Comissão de gestão sai de cena e LOP adoece

Em tumultuada reunião entre o presidente do clube, a comissão de gestão do futebol e membros da comissão técnica, realizada na noite de sexta-feira, cinco diretores renunciaram aos cargos e o presidente Luiz Omar Pinheiro passou mal, tendo que ser hospitalizado. O motivo do encontro era avaliar o trabalho da atual comissão técnica e delinear o planejamento para a Série C do Campeonato Brasileiro. O clima esquentou porque LOP não concordou com o afastamento de Lecheva, deixando insatisfeitos os membros da comissão, formada por cinco dirigentes não remunerados.

Presente à reunião, Lecheva aproveitou para cobrar explicações do vice-presidente Toninho Assef, que havia anunciado sua demissão logo depois da partida contra o Coritiba, na quinta-feira. O técnico criticou Assef e cobrou maior profissionalismo. Antes do final, o presidente passou mal e teve que ser levado a um hospital. A Assessoria de Imprensa garantiu que o mal-estar de LOP nada teve a ver com as discussões, pois ele já estaria se sentindo mal desde a véspera.

O acúmulo de dívidas (trabalhistas e da folha salarial) está por trás da crise entre diretoria e comissão. Nem mesmo as arrecadações obtidas com os jogos contra Sport-PE e Coritiba no Mangueirão foram suficientes para controlar a situação. Eliminado da Copa do Brasil, o clube precisa definir elenco e comissão técnica para a Série C. A possível dispensa de jogadores não foi descartada, mas o afastamento dos cinco integrantes da comissão deve adiar ainda mais essas decisões. (Com informações de Arthur Sobral/Bola)

22 comentários em “Comissão de gestão sai de cena e LOP adoece

  1. O PAYSANDU SPORT CLUB, tem 3 opções:

    1- Subir de divisão e ficar entre os 40 melhores times do Brasil.

    2-Ficar onde está, sendo um 60 melhores times do Brasil.

    3-Cair de divisão e ir fazer companhia p/ os piores times do Brasil.

    Tá na hora do Conselho Deliberativo do Paysandu encontrar uma forma de apasiguar as coisas, pois ganhando já desanda, quanto mais brigando.

    Já imaginaram se o Remo sobe e a gente cai, é isso que vcs querem?

    Na minha opinião o LOP não pode mais ficar nenhum dia na frente do papão por vários motivos.
    Essa então de um empregado encarar um de seus patrões e ainda permanecer no cargo demonstra o quanto o Paysandu está sem comando hoje.

  2. Cara, por isso falei que o paraense não era apenas preparação pro PSC. Agora depois de duas eliminações, os problemas começam a surgir. Quer resolver isso? Basta o PSC começar a vencer seus jogos na série C. Daí todos esquecem as mazelas.

  3. A Comissão está certa e para variar, como em anos anteriores, o nosso presidente vai fazer de tudo para não alcançarmos o acesso, pois na Série C serão necessários investimentos (treinador que preste, jogadores que prestem, etc…) que ele não quer fazer.

    Opta pelo Lecheva porque é barato. Essa é a verdade. Isso se o próximo não for o Vanderson, o Zé, o Mancha…

    O certo seria o mesmo se licenciar ou até mesmo renunciar, mas como tem muita grana envolvida nomeio ele não vai faze-lo e isso é prenúncio de tempos tenebrosíssimos pela frente.

  4. Siqueira, desde o início o Paysandu deu clara demonstração de que a meta não era o paraense e muito menos a Copa do Brasil (falta de qualidade).
    A política de prestígio à base não foi nenhum empreendedorismo da direção do PSC e sim uma saída para a falta de dinheiro e que acabou por revelar bons valores vindos de lá.
    Para a Série C são necessários alguns ajustes que passam primeiramente por um treinador de verdade, coisa que não está nos planos do presidente.
    O maior adversário do PSC é seu próprio presidente.

