O lado negro do amor

Por Cintia Barlem, Gustavo Poli e Zé Gonzalez (Globo.com)

O roteiro era de conto de fadas. Jogador de futebol e atriz global se apaixonam, casam e vivem felizes para sempre. Na realidade, a carruagem não demorou para virar abóbora. Elano Blumer nunca foi estrela principal – nem Nívea Stelmann. Mas o romance particular dos dois terminou na Justiça. Segundo o jogador, em depoimento na quarta vara cível do Rio de Janeiro, a atriz enviou fotos íntimas via Sedex para o Santos e para a ex-esposa do atleta – e Elano entrou na Justiça para evitar a divulgação desse material. No dia 9 de setembro, os advogados do jogador conseguiram uma antecipação de tutela – que impede que a atriz divulgue fotos ou material íntimo do jogador – sob a pena de pagar R$ 50 mil. Procurado, Elano diz que não pode se pronunciar já que o processo corre em segredo de Justiça. A pessoas próximas, o jogador disse que só tomou tal atitude para preservar a sua família. 

Elano e Nívea se conheceram no ano passado e mantiveram um romance que durou cerca de um ano – apesar de o jogador ser casado. No início de 2011, Elano se separou judicialmente de sua esposa, Alexandra Blumer – mas, durante a Copa América, quando estava com a Seleção Brasileira na Argentina, terminou com Nívea por telefone. E postou em sua conta no twitter que estava solteiro novamente. 

Nas quartas de final da Copa América, Elano bateu muito mal um pênalti – e foi um dos responsáveis pela eliminação da Seleção Brasileira contra o Paraguai. A má fase continuou no Santos – com outro pênalti perdido contra o Flamengo – e uma sequência de más atuações. Em agosto, os dois ensaiaram reatar o relacionamento. Mesmo machucado, Elano esteve com o Santos no Rio para o jogo contra o Vasco (ele não jogou). Após a partida, foi até o condomínio onde a atriz mora, no Recreio dos Bandeirantes, e chegou a pular o muro da casa para tentar falar com ela. Nívea chegou a publicar em sua conta no twitter:

“Bom dia… homem-aranha mesmo”.

A má fase de Elano no Santos prosseguiu – com atuações ruins e algumas lesões. Depois de uma última tentativa de recomeçar o namoro – e supostamente descobrir que o jogador estava voltando para sua ex-esposa – a atriz ficou indignada. E, segundo o depoimento de Elano, enviou para o Santos e para a própria esposa do jogador as fotos e áudios íntimos compartilhados durante a fase de namoro.

O processo corre na quarta vara cível da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Na decisão proferida em setembro, em que concede a antecipação de tutela, o juiz Carlos Alfredo Flores da Cunha relata textualmente que fotos íntimas foram enviadas para a sede do Santos – com uma carta em que ameaçava divulgá-las.

Jailson esnoba Leão e fecha com o Japiim

Depois de levar traço do meia Soares, que preferiu assinar contrato com o Ananindeua, o Remo perdeu outro reforço para um time emergente. Jailson, que disputou o Parazão pelo Cametá e estava no Independente Tucuruí, preferiu acertar com o Castanhal, para a disputa da primeira fase do Campeonato Estadual 2012.

Papão faz último jogo fora de casa

Depois das deliberações da CBF, saiu a nova tabela do Grupo E do Brasileiro da Série C. O Paissandu faz, como antes, o último jogo fora de casa, apesar de ter sido o primeiro colocado na fase anterior:

1ª rodada
25/09 – 16h Paissandu 1 x 0 América-RN
19/10 – 20h30 CRB-AL  x  Luverdense-MT

2ª rodada
1/10 – 15h15 América 1 x 1 CRB
23/10 – 18h Luverdense x Paissandu

3ª rodada
8/10 – 17h CRB 3 x 0 Paissandu
26/10 – 15h15 América x Luverdense

4ª rodada
16/10 – 16h Paissandu x CRB
30/10 – 18h Luverdense x América

5ª rodada
22/10 – 17h CRB x América
02/11 – 20h30 Paissandu x Luverdense

6ª rodada
06/11 – 17h América x Paissandu
06/11 – 17h Luverdense x CRB

A frase do dia

“Ele (Neymar) apanhou bastante, tem a forma dele de jogar, às vezes vai ser caçado e o juiz tem vergonha de apitar tanta falta. Mas não importa o erro do juiz, ele é um craque e tem que se acostumar, não pode fazer isso aí. Não pode perder a cabeça e aplaudir. O bom do Neymar é que ele é muito humilde. Ele chorou, reconheceu e pediu desculpas, mas tem que se acostumar. Tem que aprender, ter essa paciência. É um jogador ainda em formação, essas coisas não são boas para o time, mas são boas para a formação dele, é um aprendizado.”

