A verdadeira força dos titãs

Por Gerson Nogueira

Dados garimpados pela infatigável dupla de produtores Sérgio Wilson Japonês/ Rodrigo Godinho, da Rádio Clube, atestam que o Parazão 2012 continua dependente e refém de seus dois velhos titãs. Mesmo num período não muito aquecido do nosso futebol, eles bancam o torneio.
A competição deste ano atraiu um público pagante de 344.813 em 70 jogos, com média de 4.926 espectadores. Desta vez, o Paissandu teve modesta participação no balancete final, em função da má campanha. O Remo, porém, compensou amplamente, arrastando multidões que elevaram os números do campeonato.
O melhor público ficou com o confronto Remo 2 x 0 Águia na decisão do returno, com 36.809 pagantes no estádio Mangueirão. No outro extremo, Tuna 3 x 1 S. Raimundo registrou o menor público – apenas 214 testemunhas.
Quanto ao faturamento, o campeonato teve arrecadação total de R$ 4.786.789,00. A maior renda foi registrada no Re-Pa do returno, com R$ 609.820.000,00. No fim das contas, como sempre, quem faturou mais foi a Federação Paraense de Futebol, que levou R$ 478.679,00.
Como mandante, o Remo foi o primeiro colocado em público pagante: 158.472, com média de 14.407 (11 partidas). Foi do Leão também a maior arrecadação em todo o torneio: R$ 2.076.239,50, com média de R$ 188.749,00.
A dupla Re-Pa, que segue carregando o futebol paraense nas costas, pode não ter muito a comemorar ao final do Parazão, mas a FPF tem razões de sobra para ficar rindo para as paredes. Além dos R$ 478 mil, limpos, obtidos no certame estadual, a federação embolsou mais de R$ 70 mil com a participação das equipes paraenses na Copa do Brasil.
Dos jogos do Paissandu, recebeu R$ 26.871,00. Do Independente, R$ 23.467,00. E do Remo, R$ 20.189. Saldo final de R$ 549.206,00. Colheita nada ruim para os primeiros cinco meses da temporada. Poucas empresas paraenses contabilizam lucros tão generosos por 150 dias de atividade.
E ainda há quem duvide do papel fundamental de Remo e Paissandu para a sobrevivência do futebol no Pará, com todos os desdobramentos dessa condição, como proporcionar emprego, prestígio, poder e renda para muita gente, inclusive quem abertamente manifesta antipatia pelos velhos rivais. Em resumo, se a coisa está ruim com ambos, ficaria muito pior sem eles.
 
 
A ser verdade o que informa o Vicente Dória, em mensagem à coluna, o Paissandu tem motivos para se preocupar com as escolhas do técnico Roberval Davino para a disputa da Série C. “Sou aqui de Catanduva, de onde Davino saiu, depois de afundar o Grêmio Catanduvense no primeiro semestre para a segunda divisão do Estado. Logo, vão cair pra Série D”, vaticina Vicente.
Segundo ele, dos jogadores indicados só se salva mesmo o meia Alex William. Sobre os demais, Vicente é implacável: “Marcus Vinícius é fraco, Fabinho Carioca é uma lástima, o Sidrailson tem muita raça, mas se machucou e nem deve estar apto a jogar”.
Davino, segundo Vicente, não ministrava treinos coletivos no Catanduvense e costumava decidir tudo em cima da hora. “Treinava a semana toda com um time e jogava com outro. E o pior: só coloca jogadores apadrinhados, nunca repete escalação. Pode esperar que logo ele deve pedir para contratarem Lorran, Du, Johnson Angolano, Luís Mário, Chiquinho etc. Repasse isso pra massa bicolor, pois com esse cara o Paissandu vai cair igual tijolo”. Será?
Em favor de Davino deve-se dizer que é bicampeão da Série C. Ganhou com o Vila Nova (GO) e com o Remo, em 2005. Só por isso já merece todo respeito.
 
 
Sobre o debate em torno dos pênaltis, inaugurado pelo próprio presidente da Fifa, recolhi no Facebook a opinião de um craque das letras (e do futebol sem compromisso), o amigo Edyr Augusto Proença. “Sou batedor de pênalti, claro, na minha pobre pelada. Mas acho que o grande batedor é o que tem malícia, que espera até o último instante pelo movimento do goleiro. Quanto a mim, poucas vezes perco, porque não facilito, chuto forte, no canto, com precisão. Mesmo com goleiros ágeis e grandes de hoje, é muito difícil pegar. Os últimos pênaltis perdidos nos grandes jogos internacionais tiveram o medo, principalmente, como elemento ativo”.
 
