Convite a todos os tricolores

Recebi do amigo Sérgio Soeiro, nosso companheiro de boteco virtual, este recado para divulgação a todos os torcedores do Fluminense no Pará.

“Estou lhe enviando este e-mail para solicitar, se possível, que você divulgasse no blog, o jantar que o grupo ‘Espaço Tricolor’ daqui de Belém estará promovendo amanhã (15/02/2011) a partir das 20:00h na Sede Social da Assembleia Paraense (av. Pres. Vargas, 762), em comemoração ao Tricampeonato Brasileiro de 2010. Informo que o evento contará com a presença do presidente do Flu, senhor Peter Siemsen. Caso haja algum leitor do blog interessado em participar, informo que ainda há convites disponíveis ao preço de R$ 55,00, que dá direito ao buffet e bebidas (cerveja, refrigerantes, sucos) quem preferir uísque deverá levar sua bebida. O contato deve ser feito com Beto Russo no fone: (91) 8114-8302. Certo de sua atenção, desde já agradeço com o devido apreço.”

Os tricolores não podem faltar a essa grande festa.

Tribuna do torcedor

Por Luciano Gomes

O que era dúvida, agora virou uma triste constatação, depois do jogo de ontem. O Paysandu ainda não tem um treinador, um padrão de jogo, um esquema tático, jogadas ensaiadas e principalmente um time formado.Dito isso, explico: Sergio Cosme tem muita conversa é  malandro, mas aparenta ter pouco conhecimento sobre o que é ser treinador de futebol…não conseguiu ainda dar um padrão de jogo e montar um esquema para o time. A equipe ainda não tem jogadas ensaiadas, nem de falta e nem de escanteio. O time já mostrou que é fraco, principalmente na defesa, isso sem falar nos apagões, é um time apático e envelhecido em posições cruciais.
No gol Ney até que é um bom goleiro salvou o clube de um vexame com pelo menos 4 defesas importantíssimas, mas falhou bisonhamente em duas situações em que poderia ter resolvido se não ficasse indeciso em sair ou não do gol, onde ele foi, viu que não dava, tentou voltar e ficou no meio do caminho, na outra deixou a  bola escorrer entre seus braços. é bom que fique esperto Fávaro já esta recuperado.
Na zaga Tinoco, Laranjeira, Ari são sofríveis não tem recursos e são pesados. E lembrar que Bernardo peranbulou pela Curuzu vários dias e ninguém deu  bola para o  garoto. Nas laterias acho que Sidny e Allax dão conta, mas o garoto Brayan  é fraco. Marquinos improvisado foi pior ainda.
Na cabeça da área é triste ver que não dá mais para o Sandro e Billy e Marquinhos são limitados demais, esse setor deve ficar para Alexandre e Vanderson.
Na armação, Thiago precisa urgentemente se tratar das contusões acumuladas e esfriar a cabeça, só o que fez em campo ontem foi reclamar do árbrito e dos colegas. No ataque Rafael esta fazendo os gols, mas precisa parar de fazer jogadas sem nexo como um chute de esquerda que saiu pela laterial, talvez necessite de uma orientação, aconselho convidar o Vandick ou Robson pra bater um papo com ele. Já Mendes começou bem e perdeu o rumo do gol, mas merece mais uma chance.
O Papão não  tem banco também.. Essa é a hora de trocar algumas peças e mexer nesse time. Hoje esse treinador já era pra estar no rumo do Rio, acho o Galvão mas treinador do que ele. E recuperando os que estão no estaleiro o time deveria por enquanto jogar assim: Ney; Allax, Ari, Cristiano e Sidny; Vanderson, Alexandre, Djalma e Thiago, Mendes e Rafael. Alô, presidente e diretoria!

Coluna: Remo sobrou em campo

O grande jogo se desenrolou no primeiro tempo, quando aconteceram três gols e lances mais agudos. Remo foi mais consistente, teve organização e esforço coletivo. Além disso, apresentou maior repertório de jogadas, invertendo posicionamentos e rodando seus jogadores no ataque. Exercitou o chamado improviso calculado e levou a melhor. Podia, inclusive, ter obtido uma goleada se aproveitasse as facilidades que a zaga do Paissandu ofereceu nos instantes finais. 
Desde a saída, o Remo esteve mais presente no ataque, dando os primeiros golpes. Mas, como no boxe, quem ataca tem que nocautear e os azulinos ficaram apenas nas ameaças. Mais objetivo, o Paissandu chegou ao gol num lance de categoria. Sandro fez um lançamento de 40 metros para Rafael Oliveira, que matou a bola e mandou um tiro forte para as redes.
O Remo bambeou nas cordas e propiciou ao Paissandu a grande chance de resolver o jogo. Por uns 10 minutos, o time de Paulo Comelli ficou atarantado, rebatendo bolas na defesa e atropelando o ritmo no meio-de-campo. Aos poucos, porém, foi recobrando a lucidez e passou a explorar o que tem de melhor: a qualidade dos alas Elsinho e Marlon.
No gol de empate, o cruzamento foi de um lado a outro, atravessando a área do Paissandu para achar Marlon no segundo pau. O cabeceio firme venceu o goleiro Nei, que estava no meio do caminho. Entre o primeiro e o segundo gol, de letra, marcado por Tiaguinho, ainda houve um cabeceio de Ró no poste esquerdo do Paissandu.
Sob chuva, o segundo tempo só foi interessante para a torcida azulina, que assistiu um verdadeiro passeio de seu time. A dominação era tão óbvia que o Paissandu, desarrumado da defesa ao ataque, só foi dar um chute a gol aos 23 minutos. San ampliou para 3 a 1, completando passe do zagueiro Rafael Morisco, em jogada de escanteio que Comelli treina bastante.
A diferença entre os times era abissal. Enquanto o Remo saía com a bola sempre de pé em pé, aproveitando-se da boa distribuição de suas peças, o Paissandu sofria com a falta de inspiração de Tiago Potiguar e o cansaço de Sandro, que saiu para a entrada do garoto Djalma. Mendes se posicionava como um armador recuado, longe da área. Rafael Oliveira jogou por ele e pelo time, mas cansou de correr sem rumo.
Caso tivesse mais apuro nas finalizações, o Remo teria disparado uma goleada. Foram pelo menos quatro chances claras de gol, com Morisco, Max Jari, Tiaguinho e Rafael Cruz. Nas circunstâncias, pode-se dizer que o Paissandu saiu no lucro.
 
 
Seleção do fim de semana: Evandro (IND); Elsinho (CR), Rafael Morisco (CR), Paulo Sérgio (CR) e Marlon (CR); San (CR), Japonês (TUN), Luís André (CR) e Tiaguinho (CR); Patrick (Águia) e Rafael Oliveira (PSC). (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola)

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 14)