De Muricy Ramalho, técnico do Santos, sobre a expulsão de Neymar contra o Atlético-MG.

Cariocas lideram Rio-SP particular

Por Juca Kfouri

Falta apenas meia dúzia de jogos para completar o Rio-São Paulo particular do Brasileirão-2011, que tem só times do eixo entre os seis primeiros: Santos x Botafogo; Palmeiras x Fluminense; Vasco x São Paulo; Flamengo x Santos; Santos x Vasco e Palmeiras x Vasco. Por enquanto a vitória carioca é avassaladora e já está assegurada mesmo que os times do Rio percam todos os jogos que restam, hipótese mais do que improvável.

São 14 vitórias cariocas, sete derrotas e cinco empates até aqui.

Coluna: Tapetão estraga a Série C

A destrambelhada decisão do Pleno do STJD de excluir definitivamente o Rio Branco da Série C, mantendo decisão anterior, tumultua o campeonato e prejudica diretamente o Paissandu, que tinha uma vitória conquistada fora de casa. O América perde também os três pontos ganhos conquistados em casa. O CRB, que havia empatado com os acreanos, teve apenas um ponto subtraído.
Duro é tentar adivinhar o futuro deste malsinado grupo E, pois os próximos passos dependem da CBF, embora a lógica indique que o Luverdense deva voltar à disputa, por ter sido o segundo classificado na fase anterior. Para que isso aconteça, alguém terá que bancar as despesas dos três jogos a serem refeitos.
Como a CBF não costuma assumir despesas de seus filiados, não seria surpreendente se o grupo fosse realinhado com apenas três equipes, mantendo o Luverdense fora da disputa. É ilógico e sem sentido, eu sei, mas coerência não é o forte da CBF. 
De toda maneira, a decisão embola a situação e atrapalha a vida dos clubes que nada têm a ver com o peixe. Paissandu, CRB e América, que se preparavam para a rodada deste fim de semana, podem ser obrigados a alterar seus planos imediatos, à mercê de futuras deliberações. 
As mudanças na tabela de jogos, frequentes em todas as divisões do futebol brasileiro nesta temporada, agridem frontalmente artigos do avacalhado Estatuto do Torcedor. Ironicamente, sempre que lhe convém, a CBF invoca a lei para punir jogadores e clubes. Falta alguém tomar coragem para enquadrar a entidade usando o remédio legal.  
Quanto ao Paissandu, que até ontem liderava a chave, a situação muda para pior, pois a possível entrada do Luverdense embaralha novamente as cartas. A essa altura, a melhor das hipóteses é a permanência dos atuais disputantes. Com isso, bastará uma vitória simples sobre o CRB domingo para assegurar o acesso, sem depender de outros resultados. 
 
 
O Botafogo é um time quando Loco Abreu joga e outro, bem piorado, quando o uruguaio está ausente. Anteontem, contra 32 mil corintianos e mais um trio de arbitragem dos mais suspeitos, Loco fez gol e depois recuou, posicionando-se praticamente como zagueiro quando Cortês foi expulso. Assim se forjam ídolos – a ferro e fogo.
 
 
O atacante Kleber não é propriamente um escoteiro. Em campo, vive se envolvendo em escaramuças, colecionando advertências e expulsões. Forçou rompimento de contrato com o Cruzeiro e quase trocou o Palmeiras pelo Flamengo. Mas, no episódio em que o volante João Vítor foi espancado por torcedores, o Gladiador está coberto de razão.
O fato é que chegou a hora de dar um basta nessa escalada de violência e impunidade. No outro extremo, o técnico Felipão volta a pisar na bola. Para fazer média com a banda podre da torcida palmeirense, tentou pôr em dúvida o papel da vítima na história e quase absolveu os agressores.
Pela ótica de Felipão, a briga teria sido uma versão infeliz do célebre confronto entre o hercúleo Paulo Amaral e a torcida do Botafogo no Maracanã, relatado pelo jornalista Sandro Moreyra. Fiel ao estilo assumidamente exagerado, Sandro jurava que Amaral (ex-técnico do Remo) pulou as arquibancadas e “linchou” um grupo de torcedores.  
 
 
 
Direto do blog
 
“Como ficam os torcedores que pagaram ingressos para assistir os três jogos que o Rio Branco disputou? Será que ninguém entrará na justiça contra esse tipo de abuso?”.
 
Por Fernandes Filho, chamando atenção para o direito do consumidor.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 14)