 
Cametá, que rivaliza com Baião pelo título de mais bela cidade paraense, festeja São João Batista. Neste ano, a colônia cametaense de Belém também vai poder homenagear o padroeiro. Um cortejo será realizado no sábado (2) às 11h, da Alça Viária até a travessa Vileta, na Pedreira. A concentração dos romeiros será no posto da Polícia Rodoviária na BR-316, informa o cantor Kim Marques, um dos coordenadores da homenagem. No domingo, às 6h30, haverá procissão e missa na Igreja de Nossa Senhora Aparecida (avenida Pedro Miranda), às 9h.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quinta-feira, 31)

29 comentários em “A verdadeira força dos titãs

  1. Não é difícil perceber, que a mídia local, é receosa em lidar com técnicos renomados. Esse tipo de técnico não vai atrás do que ela pensa e quer, vide o Re x Pa, que todos queriam. Logo, qualquer coisa que se fale, desde que contra o técnico Davino, será dado maior importância. O torcedor, acima, é igualzinho o daqui, só vê erros no técnico e nos jogadores, esquece porém, de verificar se a diretoria do Catanduvense deu todas as condições ao técnico. Falei com o Davino, na época, preocupado com essa campanha e, ele me falou, que o time não tinha condições de contratar os jogadores pedidos por ele e, entrou no Paulistão para brigar pra não ser rebaixado.Agora, os amigos pensam que isso foi dito ao torcedor?
    – Agora, raciocinem: Você é diretor de um clube e, dá todas as condições ao técnico, ele não corresponde e, você o mantém, até o final? Não tem cabimento.
    – O Amigo Vicente, precisa entender, que, coletivos, não se faz mais nos dias de hoje. Como dizia o Edson Gaúcho: “Coletivo que eu sei, é ônibus”. O que se faz hoje, é muito treino tático, de posicionamento, parte física aprimorada e, depois, jogar amistosos pra ir colocando em prática o que foi treinado. Só quem não faz isso, aqui, são o técnicos locais, por não saberem.
    – Não é que o Davino treinasse com um time e jogava com outro, é que ele, como agora no Paysandu, treina variações, mas mantendo algumas peças, fixas no time e, fazendo um rodízio com outras, por isso o Dinho(setorista), todo dia escala um time, mas percebam que ele não mexe em algumas peças e, isso é perfeitamente correto.
    – Ontem, Sidraílson, magoado com tantas coisas faladas a seu respeito, pediu pra sair e, já foi embora(eu, faria a mesma coisa). Vale dizer que o Paysandu, se eu conheço o Davino, não teve prejuizo algum com esse jogador.Penso que o único prejudicado nisso tudo, foi o Papão, que perdeu um excelente jogador, por pura inabilidade de seus diretores que não deram a segurança total ao atleta. Esse tipo de situação, vai desgastando também, seu técnico, que começa a ver seu trabalho prejudicado, mas ou menos, como fizeram com o Edson Gaúcho. Infelizmente.

    -Vamos deixar Paysandu e Remo subirem, gente.

    – É a minha opinião.

    Curtir

  2. Um dos grandes erros no futebol paraense é esse de ainda dar muito valor às bilheterias. Só com essa fonte de renda, um CLUBE não sobrevive.
    Vejam o exemplo do Flamengo, a maior torcida brasileira, que, por apenas confiar na popularidade, vem tomando um baile do Corinthians.

    Curtir

  3. O fenômeno azul bancou todo mundo: FPF, PSC, Cametá, Independente e outro menos cotados, manteve acesa a chama dos que investem através da imprensa, merecemos respeito por parte do dirigentes, a nossa torcida mais uma vez mostra sua força, contratem bons jogadores formem um time que inspire confiança, levem os jogos pro mangueirão, cobrem R$ 15,00 ou R$ 20,00 que garantimos, vamos sair todos deste marasmo…

    Curtir

  4. Como a FPF é sustentada pela dupla RExPA, já tá mais que na hora de tratar com carinho estes clubes.

    Não peço nem que tratem melhor a dupla, mas que pelo menos tratem igual. Pois o que se viu nos últimos anos, é a supervalorização de clubes inexpressivos e o tratamento cada vez mais torto para REMO e Paysandu.

    Curtir

  5. Paysandu, Remo, Tuna, Águia, São Raimundo, Cametá, São Francisco e Castanhal (clubes que possuem torcida de fato no estado) deveriam tomar as rédeas da organização do Campeonato. A primeira coisa que deveriam ajustar era o valor das cotas da FPF. O que ela faz com tanta dinheirama se nem promover o campeonato direito ela promove? O Mangueirão é dela? Nossos clubes devem ser protagonistas e não agentes passivos num esquema que há anos rende cifras astronômicas a uma entidade cuja única função é organizar um certame estadual pequeno (qualquer um poderia organizá-lo) e atrapalhar os clubes em outras muitas oportunidades.

