Águia aposta tudo no novo ataque

Por Mariuza Giacomin

João Galvão deve repetir contra o Araguaína, na segunda-feira à noite, o mesmo time que começou a partida no amistoso diante do Independente. A exceção será a substituição do goleiro Alan, que dará vez para Marcelo Cruz, poupado na vitória por 2 a 0 sobre o Galo Elétrico. O treinador aprovou a postura da equipe no 3-5-2, com a entrada de Alan Taxista na ala direita. A zaga conta com Roberto, Edkléber e Carlão. Na lateral-esquerda, Rairo. O meio-campo conta com os volantes Danilo Goiano e Willian Santos e o meia Marquinhos. Para o ataque, grande aposta de Galvão para vencer a partida, Peri será mantido ao lado de Mendes. Para estrear fora de casa, a delegação do Águia viaja no começo da tarde de domingo rumo a Araguaína, em viagem de ônibus de 300 quilômetros.

A CBF divulgou a escala de arbitragem para o jogo entre Águia e Araguaína, no estádio Leôncio Miranda, no Tocantins. No apito, o goiano Eduardo Tomáz de Aquino, que terá como assistentes o maranhense Cícero Romão e o tocantinense Antonio Souza Parreão.

Copa de 2014 terá jogos sob “luar” da tarde

A Copa do Mundo de 2014 vai ter jogos no começo da tarde, mais ou menos entre 13h e 14h. Com o Mundial espalhado pelo Norte e pelo Nordeste do Brasil, os jogadores serão obrigados a atuar sob forte calor em algumas ocasiões.  Para se ter uma ideia, a temperatura máxima em Manaus durante o mês de junho, no início do torneio, gira em torno de 35º C. A cidade sediará quatro partidas na Copa. Os jogos vespertinos em Fortaleza, Recife, Brasília, Natal e Cuiabá também devem ser disputados sob forte calor. O governo do Amazonas já foi informado pela Fifa sobre a possibilidade de o Estado sediar partidas do Mundial ainda no início da tarde. Na primeira fase da Copa, serão três horários de jogos por dia. Um no início da tarde, outro no meio e o último no começo da noite, por volta das 19h.

Para desespero da Globo, nenhuma partida importante ocorrerá no horário nobre noturno do futebol brasileiro. A Fifa ainda não divulgou oficialmente o cronograma de jogos, mas já o definiu. Desde o Mundial de 1994, as partidas da Copa não são disputadas em cidades com altas temperaturas. Nos EUA, a Seleção Brasileira venceu a final contra a Itália (foto acima) ao meio-dia, debaixo de um calor de 40 º C.

O rio sempre corre pro mar…

A Geo Eventos, da Globo, foi indicada pela Fifa e pelo COL (Comitê Organizador Local) da Copa-2014 para realizar as Fan Fests nas cidades-sedes. Isso acontece depois de a empresa ter ganhado a organização do Sorteio Preliminar do Mundial. A informação está na reportagem de Martín Fernandez, Rodrigo Mattos e Sérgio Rangel, publicada nesta sexta-feira. A íntegra do texto está disponível para assinantes da Folha e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha.

Em Belo Horizonte, em abril, a Fifa e o COL apresentaram às cidades-sedes, em seminário de marketing sobre a Copa, a Geo como parceira. Representantes de prefeituras e governos estaduais, que não quiseram se identificar, contaram terem sido abordados pelos organizadores da Copa para contratar a empresa para as Fan Fests. Alguns relataram conversas em tom de imposição.

Dessa forma, seria impossível fazer concorrência para essas contratações. Mas a reportagem apurou que houve resistência das cidades, que informaram que teriam de fazer licitação para escolher o organizador das Fan Fests. Quando confrontado, o COL recuou e aceitou a posição da sede. As Fan Fests serão organizadas pelas prefeituras ou pelos governos dos Estados. O comitê, no entanto, afirmou desconhecer qualquer indicação da subsidiária da Globo. A assessoria da Geo negou que já tenha negociações sobre esses eventos.

