Comunique-se repercute ameaça a Lúcio Flávio

Por Izabela Vasconcelos, do Comunique-se

O juiz Antônio Carlos Almeida Campelo, titular da 4ª Vara Cível Federal do Pará, enviou uma intimação ao jornalista Lúcio Flávio Pinto, para que deixe de publicar informações sobre o processo contra os principais executivos do Grupo O Liberal, responsável por vários veículos de comunicação no estado.  A intimação diz que o jornalista será preso em flagrante caso publique qualquer informação sobre o processo, que corre em segredo de Justiça. Além disso, caso desacate a ordem, também terá que pagar R$ 200 mil de multa.
Lúcio Flávio mantém o Jornal Pessoal há 23 anos. O jornalista publicou uma matéria sobre o caso dos empresários Romulo Maiorana Júnior e Ronaldo Maiorana no início deste mês. Os executivos do grupo de mídia foram denunciados pelo Ministério Público Federal por crime contra o sistema financeiro nacional, pelo uso de fraude, para a obtenção de recursos dos incentivos fiscais da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia).

Jornalista alega direito de informar
“Pretendo recorrer para revogar essa decisão, que é abusiva. A minha matéria defende o interesse do povo que teve o dinheiro desviado. Quando existe um caso de conflito entre a privacidade e o direito da sociedade, vale o direito da população de saber o que está acontecendo”, afirmou Lúcio Flávio.
Segundo ele, o juiz tomou a decisão por “conta própria”, já que os autos não estavam conclusos. “Ele tomou a decisão por conta própria, mas não provocado pelas partes do processo”, disse.
A reportagem ainda não conseguiu contato com o juiz da 4ª Vara Cível Federal do Pará.

Paissandu vence a 1ª fora depois de cinco anos

Com gols de Sandro e Mendes (2), o Paissandu derrotou por 3 a 2 o Penarol do Amazonas, em Itacoatiara, pela primeira rodada da Copa do Brasil. O time paraense saiu na frente com um gol de Sandro logo nos primeiros minutos, teve chances de ampliar em seguida, mas aos poucos passou a ser dominado pelo Penarol. Ainda no primeiro tempo, com gols de Pezão e Rondinelli, o time amazonense passou à frente no marcador. No segundo tempo, o Paissandu reagiu e chegou ao empate com o atacante Mendes e, aos 36 minutos, virou o placar. O meia Alex Oliveira sofreu pênalti, convertido por Mendes. Um minuto depois, o árbitro assinalou pênalti de Sidny sobre Charles. Na cobrança, Rondinelli desperdiçou a penalidade. A vitória foi muito festejada pelos bicolores pelo seu caráter simbólico: foi o primeiro triunfo do Paissandu fora do Pará desde 2006. (Fotos: ALEXANDRE FONSECA/A Crítica-AM)

Jogo da TV será S. Raimundo x Paissandu

A TV Cultura informa que vai transmitir ao vivo, no domingo, o jogo entre S. Raimundo x Paissandu, direto do estádio Barbalhão, em Santarém, às 16h. A partida é válida pela sétima rodada do primeiro turno do Campeonato Estadual. Do jogo Remo x Independente, no mesmo horário, no Baenão, só serão transmitidos flashes.

Juiz ameaça prender e multar jornalista

Do Blog do Estado
 
Despacho datado de 22 de fevereiro do juiz Antônio Carlos Almeida Campelo, titular da 4ª Vara Cível Federal do Pará, nos autos do processo 2008.8903-9, no qual os irmãos Romulo Maiorana Júnior e Ronaldo Maiorana, principais executivos do grupo Liberal de comunicação, além de outros dirigentes da corporação, são processados, a partir de denúncia feita em 2008 pelo Ministério Público Federal, por crime contra o sistema financeiro nacional, através do uso de fraude, para a obtenção de recursos dos incentivos fiscais da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia), que somaram 3,3 milhões de reais até 1999:
         “Tendo em vista a notícia publicada no Jornal Pessoal (Fevereiro de 2011, 1ª Quinzena, pág. 5) e a decisão de fls. 1961 dos autos, na qual decretou o sigilo do procedimento deste feito, oficie-se ao editor do referido jornal com a informação de que o processo corre sob sigilo e qualquer notícia publicada a esse respeito ensejará a prisão em flagrante, responsabilidade criminal por quebra de sigilo de processo e multa que estipulo, desde já, em R$ 200,00 (duzentos mil reais) [o erro é do texto original].
         O ofício deve ser entregue em mãos com cópia deste despacho.
         Intimem-se. Vista ao MPF”.
No mesmo dia o Diretor de Secretaria da 4ª Vara, Gilson Pereira Costa, encaminhou o ofício, recebido no dia seguinte, 23, pelo jornalista Lúcio Flávio Pinto, que de pronto deu ciência sobre a determinação perante o oficial de justiça. Como não podia deixar de ser, o jornalista acatou a decisão do magistrado, mas dela pretende recorrer, na forma legal, em defesa do direito (que a liberdade de imprensa lhe confere) de continuar a prestar informações sobre tema de relevante interesse público, como é o caso em questão. Trata-se de denúncia feita pelo fiscal da lei, que é o MPDF, de fraude e malversação de recursos oriundos de renúncia fiscal da União Federal em proveito de projetos econômicos aprovados pela Sudam. Ressalte-se que a liberdade de informação possui tutela constitucional e os julgados dos tribunais superiores têm se orientado no sentido de que o sigilo não se aplica quando incide sobre questão de alto interesse público. A matéria publicada na última edição do Jornal Pessoal, da 1ª quinzena de fevereiro, que motivou a liberação do Juiz da 4ª Vara Cível da Justiça Federal está publicada na íntegra, aqui.

