Messi se aproxima da consagração absoluta

Da Folha de SP

Poucos foram os jogadores que criaram uma dinastia no topo do futebol. Messi, aos 24 anos, prepara-se para consolidar a maior de todas elas. Só Cruyff, Platini, Ronaldo, Van Basten e Zidane foram premiados três vezes com nobres prêmios que os elegeram os melhores de uma temporada. Desses, só Platini conseguiu triunfar por três anos seguidos, uma série a ser igualada nesta segunda-feira por Messi. Pelé e Maradona, que brigam historicamente pelo trono absoluto do futebol, não tiveram como vencer nem a Bola de Ouro, que até 1995 era restrita a europeus, nem o prêmio da Fifa, que nasceu apenas em 1991, quando Maradona já vivia a decadência.

Nas últimas duas décadas não houve um tri melhor do mundo genuíno. Ronaldo e Zidane tiveram carreiras brilhantes e um tanto quanto acidentadas, com baixos. Até por isso se alternaram muito como melhores do mundo. Messi, que jogou neste domingo no empate por 1 a 1 entre Barcelona e Espanyol, tem despertado cada vez mais comparações com os melhores de todos os tempos. Di Stéfano, argentino que foi o maior ídolo do Real Madrid, reinou no início da Copa dos Campeões e ganhou duas vezes, em anos alternados, a Bola de Ouro.

Pelé teve muitos de seus melhores anos atrelados a conquistas de Mundiais (1958, 1962 e 1970). Como o “Rei” não atuou na Europa, há quem relativize no exterior a soberania dele no futebol. O auge de Maradona, entre 1986 e 1990, talvez lhe rendesse três prêmios de melhor do mundo, mas não estaria muito à frente do que Messi estará a partir de hoje no futebol. O craque do Barcelona, aliás, é o único que venceu o prêmio de melhor do mundo desde que Bola de Ouro e Fifa fizeram uma fusão. Até 2010, não raro ele sofria algum tipo de contestação. Messi, com personalidade discreta e atitude humilde, pouco entra em polêmicas e não se põe como um grande da história. Mas a história está o colocando em lugar com que grandes nem sonharam.

Cuidado com La Pulga!

5 comentários em “Messi se aproxima da consagração absoluta

  1. Posso afirmar de consciência tranquilíssima que enquanto brasileiro e torcedor ferrênio do futebol brasileiro e da nossa seleção canarinho, que este tipo de premiação para um argentino não me tramsmite nenhuma inveja ou aquele sentimento de querer um brasileiro ganhando esse prêmio. A minha explicação é bem simples: Vou pelos lados da realidade da história do e da estatística nas quais quase todos os brasileiros que ganharam esse prêmio de melhor do mundo, tiveram depois o desaparecimento do seu futebol e nunca mais disseram o que foram fazer na seleção brasileira. Misticismo ou não, coincidência ou não, a verdade é que todos os brasileiros agraciados tiveram muitos problemas não de cunho financeiro porque efetivaram contratos milionários, mas sim pelo lado técnico, na seleção em em seus clubes. É so lembrarmos a relação: Ronaldo Fenômeno após a segunda premiação de melhor do mundo começou declinar, sofrer série de contusões, e altos e baixos até se aposentar. Ronaldo Gaúcho após a premiação de melhor do mundo parece que desaprendeu a jogar,principalmente, na seleção, onde ja chegou a ser um jogador amtipático, ficando inclusive fora de convocação para a Copa da Africa de forma até justa pelo que vinha apresentando. Romário, depois de eleito não desapareceu seu bom futebol, mas em compensão antes da Copa do Mundo da França se não me falha a memória, tinha certa a convocação mas se contundiu gravemente até ser cortado pelo Zagalo, KAKA outro exemplo, depois de eleito o melhor do Mundo seu futebol ja era. So vive se contundindo. Marta da seleção feminina, prova que até no feminino essa sina ocorre. Depois de eleita a melhor do mundo, virou uma jogadora firulenta, e desapareceu aquele belo futebol que encantava, chegou ao cúmulo de perder penalt decisivo em decisão de copa do Mundo e medalha de ouro olímpica. Então espero encarecidamente que nenhum jogador da seleção brasileira ganhe essa premiação, pelo menos não antes da Copa 2014. Principalmente as promessas como Neymar e Ganso. Se alguém tiver de ganhar que seja após o Brasil conquistar a Copa 2014. Porém, existe outra triste coincidência porque todos esses brasileiros que foram eleitos os melhores do mundo ocorreu pouco tempo antes de uma Copa do Mundo ou de uma Olimpíada. Será que vão eleger Neymar ou Ganso nesse período também? Espero que nãooo. pelo amor do fut. brasileiro

  2. Há verdades insuportaveis com as quais temos que conviver. Naturais dos tropicos, sentimos desigualdade quando nos comparam a outros de outras latitudes.
    O nosso patriarca José Bonifácio, teria sido universal tivesse nascido em outro hemisferio. Em tudo, o Boni era superior a
    Tomaz Jeferson e no entanto o mundo sõ conhece o dono da Monticello.

  3. O Messi merece, é indiscutivelmente o melhor jogador do mundo na atualidade. Como diria o “escriba”, o cara é fueda!

  4. Digam o que quizer, mas acredito que essa hegemonia do argentino se deve à baixa concorrência que existe no futebol atual, diferente de outros tempos. Não há hoje quem rivaliza com o argentino, apesar de toda a mídia em torno de Cristiano Ronaldo e do esforço dos bons espanhóis Xávi e Iniesta, companheiros de Messi no futebol solidário do Barça. Durante muitos anos, o brilho do futebol era compartilhado por grandes craques, artistas da bola, de vários países, em times que encantavam pela técnica sofisticada. Hoje isso parece ter ficado restrito ao Barcelona e seu astro maior, um argentino. Claro que, como brasileiro, espero que nossas promessas tenham um brilho constante e não lances esparsos, como os “craques” midiáticos de hoje…

  5. O Messi tem tudo + futebol para superar os outros tri-campeões desse premio de melhor do mundo! O cara ainda tem apenas 24 anos e, sem sombra de dúvidas tem condições de jogar em auto nível ate os seus 32 anos.
    Talvez o único que ainda possa interromper sua hegemonia, possa ser o NEYMAR, mais o mesmo precisa jogar no futebol Europeu para poder adquirir mais experiência, além de está mais próximo dos jornalistas que votam neste famosissima premiação.

Deixe uma resposta