Magrão atrasa decisão e Remo desiste do negócio

A Diretoria do Remo anunciou, no final da tarde desta sexta-feira, a desistência do clube em relação ao atacante Adriano Magrão. O jogador, ainda vinculado ao Paissandu, tinha sua transferência acertada para o Remo, mas desde o começo da semana ficou adiando uma definição. Retornou a Belém na manhã de hoje e informou que antes de se rescindir com o Papão quer reunir com o presidente Luiz Omar Pinheiro, que só estará na cidade no sábado à tarde. Do lado remista, a demora sinaliza o desinteresse do jogador em mudar de clube. Desde hoje, por indicação do técnico Flávio Lopes, os dirigentes já buscam outro camisa 9.

O passado é uma parada…

No gramado do velho Pacaembu, um clássico paulistano recheado de lendas do futebol brazuca. Pelo São Paulo, o zagueiro Bellini, capitão do escrete canarinho em 1958 e primeiro a erguer a Jules Rimet sobre a cabeça, gesto imitado por todos os seus sucessores. Do lado santista, Pepe (11) e o Rei Pelé. E, prima-dona como sempre, o árbitro Armando Castanheira da Rosa Marques.

Tem mulher que só pega cafa. Não tem jeito

Por Xico Sá

“EU TENHO UMA AMIGA de olhos escuros e pele suave, talvez a mais bonita de todas, que põe a vida amorosa na contramão da sua elegância intrínseca. Só namora os mais lamentáveis malandros.” Esta é apenas uma delas. A amiga de número 25. Uma das mais perdidas. Nem “A educação sentimental”, de Flaubert, deu jeito. Se é que ela leu. Imagina. Sempre na mão dos cafas. O amor não tem mesmo GPS.

No seu novo livro, o cronista Joaquim Ferreira dos Santos faz um lambe-lambe afetivo de cem amigas. São pequenos perfis de mulheres reais ou fictícias – estas devem ser as mais críveis, acho- que revelam a alma encantadora das moças. Joaquim é chegado. Daqueles cronistas que amam as mulheres. Afilhado direto de Antônio Maria, Vinícius de Moraes, Paulo Mendes Campos.

Joaquim escreveu a biografia de Leila Diniz, Joaquim é carioca, Joaquim é colunista de “O Globo”, e, acreditem, Joaquim tem até uma amiga que foi assediada por um presidente da República e pelo maior jogador de futebol de todos os tempos.

Acho que eu conheço esta poderosa. Deixa quieto. Ela também está no livro. É a amiga 68. Já a amiga 44 mostra como mulher não é um bicho interesseiro: acabou o relacionamento no dia em que o namorado abriu o cofre do apartamento e, macho exibicionista, mostrou 10 milhões de reais estocados em nota de 100. Era um importante empresário do mercado imobiliário.

“Eu tenho uma amiga feliz proprietária de dois gatos e um namorado alérgico”. É a centésima. Seja uma Lola ou uma linda afilhada de Balzac, você vai se reconhecer em uma delas. Você, amigo porco chauvinista, vai fazer aquele julgamento vulgar de sempre: essa eu pegava, dessa eu corria léguas etc. Eu me casaria com quase todas. Até com as fictícias. Caro Joaquim, me manda emails, telefones, facebooks das minas.

Não me deixes a chupar o frio chicabom da solidão na avenida Paulista.

Remo procura um novo atacante

Como já se previa, o atacante Adriano Magrão não fez mais contato com os dirigentes do Remo, que já começam a procurar um outro centroavante para revezar com Fábio Oliveira na campanha da Série D. Anunciado com estardalhaço na última sexta-feira, o acordo que previa transferência de Magrão do Paissandu para o Remo sempre foi contestado pelo jogador. Em entrevista à Rádio Clube, na própria sexta, ele disse que não tinha sido avisado sobre o negócio, mostrando-se chateado com a descortesia. No domingo, confirmou a transação e avisou que se apresentaria ao Remo na quarta-feira. Viajou no dia seguinte para Goiânia, de onde não voltou mais. Como não foi assinado um contrato, o jogador permanece vinculado ao Paissandu.

