Lopes, indicado pelo ex-gerente Sérgio Papellin.
Não deixa de ser curiosa a preferência por Edson Gaúcho, levando em conta seu retrospecto mais recente e as passagens mal-sucedidas pelo Paissandu. Da primeira vez, abriu guerra com funcionários, jogadores e imprensa. Da última, quando fazia um bom trabalho, foi dispensado após ruidosa queda-de-braço com dirigentes e o veterano Sandro Goiano. 
Gaúcho cultiva um estilo marcial e disciplinador, que nem sempre é bem absorvido pelos boleiros. O regime linha-dura dá resultado imediato, mas costuma ter vida curta. Retomar o caminho das vitórias é a prioridade do Remo precisa neste momento, mas, a médio prazo, a equipe terá que adquirir consistência e regularidade.
Quanto a isso, infelizmente, as coisas não dependem apenas do técnico. O clube deu preferência à contratação de jogadores veteranos (10 no total) em excesso, aproveitados como titulares por Lopes em detrimento dos mais jovens. Essa opção comprometeu a forma de jogar, tornando o time pesado e lento. Gaúcho assume o respeitável desafio de dar ao Remo um perfil vencedor com o precário elenco disponível.  
 
 
Para o confronto com o Penarol, domingo, o Remo disponibilizou 10.986 ingressos, com arquibancadas a R$ 15,00. O relatório emitido pela assessoria da FPF aponta um lote de 1.100 entradas destinadas a um tal CTOCR (Conselho das Torcidas Organizadas do Clube do Remo), entidade desconhecida até então.
Curiosamente, o Conselho tem direito a uma carga especial de ingressos ao preço unitário de R$ 7,00, menos da metade do valor que será cobrado dos torcedores comuns. A razão desse esquisito privilégio é um mistério que só a direção do clube pode explicar.
 
 
A CBF deve oficializar hoje a abertura da Série C pela CBF. A tabela deve ser confirmada pela manhã, com os jogos Paissandu x Luverdense e Fortaleza x Águia mantidos para a primeira rodada, no próximo domingo. Ontem, tudo indicava que a novela chegaria ao fim, mas questões jurídicas adiaram outra vez a definição.
Segundo o repórter Wellington Campos, da Rádio Clube, a logística das viagens está bem adiantada e os árbitros já foram sorteados. Só resta torcer para que a competição comece mesmo e que Treze e Brasil não atrapalhem mais as coisas.
 
 
 
Direto do blog

“Édson Gaúcho na bagunça e na fogueira de vaidades que formam o Remo de hoje?! Ou vai se aborrecer e pedir o boné, ou vai bater de frente e ser demitido!”.

De Carlos Lima, cético quanto ao futuro de Edson Gaúcho no Baenão.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 27)

A frase do dia

“O jogo todo vai ser muito tenso, exige um poder de concentração diferente das outras partidas. Não pode ter tantos erros. Acho que ter uma concentração maior nos primeiros minutos é importante. Mas a parte mental está sendo trabalhada. Nervosismo não tem como não ter, é normal”.

De Emerson Sheik, preocupado com o caldeirão da Bombonera.

Gaúcho chega para assumir o Leão

O técnico Edson Gaúcho desembarcou no final da noite desta terça-feira em Belém, mostrando-se otimista quanto à missão de reabilitar o Remo no Brasileiro da Série D. Ele não comentou sobre possíveis reforços, mas dirigentes admitem que pelo menos dois jogadores (um meia e um atacante) já estão agendados. É provável, também, que Gaúcho libere alguns atletas a fim de reduzir o inchado elenco azulino. (Foto: SIDNEY OLIVEIRA/Bola)