    Curtir

  6. Quanto à suposta ação perdulária de indicar reforços de “procedência duvidosa”, como diz nosso amigo Cláudio, a conferir os efeitos. Já manifestei-me aqui contra as indicações de jogadores oriundos de um único clube, haja vista que isso já trouxe danos irreparáveis ao Paysandu em outras épocas. E cá pra nós, Catanduvense, Cabofriense e outros menos votados disputam campeonatos onde o nível técnico é sofrível tal e qual o estadual daqui. Mas, por serem de clubes e certames do “sul maravilha” e referendados por técnicos nascidos além de nossas fronteiras, logo se acredita que tudo acabará bem e que se está “no caminho certo”. Tomara seja assim, mas ao que tudo indica (vide o caso Sidrailson)…

    Curtir

  7. O texto somente expoe o q todos sempre souberam. Que ser presidente da FPF é uma baba, pois você pega uma boa grana e não se vê nada revertido para os clubes.

    Curtir

  8. Acho que o coronelzinho vai seguir os passos do Marin, com toda essa baba ele vai se dar um aumentozinho no seu salário, afinal de contas nao pode sobrar dinheiro no cofre da FPF para o próximo presidente, isso que e emprego bom ta melhor que ser politico. Te dizer.

    Curtir

  9. Ainda sobre o Sidrailson, amigo Cláudio. Sinceramente, o cara é contratado e vem às custas do clube (passagens aéreas, hospedagem, alimentação, tratamento médico), fica duas semanas em recuperação e depois sai dizendo que ficou “magoado” com as críticas? Isso me parece uma tremenda cara-de-pau, só possível em clubes de gestão amadora como os nossos, meu amigo.

    Curtir

  10. Sobre o caso do Sidrailson, como diria o Paulo Fermando: tão pensando que o PSC é instituição de caridade ! O pior é que quem deu esse tiro no clube foi a própria direção do mesmo.

    Curtir

  11. Gerson, o Ferreirinha é quem tem razao e muita, sobre a administracao dos nossos clubes…é muito amadora…e ainda assim, aqui e acolá alguns nobres jornalistas/radialistas sao alvos de acoes na justiça contra o que escrevem ou falam….

    Curtir

  12. Cláudio, meu amigo,

    Se o Davino não fez bom trabalho na Catanduvense por que o clube não lhe deu condições e a equipe, com o que tinha, só pôde lutar contra o rebaixamento, por que então ele indica estes mesmos jogadores ao Paysandu? Não entendo…

    Curtir

  13. Cláudio, não contrataria é claro, mas o Paulista A-1 não é lá essas coisas não também. Vi (aliás, tentei ver) alguns jogos e a impressão que tive foi a pior possível. Os jogadores das equipes que ocuparam as últimas colocações do Paulistinha não estão tão ou muito acima dos primeiros do nosso estadual. Sobretudo se estiverem bichados. Pense nisso. Lenadro Camilo, que por aqui não deixou tantas boas lembranças, por exemplo, era titularíssimo de um desses timecos do interior paulista.

    Curtir

  14. Egua quando e o Paysandu surgi muitas fofocas principalmente quando ta no caminho certo na montagem do time e o remo sempre ea mil maravilha te dizer deixem o Davino Trabalhar ou todos esquecem da base ja formada,paulo rafael,pikachu,neto,thiago potiguar e etc.ao meu ver ate agora sofam contrataçao pontuais e muito coerente so ta faltando mais um lat esq.Obs marcos vinicios veio do 15 de piracicaba e nao da catanduvence.

    Curtir

  15. Amigo Cláudio, essa história do Cametà ter entrado com o documento pedindo a sua vaga de volta, foi só jogo de cena para acalmar os enganados cametaenses. Se quisessem mesmo teriam recorrido ao STJD e ganhariam fácil. Ou melhor, eles tem até o dia 06.06.12 para recorrer ainda. Não o farão.

    Curtir

  16. Claudio, em caso de cancelamento da D será que o Remo vai querer o dinheiro de volta? Rss
    Brincadeira, claro que vai haver C e D na minha opinião.

    Curtir

  17. O difícil nesse caso, amigo Mauricio, é acharem o Peixoto..hehe

    1- Dr. Sestário disse, agora a pouco em uma rádio, que as séries C e D começarão dia 17/06.
    2- Disse que a CBF vai cassar todas as liminares de uma vez só e, que a do Brasil de Pelotas, é a mais difícil, as outras, são fáceis.
    3- Disse, também, que não há a menor possibilidade de se aumentar o número de participantes nessas séries.

    – Quanto Copa do Brasil 2013, o Paulo Romano confirmou o Águia de Marabá como o 3º representante Paraense, nessa competição. Disse que o Paysandu poderá entrar pelo Ranking, como entrou o Remo, algumas vezes.

    Curtir

  18. Claro que o Paysandu vai participar da Copa Brasil 2013, através do ranking.
    O dia que houver uma competição com 86 clubes e o Paysandu não estiver, eu viro a casaca, passo a torcer pela Tuna.

    Amigo Claudio só ainda não entedí essa matematica da CBF, pois o número pro mata mata é 64 e depois disso 128.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s