Informado por fontes dos dois clubes, avisei diversas vezes aqui e na coluna que o negócio ainda não estava fechado. Segundo dirigentes do Paissandu, Magrão desembarcou na manhã desta sexta-feira em Belém e deve rescindir contrato com o clube ainda hoje. Se, de fato, assinar com o Remo dificilmente estreará no Re-Pa.

Mano corta Ronaldinho da lista olímpica

Mano Menezes divulgou na noite desta quinta-feira os 35 jogadores que continuam com chance de defender a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres. A primeira lista, de março, possuía 52 nomes, e a definitiva com os 18 sairá no dia 6 de julho. Entre os 17 que saíram, destaque para o meia-atacante Ronaldinho, contratado pelo Atlético-MG no início da semana após entrar em litígio com o Flamengo. Além dele, foram excluídos da pré-relação o goleiro Julio César, da Inter de Milão; os laterais Adriano, do Barcelona, Gabriel Silva, do Novara, e Galhardo, do Santos; os zagueiros Luisão, do Benfica, e Romário, do Internacional; os volantes Allan, do Vasco, Elias, do Sporting, e Fernandinho, do Shakhtar Donetsk; os meias Bernard, do Atlético-MG, Dudu, do Dínamo de Kiev, Elkeson, do Botafogo, e Hernanes, da Lazio; e os atacantes Henrique, do Sport, Jonas, do Valencia, e Willian José, do São Paulo. Enquanto isso, todos os 22 atletas que estão concentrados atualmente com a seleção principal estão entre os 35. Somente a metade dos 16 jogadores acima de 23 anos continua (confira abaixo) – e apenas três poderão estar no torneio. 

Goleiros
Jefferson (Botafogo)*
Neto (Fiorentina)
Rafael Cabral (Santos)
Gabriel (Milan)
Renan Ribeiro (Atlético-MG)
Diego Alves (Valencia)*

Laterais
Danilo (Porto)
Daniel Alves (Barcelona)*
Rafael (Manchester United)
Alex Sandro (Porto)
Marcelo (Real Madrid)*
Fágner (Vasco)
Lucas Mendes (Coritiba)

Zagueiros
Thiago Silva (Milan)*
Dedé (Vasco)*
Marquinhos (Corinthians)
David Luiz (Chelsea)*
Bruno Uvini (São Paulo)
Juan (Inter de Milão)

Volantes
Sandro (Tottenham)
Fernando (Grêmio)
Rômulo (Vasco)
Casemiro (São Paulo)

Meias
Lucas (São Paulo)
Douglas Costa (Shakhtar Donetsk)
Philippe Coutinho (Espanyol)
Giuliano (Dnipro)
Oscar (Internacional)
Paulo Henrique Ganso (Santos)

Atacantes
Alexandre Pato (Milan)
Neymar (Santos)
Leandro Damião (Internacional)
Wellington Nem (Fluminense)
André (Atlético-MG)
Hulk (Porto)*

Vote no mico da semana

Escolha uma das opções abaixo:

1) A ameaça do presidente do Paissandu de pedir a paralisação das séries A e B do Brasileiro até que se resolva a situação nas séries C e D. Quase já não é mico, é King Kong mesmo.

2) O esporro (filmado pelas emissoras de TV) de Flávio Lopes no garoto Jhonnatan, depois de um passe de calcanhar. Será que o técnico daria a mesma bronca num de seus indicados?

3) Pela quarta vez desde que se profissionalizou no Paissandu, o atacante Rafael Oliveira ensaia uma saída para clubes de outros Estados e não consegue emplacar . Virou jogador caseiro.

