Remo terá nova escalação contra Independente

Com as ausências de Tiaguinho, Lopes, Marlon, Tiago Marabá, Luís André e Paulo Sérgio, o Remo terá um time bastante modificado contra o Independente, domingo à tarde, no Baenão. Em relação ao jogo contra a Tuna, o técnico Paulo Comelli fará quatro mudanças na escalação. Edinaldo substituirá a Marlon, suspenso. O ex-capitão Diego Barros será o substituto de Paulo Sérgio, que se contundiu durante treino. No meio-campo, Fininho substitui Tiaguinho, contundido. Léo Franco entra para compor o setor de criação. No ataque, Adriano Pardal entra de cara, ao lado de Ró. Provável time do Leão: Léo Rodrigues; Elsinho, Diego Barros, Rafael Morisco e Edinaldo; San, Mael, Léo Franco e Fininho; Ró e Adriano Pardal. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola)

Natação da Tuna representa Brasil na Guiana

A Tuna foi a única equipe de natação brasileira convidada a participar do torneio internacional que comemora os 20 anos da Megaquarius, o melhor e mais tradicional clube de natação da Guiana Francesa. A equipe, comandada por Fernando Wilkinson e formada por Anna Neri, Antonella Crespo, Iago Paes e Irlan Chagas, partiu hoje rumo a Caiena. É a natação da Tuna resgatando a sua projeção internacional.

Dá-lhe, Águia Guerreira!!

CBF e Globo querem implodir Clube dos 13

Globo e CBF venceram o primeiro round. O Clube dos 13 corre risco de implosão. A debandada se deu no dia em que preparou o edital que nortearia o contrato do Brasileiro. Para a negociação, não há mais a “cláusula de preferência” que permitia à Globo tomar conhecimento de outras propostas e igualar. A cláusula foi derrubada pelo Cade. Ontem, assim que Corinthians e os quatro do Rio saíram, a Globo afirmou que não faria proposta. “A emissora saiu de sua zona de conforto ao perder a cláusula de preferência”, criticou Ataíde Gil Guerreiro, diretor-executivo do C13. “Não quer fazer a concorrência com a lisura e a transparência que queremos.” Deflagrou-se uma guerra de acusações. “Desde quando caiu a cláusula, a Globo passou a emprestar dinheiro para os clubes, como forma de pressioná-los”, atacou Guerreiro. Extraoficialmente, a cúpula da emissora replicou que é uma prática do C13 -incentivar que os clubes se endividem para servir como avalista. A Globo afirmou que o montante que emprestou aos clubes “é ínfimo”. (Com informações de Eduardo Ohata e Martín Fernandez, da Folha de SP)

Nota oficial do Sindicato dos Jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará vem a público repudiar veementemente qualquer forma de cerceamento de liberdade de expressão e, sobretudo, de liberdade de imprensa.
A livre manifestação de pensamentos, de idéias e opiniões é um dos aspectos primordiais para garantia do Estado Democrático de Direito e, o desrespeito a isso representa um duro golpe ao livre exercício da nossa profissão, que pode ser claramente tipificado como censura, ferindo uma das principais bandeiras de luta deste Sindicato.É papel da imprensa na sociedade democrática a divulgação correta, ética e precisa da verdade, por isso, o Sindicato acredita que os veículos de comunicação, como o Jornal Pessoal, do Jornalista Lúcio Flávio Pinto, devam servir e servem ao interesse público.
Por último, o Sindicato dos Jornalistas apela às autoridades competentes, especialmente, às do Judiciário, para que assegurem a plena vigência dos direitos basilares da Constituição – o acesso à informação e a liberdade de expressão, contra aqueles que mais uma vez tentam calar a voz de um dos jornalistas mais respeitados no nosso Estado e do país.
Nosso apoio a Lúcio Flávio Pinto.

A frase do dia

“Se ele não tivesse pedido a desfiliação, eu proporia ao Clube dos 13 a sua expulsão por esse comportamento moleque e irresponsável. Paga o que deve ao Clube dos 13 e vai embora. Não é obrigado a ficar. É um direito dele [Sanchez] entrar e sair. O que não é correto é questionar as pessoas e se esconder num ofício. Nada disso ele disse ontem [segunda-feira, 21] na minha cara. Todos os clubes têm dívidas trabalhistas históricas”.

De Fábio Koff, presidente do Clube dos 13, acusando André Sanchez (Corinthians) de ser “advogado da Globo”.