São Paulo abre e Rio fecha a Copa-2014

Após 57 versões, a tabela da Copa do Mundo de 2014 foi oficialmente divulgada no início da tarde desta quinta-feira pela Fifa, em evento na Suíça, e o estádio do Corinthians, em Itaquera, vai mesmo receber não só a abertura (em 12 de junho, uma quinta-feira, às 17h), como outros cinco jogos. Será uma partida a menos que os recordistas Brasília e Maracanã, no Rio, que abrigará a decisão (em 13 de julho, um domingo, às 16h), repetindo o que houve no primeiro Mundial no país, em 1950. Naquela ocasião, a seleção perdeu para o Uruguai.

A Fifa também publicou quais das 12 sedes estarão na Copa das Confederações de 15 a 30 de junho de 2013, evento considerado teste para o Mundial: Rio, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza. Ainda há a possibilidade de a dupla nordestina Salvador e Recife entrar na lista, caso suas arenas fiquem prontas até lá. A abertura será em Brasília e a final no Rio, com as semifinais em Belo Horizonte e Fortaleza.

JOGOS DA COPA DO MUNDO POR CIDADE:

7 jogos: Rio e Brasília
6 jogos: Belo Horizonte, Fortaleza, São Paulo e Salvador
5 jogos: Recife e Porto Alegre
4 jogos: Natal, Cuiabá, Curitiba e Manaus

O Maracanã só receberá a Seleção se o time for até a decisão. Na primeira fase, o time de Mano Menezes atuará em São Paulo, Fortaleza (17 de junho, terça-feira) e Brasília (23 de junho, segunda-feira). Se o Brasil for primeiro do seu grupo, jogará as oitavas em Belo Horizonte, no dia 28 de junho. Se for segundo, no dia 29, em Fortaleza. Nas quartas, sendo o líder do grupo, voltará a Fortaleza (4 de julho, sexta-feira). Se passar como segundo do grupo, 5 de julho (sábado), em Salvador. Na semifinal, na opção A, jogará em Belo Horizonte (8 de julho, terça-feira). Na opção B, em São Paulo (9 de julho, sábado).

A disputa do terceiro lugar acontecerá em Brasília. Diferentemente do que ocorreu na África do Sul-2010, o dia da abertura terá uma partida única. Após a largada, serão quatro horários de jogos por dia na etapa de classificação nos seguintes horários: 13h, 16h, 19h e 22h. Os locais das outras partidas já foram marcados, mas não há os times conhecidos porque isso depende das eliminatórias pelo mundo, já que nenhuma vaga foi definida, a não ser do país-sede. (Da Folha de S. Paulo)

Tribuna do torcedor

Por Paulo Pardauil (paulo.pardauil@caixa.gov.br)

Como torcedor do Paysandu venho manifestar minha indignação com o atraso salarial dos jogadores. Já provamos do que são capazes os jogadores que não recebem em dia quando caímos da 1ª para a 2ª divisão em 2005; quando tomamos de 9 a 0 e caímos para a 3ª em 2006 e no ano passado com o Salgueiraço. Quando não recebem pagamento os jogadores começam a se achar donos do time e a fazer de fantoche a diretoria e o presidente. O atraso nos salários provocou nossa derrota no último domingo e o boicote ao técnico Édson Gaúcho que vinha fazendo um bom trabalho até então. Se continuar do jeito que está, vamos novamente perder o acesso para nós mesmos com as panelinhas que se formam por jogadores. Não é admissível que pais de família trabalhem o mês inteiro e não recebam seus pagamentos. Isso ocorre, entre outras coisas, pela farra nas contratações que vemos anualmente em Remo e Paysandú quando são contratados aproximadamente 30 jogadores por ano. Nos clubes organizados contratam-se quatro ou cinco jogadores de qualidade. Josiel já vem demonstrando sua insatisfação com o clube e com a cidade faz muito tempo. Como não recebe em dia e a diretoria não tem recursos para pagar sua rescisão, a torcida tem que engolir um atacante sem vontade que fica dizendo que “já jogou em lugares melhores” e que “está com saudades de gente bonita”. Não duvido nada que será um dos próximos a ir embora e acionar o Paysandú na Justiça do Trabalho.

Luiz Omar quer trocar Potiguar por cadeiras usadas

A negociação é meio inusitada e tem toda pinta de que vai virar mais um episódio folclórico do nosso futebol. O presidente do Paissandu está disposto a ceder o meia-atacante Tiago Potiguar ao Atlético (PR) em troca de cadeiras da Arena da Baixada. A notícia foi publicada pela Folha de S. Paulo desta quinta-feira. O clube paranaense aproveitaria a transação para lucrar com as cadeiras antigas de seu estádio, que estão sendo trocadas por assentos mais modernos para a Copa do Mundo de 2014. A ideia do presidente Luiz Omar Pinheiro é aproveitar as cadeiras da Arena para dar ao estádio da Curuzu uma aparência mais moderna, aposentando os degraus das arquibancadas de concreto. A troca, já encaminhada pelos dirigentes, só seria possível quando o Atlético-PR reformar todos os seus assentos, o que deve ocorrer meses antes do inicio da Copa das Confederações.

LOP admite que a situação financeira do Papão não permite a compra de cadeiras novas para a Curuzu. Quanto à transação envolvendo Potiguar, afirmou que não seria uma simples permuta pelas cadeiras, podendo haver uma compensação financeira ao Paissandu. “Não é que o Paissandu vai trocar o jogador só por cadeiras. Existe o interesse do Atlético no jogador, e nós temos interesse nas cadeiras. Com base nisso, podemos começar uma negociação. Não teríamos condições de comprar cadeiras novas, precisamos de dinheiro e modernizar nosso estádio”, explicou o cartola. (Foto: MÁRIO QUADROS)