As virtudes da polivalência

Por Gerson Nogueira

Nova deserção no elenco do Paissandu e, particularmente, entre jogadores indicados pelo técnico Roberval Davino. Depois de Sidrailson, que chegou contundido e saiu magoado, é a vez do lateral-esquerdo Régis. Não teria se adaptado ao clube, alegou questões particulares e pediu as contas antes mesmo de estrear. Em outros tempos, o povo iria dizer que é medo de Re-Pa, que acomete forasteiros pouco acostumados com a rivalidade existente no Pará. Régis vinha treinando normalmente e estava escalado para começar jogando no domingo.
A saída de Régis abre espaço para um jogador regional que há muito tempo se destaca sem merecer o devido reconhecimento. Davino terá que recorrer ao incansável Leandrinho, que já havia sido experimentado na posição pelo próprio treinador. Versátil, o jogador mostra-se incomodado com as seguidas improvisações. Prefere jogar no meio-de-campo, como meia de ligação, como atuava (bem) no Cametá em 2011 fazendo dupla com Robinho. No período em que Lecheva treinou o Paissandu, Leandrinho chegou a ser aproveitado até como volante.
O que parece ausência de confiança para efetivá-lo numa só posição talvez seja justamente o diferencial de Leandrinho. Técnicos costumam apreciar jogadores que se adaptam a qualquer papel. Gostam mais quando são atendidos sem fazer cara feia. Antigamente, os jogadores tidos como coringas eram ainda mais valorizados nos clubes. Um dos exemplos mais fortes era Rosemiro, lateral revelado no Remo e que alcançou o sucesso nacional defendendo o Palmeiras.
Uma das alavancas do êxito profissional de Rosemiro foi a versatilidade. Era tão polivalente que chegou a ser escalado com a camisa 9 do Remo num clássico contra o Paissandu no Evandro Almeida, substituindo ninguém menos que o gigante Alcino, então maior ídolo dos azulinos. Sob a batuta do rígido Paulo Amaral, Rosemiro não apenas acatou as ordens como se desincumbiu brilhantemente da missão, marcando um golaço em chute desferido da intermediária.
Outros grandes nomes do nosso futebol se destacavam justamente por saber jogar em diferentes setores do campo. No próprio Paissandu, craques como Quarenta e Beto cansaram de ser utilizados em situações de emergência para guarnecer posições distintas das suas. E jamais negaram fogo. Em tempos mais recentes, Charles Guerreiro despontou como lateral-direito e com o passar do tempo foi se estabelecendo no meio-de-campo, encerrando a carreira como um volante de qualidade, capaz de trocar passes e fazer lançamentos.
Leandrinho, cuja habilidade sempre foi evidente, pode se tornar uma peça indispensável no esquema de Davino caso passe a olhar sem medo para as oportunidades surgidas. Na crise existente na lateral-esquerda do Paissandu (e de quase todos os times brasileiros), um jogador rápido e que saiba marcar se transforma facilmente em jóia preciosa.  
 
 
A briga entre Flamengo e Ronaldinho Gaúcho tem tudo para estabelecer um novo patamar nas relações entre atletas e clubes. Alguns dos entreveros entre ambos se tornaram públicos e merecem atenção dos que lidam com futebol profissional. Dois detalhes, em particular, são bem ilustrativos dessa nova era. Aborrecido com as afirmações de um auxiliar técnico – filmadas por um aparelho celular e imediatamente divulgadas via internet -, o jogador encontrou motivo que lhe faltava para buscar na justiça a quebra do contrato. O próprio papel da internet e das redes sociais não pode ser esquecido no atual momento. Pode tanto ajudar a ferrar com a carreira de um boleiro mais chegado às baladas como pode criar sérios embaraços ao clube empregador.
Depois de obter autorização judicial para procurar outro clube, Ronaldinho ainda foi brindado com outro presentaço do Flamengo. O clube tornou públicas imagens do jogador entrando e saindo de um quarto de hotel, que servia de concentração ao time, tentando provar a falta de profissionalismo e a fama de baladeiro. Um tiro pela culatra. Com a atitude, o Flamengo pode vir a ser processado por Ronaldinho, pelo hotel e até por outros jogadores que eventualmente se sintam vigiados pelo clube.
 
 
O repórter Giuseppe Tommaso, da Rádio Clube do Pará, já está credenciado e será o correspondente dos veículos do grupo RBA na Olimpíada de Londres. Na verdade, como já é tradição nas grandes coberturas esportivas, Tommaso será o único repórter da região Norte do Brasil presente à capital londrina durante os Jogos Olímpicos, acompanhando de perto a Seleção Brasileira de futebol, sem perder de vista as outras modalidades. Vai fazer boletins diários para a programação da Rádio Clube, enviará reportagens para a RBATV e assinará uma coluna no caderno Bola. O velho slogan está mais do que justificado: já nem é Clube, é Seleção.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 08)