Roberto Carlos por cima da carne seca

Da ESPN
 
Agora na função de diretor esportivo do Anzhi Makhachkala, Roberto Carlos ganhará uma fortuna. De acordo com a revista Sports Illustrated, o clube disponibilizará 300 milhões de euros (cerca de R$ 730 milhões) para o brasileiro contratar jogadores visando a próxima temporada. Desta forma, a equipe que já conta com o camaronês Samuel Eto’o, ainda pode reunir outras das principais estrelas do futebol mundial. Nomes como Carlitos Tevez, Drogba, Fernando Torres e Lampard encabeçam a lista de jogadores que interessam.

“Todos desejam vir para o Anzhi. Eles já entenderam que aqui temos muito dinheiro”, declarou Roberto Carlos, que foi contratado como atleta no início de 2011. Pouco aproveitado pelo novo treinador, o brasileiro decidiu fazer uma pausa na carreira de jogador para se arriscar como dirigente. O desejo do dono bilionário do Anzhi, Suleyman Kerimov, é ver o time na próxima Uefa Champions League. No entanto, em campo, o grupo não vem correspondendo e o clube está apenas na sétima colocação do Campeonato Russo.

 
De repente, sobra uma grana aí para a parceria com o Papão.

Perguntinha do dia

Torcidas ditas organizadas se mobilizam para darem “apoio” a facções irmãs de Sport-PE e Bahia nos jogos desses times contra Paissandu e Remo, respectivamente em Belém. Até reunião foi marcada (na praça da República, nesta terça-feira) por torcedores do Remo para discutir o tal apoio aos aliados pernambucanos. Sabe-se que os bicolores também se movimentam, via internet, para prestar a mesma assistência aos companheiros baianos. O que falta para a Polícia Militar se antecipar e enquadrar esses torcedores, evitando um possível confronto de torcidas nas duas partidas pela Copa do Brasil?

Inferno astral de um goleiro

Alvo da fúria da torcida do São Raimundo, o goleiro Labilá foi um dos mais criticados pela atuação diante do Paissandu, domingo, no Barbalhão. Ídolo dos alvinegros, Labilá falhou (junto com a defesa) no lance do gol de Douglas, aos 28 minutos do primeiro tempo. Saiu mal da meta e espalmou a bola na direção do zagueiro bicolor, que só tocou de cabeça para as redes. Foi tão fácil que até os jogadores do Paissandu ficaram na dúvida quanto à validade do gol, mas a arbitragem confirmou a legalidade da jogada. Depois da partida, desolado, Labilá se encostou na trave e ficou lá por vários minutos, demonstrando sua dor com o rebaixamento do São Raimundo. Os torcedores, porém, deixaram de lado os anos de dedicação do goleiro ao Pantera e o vaiaram demoradamente, como a todos os demais jogadores, culpando-os pela derrota e insinuando que teriam feito corpo mole em função dos salários em atraso no clube. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

Jogadores presos por manipularem resultados

Foi na Itália. Nove ex-jogadores do Bari foram presos na noite de domingo acusados de terem manipulado partidas do Campeonato Italiano entre 2010 e 2011. Cinco jogos do Bari, que foi rebaixado na última edição da competição, teriam tido os resultados combinados. Foram presos Andrea Masiello, hoje zagueiro da Atalanta, Daniele Portanova, zagueiro do Bologna, Alessandro Parisi, zagueiro do Torino, Simone Bentivoglio, meia do Padova, Marco Rossi, zagueiro do Cesena, Abdelkader Ghezzal, atacante do Levante, Marco Esposito, zagueiro do Portogruaro, Antonio Bellavista, atacante do Andria BAT e Nicola Belmonte, zagueiro do Siena.
No duelo do dia 15 de maio de 2011 contra o Lecce, quando o Bari já estava rebaixado à segunda divisão, por exemplo, membros de torcidas organizadas do time teriam ameaçado os jogadores para que perdessem a partida, um clássico do Sul da Itália. Andrea Masiello admitiu ter feito um gol contra propositalmente.
Segundo Antonio Laudati, procurador da cidade de Bari, não houve escândalo de apostas neste jogo, mas houve negociação em dinheiro entre as equipes. O Lecce acabou se salvando da queda à Série B por cinco pontos. Também teriam sido manipulados os seguintes confrontos: Bari 3 x 0 Genoa , em 2 de maio de 2010, Udinese 3 x 3 Bari, 9 de maio de 2010, Cesena 1 x 0 Bari, em 17 de abril de 2011 e Bologna 0 x 4 Bari em 22 de maio de 2011. (Da ESPN)

Lá, o bicho pega de verdade…

A frase do dia

“É claro que a Globo influencia na Record. Eu sou da Globo, o Inácio Coqueiro, que é o diretor, é da Globo, o elenco passou pela Globo… É claro que tem um mimetismo. O que quis salientar é que nós da Record estamos com mais tesão, mas élan, mais vontade de fazer as coisas. A gente tem uma meta: vamos subir a audiência. A gente vestiu a camisa. É bom para todo mundo: para o mercado, para acabar com o monopólio. É um discurso bem antigo, mas é bom. Nós estamos com essa ambição. Os autores da Globo estão muito acomodados, cansados, com preguiça. Eu sei porque eu saí de lá. Sinto uma apatia. E faz a mesma história mais uma vez”.

De Lauro César Muniz, autor de novelas, atualmente na TV Record, em entrevista à Folha de SP.

