Coluna: O renascimento uruguaio

Luiz Suarez já se destacava nas divisões de base, mas não foi à Copa do Mundo de 2006. Não que os treinadores a serviço da seleção uruguaia de futebol rejeitassem seu futebol. Ao contrário. Avaliou-se que era mais prático deixá-lo participar do Mundial de Juniores em 2007 para ganhar cancha internacional. O Uruguai terminou em 12º lugar, mas essa decisão estratégica permitiu que o atacante chegasse pronto à Copa seguinte, na África do Sul.
Suarez se juntaria a Diego Forlán e, a partir da belíssima campanha no mundial sul-africano, tomaram a dianteira no processo de ressurreição do futebol uruguaio perante o mundo. Com o quarto lugar na Copa, a Celeste resgatou o respeito de todos, após décadas de fiascos. Forlán ainda levou o troféu de melhor jogador do torneio.
Na Copa América que acaba hoje Forlán e Suarez, craques reconhecidos por todos, comandam o Uruguai em busca do primeiro título de ressonância desde o renascimento. É sempre prazeroso falar sobre um time que tem dois jogadores de alta categoria, que jogam em função de fazer gols.
Os dois astros uruguaios pontificam em campo, mas é importante ressaltar que há um esforço muito mais profundo, que inclui planejamento e execução de projetos voltados para a formação de jogadores, desde que Oscar Tabarez assumiu o comando.
O título mundial sub-17, conquistado no mês passado, reflete diretamente o acerto desse trabalho de preparação paciente, que está vinculado à educação de qualidade. E tem na figura de Tabarez um papel exponencial. Ex-professor de escolas primárias no Uruguai, ganhou o prêmio da Unesco destinado a desportistas empenhados em contribuir com a educação infantil. Seus jogadores costumam ressaltar que o técnico jamais levanta a voz ou fala palavrões, e trata o futebol como além de ganhar ou perder. Enfim, um professor de verdade.
E é para este Uruguai que a maioria dos fãs de futebol irão torcer neste domingo, pois é a única seleção que mostrou na Argentina a solidez técnica digna de um título continental. 
 
 
Ecos da campanha brasileira na Copa América. O Twitter de Paulo Henrique Ganso (@SamsungPHGanso), que em apenas 13 dias havia atingido 100 mil seguidores, sofreu um processo de desaceleração depois do insucesso da Seleção (e do meia paraense) em gramados argentinos. Quarenta dias depois, o microblog de PHG ainda não chegou a 200 mil seguidores – tinha, até sábado, exatos 192.055.
 
 
De Cubillas, craque dos anos 70 e maior jogador do futebol peruano em todos os tempos: “Um jogo sem gols é como um jardim sem flores”. Simples, poético, certeiro.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 24)

6 comentários em “Coluna: O renascimento uruguaio

  1. Foi o que eu falei a algum tempo atráz! Simplesmente a federação uruguaia de futebol, fechou as portas depois das gerações de Recoba, Dario Silva e outros. Depois com o surgimento de Forlan, Soares, Kanani, já deu mostras que a qualidade do futebol do Uruguaio deu uma melhorada.
    Depois do longo processo de reformatação, onde os uruguaios deram prioridade para as categorias de base, com um bom acompanhamento em todos os sentidos, com bons profissionais da área de medicina esportiva (médicos, fisiologistas, psicologos) além de bons preparadores físicos, sendo coordenados por bons treinadores de base, o resultado so poderia ser bom ou excelente, não poderia dar errado de forma alguma, pois quem trabalha com planejamento, muito dificiilmente passa perto dos erros, sempre está próximo aos acertos.
    Parabêns aos Uruguaios, pelo excelente trabalho que vem sendo realidado, é que sirva de exemplo para à nossa CBF, é consequentemente para os nossos clubes.

    Curtir

  2. Bom para o futebol mundial que vê a volta de uma escola do futebol mundial, o Uruguai que será eternamente lembrado como a primeira grande potêncial do futebol mundial e pelo Maracanazo.

    Curtir

  3. Quem esperar pelo mesmo trabalho de longo prazo ,estrutural organizacional e paciencia de torcedores no BRASIL ,ESTÁ ERRADO.MAIS PELOS DIRIGENTES QUE TEMOS DO QUE POR OUTRAS COISAS .DEPOIS DE 1970 LEVAMOS 24 anos para vencer outra Copa,agora já iremos para 12 anos sem titulo Mundial na próxima ,que será na nossa casa.Caso não vençamos ,serão mais 12 anos ?

    Curtir

  4. Vou torcer para o Paraguai, espero que vença de 1X0.

    E sobre o Uruguai:
    Renascimento do do seu futebol.
    Maracanazo.
    Copa de 14 no Brasil.
    Eu hein, bi maracanazo nem pensar!!!

    Sobre o Ganso:
    Como diz o Mauro Borges, eu não quero acreditar, mas o problema do nosso paraense é que ele não gosta de dar entrevista, se for por timidez tudo bem, agora se for por marra, tá ruim pra ele.

    Sobre o Cubillas:

    Que maravilha de frase, pena que em 1978 os seus compatriotas resolveram regar o jardim dos argentinos para secar o do Brasil.

    Curtir

  5. O Uruguai não foi à copa de 2006 na Alemanha, as seleções sulamericanas que disputaram aquele mundial foram Brasil, Argentina, Paraguai e Equador. A seleção uruguaia foi ao mundial de 2002 e caiu na primeira fase.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s