  5. E obvio que o problema do paysandu e fisico. Alguem precisa acordar para ver que um jogador de 37 anos nao pode correr mais do que um de 17 (Caso do tcheco). Alias o paysandu precisa urgente de profissionais NA preparacao fisica. Nao tecnico, nao joador,mas preparador fisico.

  6. O último parágrafo é emblemático. Somando as rendas dos jogos contra Sport e Coritiba (350 mil), mais as cotas de TV das três fases (600 mil), mais o patrocínio da Tenda (70 mil), dá mais de um milhão de reais! Podem fazer as contas. O clube está em crise financeira quando deveria estar nadando em dinheiro! É muito esquisito.

    Como explicar que não tem recursos para pagar o elenco? É preciso ficar com o Lecheva para fazer economia? Situação trágica do clube. A impressão é de que está pior que na época do Tourinho.

  7. É Rodrigo. Já disse aqui inúmeras vezes jamais pensar que um dia abriria minha boca para dizer que com o Tourinho éramos felizes e não sabíamos… sinal dos tempos.

  8. Cara que situação o paisandú chegou, esse presidente está levando o time para o fundo do posso, a torcida só fica ciente das deficiências do time qdo o mesmo começa a tropeçar nas competições. Será que no clube do Remo está essas maravilhas todas, ou muita coisa está sendo encoberta pelas vitórias do time, pois temos que conciderar que o histórico do presidente cabeça é um dos piores, superando até mesmo o do LOP, torço para melhores dias no futebol paraense.

  9. Sou crítico à comissão, mas agora acho que ela tem razão, devemos mudar o comando técnico, até para oxigenar o elenco e fazer as mudanças necessárias, é assim que se administra. Nesse ponto, o rival está pensando melhor do nós. Vide as arrecadações, marketing, mano!

  10. Problemas, pontos de vistas em discordancias e discussões são normais em uma reunião, principalmente qdo se trata de mais de 6 pessoas pra opinar.

    O Rodrigo tem razão qdo fala da relação receita x despesas, é de conhecimento de todos que temos a menor folha salarial dos ultimos 15 anos e as ultimas arrecadações não foram ruins.

    É preciso ter equilibrio, alguém pra orientar o LOP e seguir em frente iniciando o planejamento da Série C. Sei que vou ser “voz” solitária, mas manteria Lecheva e traria 6 bons jogadores, o campeonato é de pontos corridos e precisaremos de elenco.

    Vamos Papão!!!

  11. Gerson, a curto prazo, o que você recomendaria ao LOP para solucionar esses problemas e dar uma estabilizada na política de futebol do PSC?

  12. Tomara Hiran!

    Sou contra o tabagismo, mas neste caso o que eu mais quero é eles fumem o cachimbo da paz.

    Manoel Lima será que isso é marketing?

    Falando nisso, hoje no Diário na partes cartas do leitor, um bicolor relatou sua odisséia pra assistir o jogo do papão contra o coxa.
    Tudo que ele relatou foi interessante.
    Mas a parte que me chamou atenção, foi quando ele disse que no intervalo do jogo muitos bicolores se mandaram, dando assim espaço pra os que como ele estavam sem poder ver o jogo direito se acomodassem melhor.

    Os torcedores do papão foram em massa, mas sem duvida nenhuma foram mais pra mostrar p/ aquele reporter de Curitiba quem é a torcida paraense, muitos quando acharam que fizeram sua parte, vieram logo embora pra suas casas.

    Isso demonstra que a torcida bicolor está sim ausente dos estádios por não aceitar o LOP no comando e mas do que isso, tá faltando marketing pra chamar essa massa de volta.

    A torcida azulina tem enes motivos pra encher os estádios, quem é que é remista não quer o seu time no cenário melhor.
    Neste caso o entusiasmo vem de dentro se tornando um marketing pessoal.

    Aí daqui a um mês pra começar a série C, olha só como eles estão nos motivando, como bem colocou o amigo bicolor Manoel Lima.

    Ô diretoriazinha devagar essa nossa, te dizer hein!!!