Coluna: Rafael é a salvação

É de conhecimento até do reino mineral que, quando Tiago Potiguar não joga, o Paissandu perde grande parte de sua força ofensiva. Vira uma espécie de Sansão sem cabeleira. Essa sentença, repetida exaustivamente desde que o arisco meia-atacante chegou de Currais Novos (RN), será outra vez posta em xeque hoje à tarde, na estréia do time na Copa do Brasil contra o Penarol amazonense, em Itacoatiara.
Sem seu principal homem de ligação com o ataque e também mais ativo extrema, Sérgio Cosme terá que recorrer à experiência e bom passe de Sandro para abastecer o ataque, onde Rafael Oliveira fica a esperar a produção dos armadores para pôr seu oportunismo em ação. Isso só ressalta a ausência de Alex Oliveira, novamente afastado por contusão.
No Parazão, contra adversários modestos, nem sempre Rafael e o Paissandu dependeram tanto de Potiguar. Mas é fato que, quando ele se ausentou, as dificuldades foram imensas. Até porque não há outro jogador de ataque com sua velocidade e capacidade de chegar à linha de fundo.
O problema aumenta de tamanho quando se observa que Mendes não assumiu ainda o papel de centroavante, capaz de prender zagueiros para facilitar a vida de Rafael Oliveira e demais jogadores que se aproximam da área. Apesar da promissora estréia contra o Independente, quando fez gol e deu passe para Sandro marcar, Mendes acomodou-se ao papel de atacante recuado. Recua tanto que, por vezes, aparece atrás da linha do meio-de-campo, como se fosse um meia-armador.
No Re-Pa, essa dificuldade de Mendes em acompanhar as ações de ataque e permanecer na área ficaram tão expostas e motivaram a imediata cobrança dos torcedores. Hoje, longe dos olhos dos corneteiros da Curuzu, o centroavante baiano tem nova chance de remissão. 
Diante do exposto, mesmo levando em conta as poucas referências sobre o Penarol, arrisco dizer que o Paissandu terá que apostar todas as suas fichas em seu artilheiro. Rafael Oliveira, que anda fazendo até gol espírita, é a principal esperança de Cosme e a única certeza de regularidade numa equipe que quase sempre muda de atitude a cada jogo.
 
 
Ao Águia, cujas chances no 1º turno do Parazão são remotas, o confronto com o Brasiliense é de grande risco, mesmo acontecendo em Marabá. Ainda sem render o que João Galvão espera, o time não pode se arriscar a uma eliminação prematura na Copa do Brasil.
 
 
Poucas coisas são mais ridículas, e com abordagem mais chata, que essa velha polêmica da Taça das Bolinhas. Por obra e graça de conchavos de bastidores, que abrangem interesses maiores (acordo para transmissão de jogos pela Rede Globo), a CBF decidiu reconhecer o título nacional de 1987 do Flamengo. Os rubro-negros festejam o hexa e o S. Paulo bate o pezinho e não larga o troféu de bolinhas de jeito nenhum. Sei não, lá em Baião isso quer dizer outra coisa, mas é melhor deixar pra lá. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 23)

A frase do dia

“Na Copa do Brasil, segundo e último são a mesma coisa. O único que se classifica para a Libertadores é o campeão. O Botafogo tem a possibilidade de fazer história conquistando a competição pela primeira vez, mas é preciso respeitar o adversário e pensar jogo a jogo”.

De Sebastián Loco Abreu, centroavante do Botafogo.