Não ao esquartejamento do Pará

A CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) no Pará aprovou documento em que se posiciona contra a criação dos estados do Tapajós e Carajás no plebiscito do dia 11 de dezembro. A entidade justifica a sua posição enumerando, entre outras razões, que os dois novos estados estão atrelados a interesses elitistas. Segundo a declaração, “essa proposta de divisão é contrária aos interesses dos trabalhadores e da sociedade, servindo a interesses de elites politicas locais e de grandes empresas, que preferem relações com aqueles políticos regionais a enfrentar uma posição ou oposição politica mais madura do conjunto do estado”.

Paissandu deve fechar acordo com o Governo

Governo do Estado deve firmar acordo com o Paissandu para custear deslocamentos na Série C. Luiz Omar Pinheiro, presidente do clube, deve entregar nesta quarta-feira a planilha de custos à Secretaria Estadual de Esporte e Lazer (Seel) para que o contrato seja formalizado. Em contrapartida, o time voltaria a jogar no Mangueirão. Fonte do governo, porém, alerta que, apesar da boa vontade dos dois lados, o acordo ainda não está sacramentado.

Coluna: A melhor Seleção possível

Jefferson; Danilo, Dedé, Réver e Cortês; Ralf, Rômulo, Lucas e Ronaldinho Gaúcho; Neymar e Borges. Assim deve jogar o Brasil contra a Argentina, hoje, no Mangueirão. A formação, de pegada fortemente ofensiva, ficou mais ou menos definida no treino “secreto” que Mano Menezes comandou ontem à noite.
Poupado que foi da obrigatória escalação do corintiano Paulinho no quarteto de meio-campo, o Brasil deve exibir mais desembaraço e velocidade do que no primeiro jogo, em Córdoba. Aliás, seria praticamente impossível repetir atuação tão desplugada como aquela. 
Por força das limitações do time argentino, cheguei a pensar que o embate de hoje poderia ser um passeio canarinho. Além de um time tecnicamente mais leve, a Seleção terá o calor e o incentivo da torcida paraense. Quem já jogou contra o Mangueirão lotado sabe o que isso significa, mesmo levando em conta a expertise dos argentinos em superar ambientes hostis.
Ocorre que a impressão inicial de facilidades se desfez com a chamada dos “brasileiros” pelo comando técnico da Argentina. Com Montillo, Bollatti e Guiñazu, as coisas ficam mais parelhas e o clássico ganha em qualidade. O meia-armador é craque, conhece bem a manha brasileira. O volante do Inter é um leão-de-chácara dos mais ferozes. Se forem escalados, mudam por completo as características da insossa equipe de Alejandro Sabella. Certeza de um grande duelo na meia-cancha.
Na configuração esboçada por Mano, Ronaldinho e Lucas terão imensas responsabilidades na criação. O pior da história é que Gaúcho pouco tem atuado naquela faixa. Ressurgiu das cinzas no Flamengo posicionado mais à frente. Em Córdoba, mais recuado, foi apenas discreto.
Lucas ainda não se encaixou, por excesso de timidez para se impor como solista. Como tem por hábito conduzir muito a bola, facilita a marcação e trava a armação. Ganha de Mano neste clássico sua maior chance na Seleção. É provável que, pelo que tem jogado no Botafogo, Elkeson mereça alguns minutos para mostrar a que veio.
Em relação à escalação do primeiro confronto, a Seleção fica mais sólida com Cortês, Rômulo e Lucas substituindo a Kleber, Paulinho e Renato Abreu, respectivamente. Perde, porém, lá na frente com a troca (por contusão) de Leandro Damião por Borges. De toda forma, como diria o filósofo Josiel, isto é o melhor que temos, fazer o quê?       
De Neymar, o grande astro da companhia, espera-se tudo. O torcedor que lotará as arquibancadas do Mangueirão vai, em sua grande maioria, para vê-lo. A boa notícia é que, além dos dribles de sempre, ele tem se doado bravamente ao escrete. Mesmo quando não brilha, exibe a transpiração de quem ainda cava seu lugar no time. O torcedor quer ver exatamente isso: talento e raça. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola)      
 
 
 
Apesar das desconfianças justificadas quanto à seriedade desse torneio de encomenda, denominado Super Clássico das Américas para homenagear (logo quem) Nicolas Leoz, eterno cartola paraguaio, boto fé que veremos um duelo interessante. Até mesmo pelo ambiente que cerca o amistoso. Estádios apinhados, com torcedores gritando o tempo todo, quase sempre proporcionam grandes jogos de futebol. 
Além do que, sempre é bom ver em ação esses dois gigantes continentais, mesmo sem grandes astros internacionais – ausências sentidas, por justiça, apenas do lado deles, com Lionel Messi e Carlitos Tévez.
 
 
 
Direto do blog
 
“É aquele velho ditado que para alguns é de extrema importância e que implica a ausência de um naco sequer de dignidade: o que vale é ser sempre amigo do rei, por mais tirano que seja vossa majestade. É de dar vergonha.”
 
Por Daniel Malcher, sobre a prometida homenagem do Remo ao presidente da CBF.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 28)

Belém deve ser sede da Copa América 2015

Em jantar oferecido na noite desta terça-feira pelo governo do Pará à imprensa nacional e estrangeira que veio cobrir o jogo Brasil x Argentina, ao lado do presidente da Confederação Sul-Americana, Nicolas Leoz, o governador Simão Jatene agradeceu a presença de todos em Belém e deu as boas vindas, dizendo esperar um jogo empolgante no Mangueirão, num clima de paz e civilidade. Durante a recepção, no Restô do Parque, Jatene referiu-se ao carinho com que os cidadãos de Belém tratam visitantes e o amor que a cidade devota ao futebol.

Nos bastidores, apesar de nenhuma confirmação oficial, circulou a informação de que o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, deve anunciar nesta quarta-feira Belém como uma das sedes da Copa América de 2015. Teixeira chega às 10h45 e deve almoçar com o governador Jatene e o presidente da Sul-Americana.

Hermanos treinam no Mangueirão

A seleção argentina, que chegou a Belém no começo da tarde, treinou na noite desta terça-feira no Mangueirão em ritmo de descontração. O técnico Alejandro Sabella ministrou exercícios táticos e os jogadores se movimentaram no gramado. Guiñazu, Montillo e Bollati estavam entre os mais animados da equipe. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)