Senador sorteia ingressos para Brasil x Argentina

O senador tucano Flexa Ribeiro (PSDB-PA) oferece um par de entradas para o amistoso Brasil x Argentina, programado para o estádio Mangueirão, no dia 28 de setembro. Questionado pelos internautas, ele disse que objetivo é apenas aumentar número de seguidores no microblog. Segundo matéria da repórter Iara Lemos, do G1, em Brasília, Flexa decidiu sortear, por meio do perfil dele no microblog Twitter, um par de ingressos para o amistoso entre Brasil e Argentina no próximo dia 28, no estádio Mangueirão, em Belém (PA).

Os ingressos são para o setor de arquibancadas. Segundo o site do senador na internet, a “promoção” vai até o dia 20 e não inclui eventuais custos com hospedagem ou transporte. Para concorrer, o interessado tem de retuitar uma frase indicada na página do senador: “Siga @senadorFlexa, dê RT e concorra a um par de ingressos para o Superclássico das Américas no Mangueirão”.

Flexa Ribeiro disse que os ingressos foram comprados por funcionários do gabinete, mas com dinheiro do próprio senador. “Eu mandei o gabinete comprar hoje, assim que abriu a venda dos ingressos. Saiu uns R$ 200. Foi um funcionário do gabinete que comprou, mas o dinheiro foi do meu bolso, nada do gabinete”, afirmou o senador,

De acordo com Flexa Ribeiro, o objetivo do sorteio é aumentar o número de seguidores no Twitter. Até esta segunda (12), o senador tinha 7.833 seguidores. Segundo ele, outros sorteios já foram realizados por meio do Twitter, como livros. “É uma forma de incentivo. Muita gente lê o Twitter. É um canal de comunicação”, afirmou.

O Regimento do Senado não proíbe a distribuição de brindes ou sorteios. O G1 consultou o presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto (PMDB-MA), que afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não comentaria o caso, a não ser que algum questionamento formal sobre a atitude de Flexa Ribeiro chegasse ao conselho.

Flexa é postulante à candidatura do PSDB à Prefeitura de Belém nas eleições do próximo ano.

Paissandu confirma Gaúcho e dispensa sete

O presidente Luiz Omar não apareceu para dar entrevista na Curuzu, no final desta manhã, mas mandou o diretor Fred Carvalho comunicar a demissão de Roberto Fernandes e anunciar a contratação de Edson Gaúcho. Segundo Carvalho, Fernandes queria permanecer, mas foi informado por Antonio Cláudio Louro sobre a decisão tomada pela diretoria do clube. Às 14h30, desembarca em Belém o novo comandante, Edson Gaúcho, cuja contratação teria sido defendida por Louro, Carvalho e Feliz, dublê de secretário do presidente e porta-voz do clube.

Durante a coletiva, na Curuzu, surgiu a informação de que sete jogadores serão dispensados ainda nesta terça-feira. Carvalho, porém, não confirmou a vassourada. A lista seria a seguinte: Jean (lateral-esquerdo), Jorge Felipe (zagueiro), Charles Vagner (volante), Diguinho (zagueiro/volante), Visotto (goleiro), Luciano Henrique (meia) e Josiel (atacante). (Com informações do Bola/DIÁRIO)

Doutor Sócrates progride

Por Juca Kfouri

Aos que têm procurado o blog em busca de informações sobre como vão as coisas com Sócrates a notícia é prudentemente animadora: seu quadro estabilizou-se completamente a ponto de permitir que ele recomece a subir a longa ladeira que tem pela frente. E ele vai dando sinais de ser capaz de seguir adiante. A falta de notícias aqui nos último fim de semana deveu-se exatamente àquilo aqui já manifestado: a melhor notícia sobre seu estado de saúde era não haver notícia. E não havia.