Coluna: Uma noite para não esquecer

Quem perdeu, vai ter muito o que lamentar pelo resto de seus dias. Os que assistiram, no estádio ou pela TV, devem se considerar privilegiados. Foi o melhor jogo do ano e um dos melhores dos últimos dez anos, sem qualquer sombra de dúvida. Santos e Flamengo pareciam enlouquecidos em campo, marcaram nove gols e ainda houve um penal desperdiçado.
Houve lambança das defesas, mas o que conta mesmo é a voracidade ofensiva dos times. Nos primeiros 20 minutos, o Santos esboçou golear. Fez três gols, um deles antológico do infernal Neymar, perdeu outros tantos e aí caiu naquela soberba típica dos garotos – e que costuma ser a ante-sala do infortúnio, na bola e na vida. Neymar, Ganso e até outros menos virtuosos se metiam a fazer jogadas de efeito, complicando o simples.
Do outro lado, apesar de levar tantos gols em tão pouco tempo, o Flamengo jogava bem. O passe fluía e a dupla Ronaldinho e Tiago Neves criava seguidas chances, quase sempre desperdiçadas pelo atrapalhado Deivid, que perdeu gol até em cima da linha. Faltava aquele último toque para as redes e isso normalmente vai demolindo a auto-estima de qualquer equipe.       
Aos poucos, o Santos foi refreando o ímpeto assassino. Enquanto cadenciava o jogo e caprichava nas firulas, o adversário aproveitou para se reerguer. Veio o primeiro gol, em vacilo do goleiro Rafael. Logo em seguida, o segundo. Pronto. O Flamengo renascia das cinzas.
Os deuses da bola ainda deram uma réstia de chance aos anfitriões. Em arrancada belíssima, Neymar foi empurrado na área e a torcida exigiu que o penal fosse entregue a Elano – aquele mesmo do chute que alcançou as nuvens na Copa América. Péssima idéia. Elano conseguiu ser ainda mais displicente que na Seleção e inventou uma canhestra cavadinha, batendo uma petequinha nas mãos do goleiro rubro-negro. Esqueceu que só um Loco (Abreu) faz esse tipo de coisa. Era a bola do jogo.
A partir daquele momento, o Flamengo ganhou a confiança que faltava. Chegou ao empate e quase virou ainda no primeiro tempo. Veio o intervalo, Muricy deve ter esquentado a orelha da molecada santista e o time voltou mais plugado. Logo de saída, Neymar fez outro golaço e as coisas pareciam sob controle. Ledo engano.
Sob o comando de Ronaldinho, em sua melhor performance desde os tempos iluminados de Barcelona, veio o novo empate – com a colaboração involuntária do nosso Ganso – e a espetacular virada, em lance típico de futsal que já havia executado pelo timaço catalão. Ainda houve chance de mais um gol, mas aí já seria exagerado. Acho que até os deuses já se davam por satisfeitos pelo futebol alegre, ofensivo, imune aos esquemas e modismos. Pena que durou apenas uma noite. Mas, que noite!        
 
 
O Remo ensaia mudanças na estrutura do futebol profissional. Pedro Minowa e Hamilton Gualberto devem ficar responsáveis pelo setor. Mais que escolher nomes, o clube deve definir já sua política de contratações. Não há mais espaço para salvadores da pátria.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 29)

Macca vai abrir a Olimpíada londrina

Importantes bandas do cenário mundial do rock recusaram convites para participar da cerimônia de abertura da Olimpíada de 2012, em Londres. A informação foi divulgada pelo jornal inglês Daily Mirror. De acordo com a publicação, Rolling Stones e Led Zepellin foram chamados para o evento, mas disseram não. A cerimônia também contaria com uma apresentação dos ex-Beatles Paul McCartney e Ringo Starr. Dentre os especulados, apenas McCartney deverá se apresentar no dia 27 de julho de 2012. Desta forma, a organização programaria sua apresentação na companhia de outros artistas. (Do JB)

Não precisa mais ninguém. Macca segura a onda sozinho.