Independente confirma participação na Série D

O presidente do Independente Tucuruí, Delei Santos, pôs fim ao suspense criado por ele mesmo desde segunda-feira e confirmou a participação do campeão do returno no Campeonato Brasileiro da Série D. Até a manhã desta terça-feira, havia a expectativa de que o Independente desistisse em função dos altos custos com deslocamentos e hospedagens. Delei, porém, conseguiu obter a garantia de empresários da região quanto a patrocínios que viabilizam a presença do Galo Elétrico no torneio nacional.

Record abre fogo contra Teixeira, CBF e Corinthians

Por Ricardo Feltrin

A TV Record declarou guerra aberta ao presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Depois de exibir ontem uma reportagem de nove minutos na qual acusava o “chefão do futebol brasileiro” de ter sido subornado com US$ 9,5 milhões (R$ 16 milhões), a emissora volta a atacar o cartola esta noite, na estreia a série “Cartolas: Jogo Sujo”, no “Jornal da Record”. Amanhã, a “vítima” da reportagem será o Corinthians, time parceiro da Globo e arquidesafeto da Record. Segundo a Record, Teixeira fez um acordo para devolver a propina. A emissora diz que teve acesso a jornalistas que manusearam documentos secretos que incriminam o presidente da CBF. Procurado, Teixeira não quis se pronunciar.

Na noite de hoje, os repórteres do “Jornal da Record” vão apresentar novas supostas provas de corrupção contra Teixeira, inclusive detalhes sobre investigações que vêm sendo feitas na Suíça. Amanhã o alvo será o Corinthians e sua ex-parceira MSI. A empresa de investimento e o time paulista trabalharam juntos entre 2004 e 2007. O bombardeio da Record à CBF vem sendo preparado pelo menos há dois meses, desde que a Globo, com apoio de CBF e Corinthians, conseguiu minar a licitação promovida pelo Clube dos 13 para escolher a emissora que teria exclusividade do Campeonato Brasileiro até 2014. O C13 foi obrigado a fazer a licitação por ordem do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que, no ano passado, considerou que o modelo vigente até então beneficiava única e exclusivamente a Globo, eternizando-a no monopólio da transmissão do futebol brasileiro.

Ciente de que a única concorrente que tinha dinheiro suficiente para derrotá-la nesse leilão, a Globo passou a minar – sub-repticiamente – a licitação do C13. Para isso, contou quase que imediatamente com apoio do Corinthians, que rejeitou a tutela do C13 e negociou os direitos de seus jogos diretamente com a Globo. A atitude corintiana surpreendeu o C13 e a Record, que já se aproximara de times como o São Paulo e o Atlético-MG, e serviu de efeito dominó: um time após o outro passou a fechar acordo diretamente com a Globo. No dia da entrega dos envelopes ao C13, surgiu ainda uma outra “novidade”: a jovem RedeTV! surgiria com uma proposta considerada “surreal”, de mais de R$ 1,5 bilhão pelos direitos, o que fez com que a Record pulasse fora da licitação também.

Assustados com a possibilidade de terem suas transmissões confinadas à emissora quarta colocada em audiência, e temendo perder boa parte de suas receitas, times como Palmeiras, São Paulo e Flamengo, entre outros, correram assinar com a Globo, o que ampliou a ira da Record. Procurada, a Record nega que a série que vai estrear hoje tenha sido motivada pela disputa pelos direitos de transmissão, e diz que se trata apenas de “puro jornalismo”, dado o envolvimento de Ricardo Teixeira e outros cartolas em um escândalo internacional. (Do Folhaonline)

Coluna: Favoritismo justificado

O Paissandu está tranqüilo e descansado, sem desfalques no time, para enfrentar o Independente nas finais do campeonato. Em situação normal, é favoritíssimo para levantar o título e festejar o tri estadual. Nem a recente troca de técnico criou abalos na Curuzu. Roberto Fernandes substituiu a Sérgio Cosme e vem impondo um estilo próprio, com palavras seguras e um plano de trabalho apoiado por todos no clube.
O novo comandante neutralizou até a compreensível reação negativa dos jogadores do atual elenco diante das especulações sobre contratações para a disputa da Série C. Deu uma tacada de mestre ao vetar a vinda imediata de reforços e, com isso, preservou o ambiente às vésperas das finais.
Outro ponto a considerar é o estímulo que foi dado a gente que andava pelos cantos no clube, entregue à desmotivação. Héliton, Marquinhos, Bryan, Zeziel e até Sandro já demonstram novo ânimo, cientes de que podem vir a ser utilizados nos dois jogos contra o Independente.
Pode não ser suficiente para levantar o caneco, afinal o futebol tem lá seus próprios desígnios, mas a lógica indica que o Paissandu está mais aprumado para o confronto final, mesmo sem levar em consideração os muitos desfalques do Independente para a primeira partida. Caso resista à tentação natural de inventar (e mexer muito na estrutura da equipe), Fernandes tem boas possibilidades de ser campeão em dois jogos.
 
 
Em meio a tantos insucessos, o Remo tem algo a festejar. Dos 105 processos consolidados, a maioria da gestão passada, restam 27 na 13ª Vara do TRT. A dívida original de R$ 9,5 milhões caiu para R$ 5,6 milhões. Produto direto do esforço de Ronaldo Passarinho e equipe, e da boa vontade da juíza Ida Selene em solucionar as pendências.    
 
 
São cenas impressionantes, algumas chocantes pelo hiper-realismo, as do documentário “Os dois Escobar”, exibido na TV a cabo. A promiscuidade da relação entre o futebol colombiano e os cartéis de Cáli e Medellín nos anos 80/90 é o tema central da narrativa. Nem o grande time montado por Francisco Maturana, que foi à Copa de 1994 como nova sensação sul-americana, escapou às garras dos barões da droga no país.
O filme trata da caçada ao maior traficante do mundo e da execução sumária do zagueiro e capitão Escobar – que não era parente do capo Pablo. O fato é que, com o desmanche dos cartéis, o futebol que gerou Rincón, Asprilla e Valderrama entrou em colapso e afundou de vez.
Os papéis se confundem nas ações contraditórias dos jogadores em relação aos bandidos. Higuita e outros astros eram regiamente pagos para disputar jogos no sítio de Pablo Escobar, que apostava alto com outros chefes. Sem dúvida, uma página negra da história do futebol passada a limpo em pinceladas de bom cinema e reconstituição histórica. Para entender melhor o mundo (e o submundo) do futebol no continente, vale a pena ver. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 14)  

Palermo ganha uma trave de presente

Recordista de gols com a camisa do Boca Juniors, o atacante Martín Palermo ganhou um presente inusitado do clube após seu último jogo na Bombonera, domingo: um gol. A diretoria deu uma baliza do estádio para o ídolo, que marcou 129 gols em casa. “É um presente lindo, com o qual convivi 19 anos da minha carreira. Para mim, é uma referência. Poder levar a baliza da Bombonera para casa é algo único e ficará na minha lembrança. É um pouco grande para levar para casa… Ainda não sei onde eu o colocarei”, disse Palermo, rindo, sobre a homenagem. No total, ele fez 235 gols com a camisa do Boca. O jogador anunciou que vai encerrar a carreira após o término do Torneio Clausura do Campeonato Argentino, no próximo fim de semana. Na despedida da Bombonera, o Boca empatou com o Banfield por 1 a 1. O Vélez conquistou o título com uma rodada de antecipação. (Do G1)