O adeus de uma grande banda

A banda R.E.M. publicou um comunicado oficial em seu site nesta quarta-feira anunciando que a banda acabou. “Para nossos fãs e amigos: Como R.E.M., e como amigos da vida toda e co-conspiradores, decidimos acabar a banda. Vamos embora com muita gratidão por tudo o que conquistamos. Para quem já se sentiu tocado por nossa música, nosso mais profundo agradecimento pela atenção”, diz o comunicado. O vocalista Stipe, o guitarrista Peter Buck e o baixista Mike Mills aproveitaram para dizer suas últimas palavras sobre o fim da banda, que no início era composta ainda pelo baterista Bill Berry, que se aposentou em 1997 para virar fazendeiro.

“Um homem sábio certa vez disse: a habilidade em ir a uma festa é saber a hora de ir embora. Nós construímos coisas extraordinárias juntos, e agora vamos nos distanciar disso. Espero que nossos fãs percebam que essa não foi uma decisão fácil, mas tudo tem seu fim e nós queríamos fazer isso agora. Nós gostaríamos de agradecer a todos que nos ajudaram a ser o R.E.M. nestes 31 anos. Nossa maior gratidão a quem nos permitiu fazer tudo isso. Tem sido incrível”, disse Stipe.

“Uma das coisas ótimas sobre estar no R.E.M. foi o fato de que essas músicas e discos significavam muito pra gente tanto quanto pros nossos fãs. E ainda são. Ser parte de várias vidas é um dom inacreditável. Obrigado. Nós ainda somos grandes amigos. Eu sei que os verei no futuro, assim como sei que verei cada um que nos apoiou ao longo dos anos. Mesmo se for só alguém na loja de discos, ou em um clube, vendo um grupo de garotos de 19 anos tentando mudar o mundo”, escreveu Buck.

A banda começou sua carreira no início dos anos 1980 e gravou, até hoje, 15 álbuns de estúdio. O último é “Collapse Into Now” e foi lançado em março deste ano. A banda não chegou a fazer turnê para divulgar esse disco. O álbum marcou o fim do contrato da banda com a gravadora Warner.

Os álbuns mais bem sucedidos da banda foram “Out of Time” (1991) e “Automatic for the People” (1992). O primeiro hit da banda foi “The One I Love”, em 1987. Também ficaram famosas músicas como “It’s the End of the World as We Know It (And I Feel Fine)”, “Losing My Religion”, “Shiny Happy People” e “Everybody Hurts”. Em 2007, a banda ganhou lugar no Hall da Fama do Rock and Roll. Os últimos shows da banda no Brasil aconteceram em novembro de 2008. (Da Folha de SP)

A pior notícia do dia, sem dúvida. Vai fazer falta.

Brasil despenca no ranking da Fifa

Da Folha de SP

Um mês depois de ter perdido a liderança do ranking da Fifa para a Holanda, a Espanha voltou à ponta na lista divulgada nesta quarta-feira, enquanto o Brasil caiu mais uma posição, para sétimo. A atual campeã do mundo tem agora 1.605 pontos, deixando a Holanda na vice-liderança, com 1.571 pontos. A Alemanha segue em terceiro, com 1.290. Por outro lado, o Uruguai, campeão da última Copa América, chegou à quarta posição, sua melhor colocação na história. A maior escalada entre as dez primeiras seleções foi protagonizada por Portugal, que saiu do oitavo posto para o quinto.

CLASSIFICAÇÃO DE SETEMBRO:

1. Espanha – 1605 pontos
2. Holanda – 1571
3. Alemanha – 1290
4. Uruguai – 1184
5. Portugal – 1158
6. Itália – 1142
7. Brasil – 1132
8. Inglaterra – 1089
9. Croácia – 1057
10. Argentina – 1024

Leão deve anunciar três reforços

Pedro Minowa, diretor de futebol do Remo, revela que o clube deve integrar alguns jogadores mais experientes ao elenco. Já existiriam até cinco atletas (dois meio-campistas, um atacante e um goleiro) apalavrados com o Leão para fechar contrato. “O número pode até não ser cinco, mas até sexta-feira, dois ou três jogadores serão anunciados”, revelou Minowa. Esses atletas devem vir das duas equipes paraenses eliminadas da primeira fase do Campeonato Brasileiro das Séries C e D, Águia e São Raimundo, respectivamente. Os nomes mais especulados são os de Alan Taxista, Peri, Aldivan e Sató. O dirigente observa que os jogadores concordaram em aceitar o teto salarial de R$ 3 mil praticado pelo clube. O elenco continua treinando normalmente no Baenão, à espera de novos amistosos no interior. Nas fotos de Mário Quadros, o goleiro Diego Amaral (acima) e o trio Diego Barros, Ró e Alan, embaixo.