  13. Esse aLOPrado e uma piada mesmo! Ate na hora do pega pra capar, ele inventa doença…

    – Aproveita que os incompetentes saíram e se manda também seu transloucado.

  14. Será que existe profissionais em Belém para administrar Remo e Paissandu ?

    Será que teremos que contratar Presidente, Diretor de Futebol entre outros ?

  15. Chama o Tourinho nessa Zorra!!! sai daí Luiz Omar, o mais Azulino dos Bicolores…vou te contar…Lecheva técnico é demais!!!

  16. Quais as maiores riquezas de Remo e Paysandú? E Quais os maiores empecilhos para que cresçam de verdade, revelando novos talentos e voltando ao cenário esportivo nacional?
    Pois eu respondo:
    Todos sabem que as maiores riquezas de nossos clubes são suas torcidas, apaixonadas, lutando contra uma federação que só atrapalha, dirigentes incompetentes e defasados que não enxergam um palmo a frente de seus narizes. Como mudar essa história?
    A pergunta pode parecer de difícil solução mais acreditem é fácil de resolver:
    Remo e Paysandu devem se unir, não digo que deixem a rivalidade de lado, pois é a única coisa, por mais paradoxal que seja, que ainda unem os dois titãs do futebol paraense, mas juntos podem:
    1) Construir um (eu disse um apenas) centro de treinamento compartilhado por ambos os clubes para revelar novos valores(sem aquela disputa que ambos travam de vez em quando para atravessar jogadores medalhões e revelações que já fazem parte de nosso cotidiano);
    2) Remo e Paysandu possuem estádios defasados e inúteis, porque não vendê-los e construir em algum lugar uma arena moderna(uma apenas) que sirva a ambos(diminuindo os custos de manutenção) e aproveitando os espaços de mídia dividindo os patrocínios?
    3) Remo e Paysandú devem ter seus direitos respeitados pela Federação Pilantra de Futebol pois são os maiores arrecadadores de dinheiro para essa entidade e têm que fazer valer seus direitos(incluindo poder de decisão no regulamento do campeonato paraense de futebol).
    4) Por último, Remo e Paysandú juntos podem exigir cotas maiores de patrocínio do governo do estado e demais empresas para que possam ostentar em suas camisas e demais espaços publicitários as marcas das empresas patrocinadoras. Lembrem-se, temos uma grande massa de torcedores(mais de 5 milhões de torcedores) ávidos para consumir produtos de Remo e Paysandú, e já provamos que somos apaixonados por esses clubes.

  17. Toda a corda da mídia paraense com provocações gratuitas ao Clube do Remo em jornal de grande circulação no estado mais o entrevero de jogador do paysandú com o jornalista paranaense não foram capazes de derrubar o maior público do ano no mangueirão que se deu na decisão do segundo turno graças ao fanatismo da torcida do Leão Azul que colocou mais de 40 mil torcedores no estádio estadual e provou que a paixão não limites, mais uma vez superamos a tudo e a todos sem apelo da mídia e mostramos quanto somos maiores que o outro lado. Parabéns a torcida azulina que sem incentivo nenhum da mídia lotou o mangueirão e provou porque é a maior. Simples assim.

  18. Um clube detentor de conquistas e de uma uma torcida imensa comprovadamente a maior do Norte,um clube com títulos de serie A(Campeão dos campeões) e dois titulos de serie B.Um time que bota 60 mil pessoas em uma partida em dia que não rodava ônibus pela cidade , um clube assim não pode ser refém de uma pessoa ou de pessoas que agem amadoramente.
    Sem Ct para revelar e montar equipes, sem estádio moderno e sem organização administrativa o PSC nunca sairá desse marca-passo.Começo a achar que dr.Alonso tem razão,vender os velhos estádio obsoletos e contruir uma arena moderna com CT sairá mais barato do que perder jogadores, pagar dívidas trabalhistas enormes e perder chances de ascensões técnica e adminsitrativas.Como costumo dizer em um dos meus bordões:Simples assim.

Deixe uma resposta