Tuíca, um centroavante à moda antiga

A equipe do Bola aproveitou a ida até São Miguel do Guamá durante a semana para localizar Tuíca, o Peito-de-Aço, que vive no interior de Bragança e mantém uma escolinha de futebol. O atacante teve boa passagem pelo Paissandu nos anos 70, depois de breve período no Remo de Alcino e Roberto Diabo Louro quando conquistou o Norte-Nordeste de 1971. No Papão, ao lado de Willy, Moreira e Roberto Bacuri, o bragantino Tuíca se transformou em jogador decisivo. O estilo era de centroavante trator, que botava a bola na frente e ia levando, no peito e na raça. Forte como um touro, não se intimidava com zagas mais truculentas. Antônio Borges da Costa defendeu as cores das maiores forças do futebol paraense. Depois de ter se aposentado, enfrentou um grave problema na garganta que quase lhe custou a vida. Aos 62 anos e cercado pela molecada de sua escolinha, ele revelou as dificuldades financeiras para levar o projeto à frente. O Bola deste domingo traz matéria de Jorge Luís Totti com Tuíca. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

Última carreata contra a divisão

Neste sábado (10), a partir das 8h, com saída da avenida Tamandaré, esquina com 16 de Novembro, acontecerá a última carreata do “Não”. Mais uma portunidade do povo do Pará mostrar que quer continuar unido e que juntos podemos fazer um Estado mais forte. A carreata é promovida pela frente contra a criação do Estado do Tapajós. Da avenida Tamandaré, seguirá pela avenida Nazaré, travessa Castelo Branco, rua José Bonifácio e avenida Perimetral terminando em frente ao Colégio NPI.