Papão busca reforços no Parazão

O Paissandu deve reforçar o time para a Série C com vários jogadores que disputam (ou disputaram) o campeonato. Rafael Paty, artilheiro do Parazão com 10 gols pelo Cametá, já está apalavrado com o clube e deve se apresentar depois das finais do Estadual. Adson, zagueiro do Independente, deve ser o segundo da lista. Lineker, da Tuna, é outro possível reforço. Seu pai (Zé Augusto, ex-volante do clube) já manifestou interesse em vê-lo defendendo o Papão. Carlinhos Maraú, lateral-esquerdo, e Sinésio, lateral-direito, são outros cruzmaltinos que podem integrar o elenco bicolor a partir de maio. Além deles, Rafael Oliveira (foto) e Haryson já estão no clube, inscritos para a Copa do Brasil.

Parazão 2012 – Classificação geral

POS. TIMES PG J V E D GP GC SG AP
Águia 30 18 9 3 6 30 27 3 55.6
Remo 28 16 8 4 4 24 18 6 58.3
Cametá 25 18 6 7 5 26 27 -1 46.3
Paissandu 21 14 6 3 5 17 15 2 50.0
São Francisco 19 14 5 4 5 25 24 1 45.2
Tuna 17 16 5 2 9 22 28 -6 35.4
São Raimundo 15 14 3 6 5 16 19 -3 35.7
Independente 14 14 3 5 6 20 22 -2 33.3

Parazão 2012 – Classificação do returno

POS. TIMES PG J V E D GP GC SG AP
Remo 15 7 4 3 0 14 6 8 71.4
Paissandu 12 7 3 3 1 8 6 2 57.1
Águia 11 7 3 2 2 12 11 1 52.4
São Francisco 10 7 3 1 3 15 14 1 47.6
Independente 9 7 2 3 2 13 12 1 42.9
Cametá 8 7 2 2 3 9 13 -4 38.1
São Raimundo 6 7 1 3 3 8 10 -2 28.6
Tuna 4 7 1 1 5 8 15 -7 19.0

À espera do grande duelo

Por Gerson Nogueira

As emoções da rodada decisiva de classificação para as semifinais do returno ficaram muito aquém do esperado. A rigor, certo suspense só ocorreu nos minutos finais dos jogos entre Independente x Águia e São Raimundo x Paissandu, pois o empate em Santarém ou a virada do Galo em Tucuruí mudaria o alinhamento das equipes semifinalistas.
Mas ficou mais no ensaio, guardando rigorosa coerência com o clima geral do campeonato, até agora morno e sem despertar maiores agitações e expectativas no torcedor. Talvez a grande notícia da rodada de ontem foi a ressurreição da possibilidade de um Re-Pa decidindo o returno, caso os dois velhos rivais consigam superar São Francisco e Águia.


Acompanhei pela TV o jogo São Raimundo x Paissandu, o jogo mais aguardado da tarde e devo admitir que a autêntica pelada disputada no primeiro tempo deu sono. A monotonia só foi quebrada pelo gol de Douglas em vacilo do goleiro Labilá e seus zagueiros, que ficaram acompanhando o zagueiro cabecear para o gol vazio. A torcida santarena, que se revoltou depois da partida, desconfiando de uma certeza moleza de sua equipe, tem razão pelo menos quanto ao péssimo futebol mostrado.
O São Raimundo passou o jogo correndo atrás do Paissandu, que não chegou a fazer uma atuação esplendorosa, porém tinha mais senso de colocação e conseguia trocar passes com acerto.
Acima de tudo, contava com Billy marcando bem no meio e Héliton levando ampla vantagem no duelo com os defensores. Os demais jogadores mostravam disposição e vontade de vencer, temendo o vexame de um rebaixamento – mesmo que de mentirinha, pois já há forte articulação para que os oito clubes sejam mantidos na divisão principal em 2013, deixando tudo como está.
Do lado santareno, não se via sequer a tradicional garra. O time comportava-se como bando, errando passes curtos e falhando muito na defesa. No começo do segundo tempo, Héliton e Magrão tiveram chances de ampliar a vantagem, mas erraram nas finalizações. O Paissandu marcava forte, recuperava a posse da bola e tentava partir em velocidade, tarefa facilitada pela desarrumação defensiva do adversário.
Com a entrada de João Pedro, Déo Curuçá e Zé Rodrigues, o São Raimundo ganhou nova cara e equilibrou o meio-de-campo, passando a levar algum perigo na frente. Zé Rodrigues quase marcou de meia-bicicleta e Fernando Caranga chutou duas bolas com muito perigo, assustando a defesa do Papão.


A reação, porém, não chegou a se consolidar porque o time apresentava problemas sérios nas laterais e na criação. No estilo habitual, Zeziel errava todas, Amaral não rendia e no meio apenas Adriano buscava organizar as coisas. Sem dúvida, foi um dos piores jogos do Pantera no campeonato.
Apesar disso, a comemoração emocionada dos jogadores do Paissandu no final da partida comprova que o nosso futebol está mesmo perdendo suas referências. Uma vitória simples, conquistada sem maiores brilhos, adquiriu contornos épicos e motivou até pagamento de promessa pelo meia Leandrinho – cujos joelhos devem andar castigados por tantas prendas neste campeonato. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)
 
 
No Baenão, segundo o relato dos companheiros da Rádio Clube, o Remo reeditou problemas recentes na ligação entre meio-campo e ataque, mas se valeu da objetividade de seus atacantes para estabelecer uma vitória sem brilho, mas importante. (Fotos: EVERALDO NASCIMENTO/Bola)

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 02)