Subindo pelas paredes

O amor, de fato, move montanhas. Que o diga o meia Elano, do Santos. Em agosto, na tentativa de reatar o namoro com Nívea Stelmann, o jogador teria escalado o muro da casa da atriz, no Rio de Janeiro, para tentar falar com a ex, que não atendia o telefone celular. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa de Nívea. Elano ainda não se pronunciou sobre o fato. O barulho que Elano teria feito durante a madrugada, ao se declarar para a atriz, incomodou os vizinhos, que ameaçaram até mesmo chamar a polícia caso o meia não parasse. Em sua página no Twitter, Nívea Stelmann tratou do caso de maneira bastante enigmática e irônica. “Bom Dia. Homem Aranha mesmo”, escreveu. O namoro dos dois, que começou em fevereiro, acabou em julho. Neste mês, Elano reatou o casamento com Alexandra Blumer, mãe dos filhos do casal.

Já pra bater pênalti…

Coluna: Campeonato sob suspeita

As imagens estão disponíveis na internet para quem quiser ver. Não há muito a discutir. Depoimentos de quem esteve no estádio presidente Vargas confirmam que o jogo entre Fortaleza e CRB terminou em monumental marmelada. No vídeo, os jogadores do time cearense aparecem avisando os adversários que só faltava um gol para salvar o Tricolor do rebaixamento.
Carlinhos Bala foi o mais generoso nos gestos.
Para completar, um beque alagoano recomenda ao seu próprio goleiro que deixasse a bola passar. E o quarto gol, meio chorado, acabou mesmo acontecendo, para festa da torcida e dos jogadores cearenses.
Só para situar o leitor: Fortaleza e Campinense lutavam desesperadamente, em cidades diferentes, para permanecer na Série C. Como a equipe paraibana vencia o Guarani de Sobra por 2 a 1, o Fortaleza só escaparia se conseguisse fazer 4 a 0 sobre o CRB. Tarefa das mais difíceis pelo equilíbrio entre os times e a bola murcha que os cearenses estão jogando.
Ocorre que, no velho PV, empurrado pela torcida, o Fortaleza se encheu de confiança para buscar os gols que precisava. Para isso, contou com ajuda extra. Atrasou em 10 minutos o começo do segundo tempo e, graças ao truque, continuou em campo depois que acabou o jogo do Campinense, sabendo obviamente de quanto precisava para reverter a situação.
Começou, então, a pressão sobre os jogadores do CRB, que se aguentava em campo com menos dois atletas. Os vídeos que circulam na internet exibem justamente dos constrangedores instantes finais da partida.
Não é o tipo de coisa que chega a surpreender. Afinal, até em Copa do Mundo já se registraram bandalheiras desse gênero, como na inesquecível goleada da Argentina sobre o Peru em 1978. A surpresa deste episódio está na maneira quase explícita como o arranjo aconteceu, à vista de todos.
Por razões óbvias, as maracutaias são urdidas nos subterrâneos do futebol e poucos percebem quando acontecem. Desconfianças surgem, mas ninguém consegue provar e acaba ficando tudo por isso mesmo.
Estamos, portanto, diante de evidências claras de armação para garantir um resultado. Cabe à CBF tomar as providências cabíveis. De cara, o senso comum diz que Fortaleza e CRB deveriam ser eliminados da competição e rebaixados à Série D. Duro é esperar ações punitivas e moralizadoras da entidade presidida por Ricardo Teixeira.  
 
 
Ainda sob um clima de total incerteza, o Paissandu ficou sabendo ontem à noite que vai estrear na segunda fase da Série C recebendo o América (RN), domingo, na Curuzu. Depois que o STJD concedeu efeito suspensivo ao Rio Branco, a CBF imediatamente cancelou a rodada, medida mais sensata diante das idas e vindas do imbróglio jurídico. Horas depois, mudou de idéia e comunicou à Federação Paraense de Futebol que os jogos seriam realizados, com a simples substituição do Luverdense pelo Rio Branco. 
Nada garante que hoje, diante das pressões do Luverdense, a entidade modifique novamente sua interpretação. Na verdade, a decisão que excluiu o Rio Branco da competição não podia ter sido entendida como definitiva. O próprio placar na comissão disciplinar do STJD (2 votos a 1) indica que o pleno pode alterar a decisão no julgamento do mérito.
A indefinição só não leva em conta os prejuízos na preparação dos times. O Paissandu, por exemplo, terá que realinhar sua estratégia, pois o adversário mudou. As condições do jogo, também.     
 
 
Em atenção aos pedidos feitos pelo técnico, o Paissandu apresentou ontem duas novas contratações. Rodrigo, lateral esquerdo, ex-Itumbiara, e Nenê Apeú, atacante, ex-São Raimundo. Não se discute a necessidade de reposição depois das recentes dispensas, a dúvida é se são jogadores à altura das carências do time. Como na sexta-feira, 23, termina o prazo para inscrições, o clube ainda deve anunciar mais três reforços até lá. Haja caixa para tanta despesa.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 21)