Edson Gaúcho é o novo técnico do Papão

O diretor Antonio Claudio Louro confirmou, antes mesmo de o presidente Luiz Omar se manifestar, que Edson Gaúcho está de volta ao Paissandu. O treinador, que esteve no clube há três anos conquistando o título paraense de 2009, já teria acertado as bases salariais para assumir o time na partida final desta fase da Série C – domingo, contra o Araguaína, na Curuzu. Sobre Roberto Fernandes, nenhuma palavra, mas supõe-se que o técnico pernambucano tenha sido avisado sobre sua demissão. Às 11h30, deve ocorrer uma entrevista coletiva com LOP, para esclarecimentos sobre a atual situação do clube e os planos para tentar a classificação à próxima fase da competição. Com dificuldades de relacionamento com dirigentes e imprensa, Maçaranduba só treinou um time (Criciúma, por dois meses) depois que foi demitido do Paissandu após entrar em rota de colisão com o próprio Luiz Omar.

Agora vai…

Coluna: Um festival de lambanças

Como se não bastasse a atuação trôpega na Arena da Floresta, o Paissandu ainda arranjou um jeito de prolongar o constrangimento promovendo uma lambança monumental na hora do retorno para Belém. A desorganização deu o tom e grande parte da delegação foi obrigada a permanecer na capital acreana porque as passagens aéreas não foram compradas. Um pequeno grupo, depois de improvisado sorteio no aeroporto, conseguiu embarcar.
O fato expõe mazelas administrativas bem conhecidas internamente, mas sempre negadas pelo presidente Luiz Omar Pinheiro. O episódio, que envolveu problemas com as diárias de hotel, gera um desgaste público desnecessário à imagem do clube. Uma situação que deveria ter sido contornada pela ação de um bom gerente.
Trapalhadas próprias de comédia pastelão não ficam bem para um clube que luta para voltar às divisões mais importantes do futebol brasileiro. O projeto de subir à Série B neste ano, anunciado com pompa e circunstância pela diretoria do clube, tem custo mensal superior a R$ 500 mil somente com salários.
As outras despesas (deslocamentos e hospedagens) elevam a conta para a casa dos R$ 700 mil mensais. Números que desafiam a lógica e o bom senso num cenário de patrocínios insuficientes e arrecadações abaixo do esperado nos jogos em Belém. Com base nos desencontros contábeis era até previsível o desfecho vexatório, que se junta a um ambiente já conturbado pelo mau resultado em campo e notícias sobre atrasos salariais.
Como a Curuzu vive sob um tiroteio de boatos e especulações, há quem aposte até na substituição de Roberto Fernandes por uma dupla improvisada apenas para o jogo contra o Araguaína: Zé Augusto/Sandro, reedição da experiência remista com Belterra & Agnaldo nos anos 90. Não se sabe se é apenas factóide para abafar a crise ou se LOP e seus assessores estão, de fato, levando a idéia a sério. A conferir. 
 
 
Sem Flamel, Mendes, Taxista e Danilo Goiano, o Águia se vira como pode para o confronto decisivo em Lucas do Rio Verde, domingo. João Galvão estuda até a hipótese de lançar um 4-5-1, com o endiabrado Peri na função de atacante solitário. Para quem precisa vencer, a estratégia parece (e é) esquisita.  
 
 
Surpreendente, para dizer o mínimo, o sorteio de ingressos para o jogo Brasil x Argentina promovido ontem no Twitter pelo senador Flexa Ribeiro (PSDB). Na esteira das críticas ao inusitado lance de marketing político veio o oportuno esclarecimento sobre a origem dos bilhetes. A assessoria garante que serão comprados em Belém pelo próprio Flexa, sem uso de dinheiro público. Ainda bem.
 
 
 
Direto do blog
 
“Pra vocês verem a que ponto nós chegamos com esse time medíocre. Pobreza em tudo, gol marcado, gol sofrido, artilharia, enfim, tudo. Agora a gente fica fazendo continhas miseráveis. Haveria necessidade de deixar a coisa tomar esse rumo perigoso? Todo ano é a mesma coisa! Te contar…”.
 
De Manoel Lima, torcedor do Paissandu, naturalmente aborrecido com a campanha na Série C.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 13)