Campanhas para ajudar desabrigados

Juntamente com a Cáritas Brasileira, a CNBB lançou a Campanha “SOS Sudeste”, com o objetivo de arrecadar dinheiro que será doado às regiões atingidas pelas chuvas. O presidente da Cáritas, D. Demétrio Valentini, sugere que, no dia 30 de janeiro, todas as dioceses façam uma coleta em favor das vítimas das chuvas. As ajudas serão encaminhadas às Cáritas das dioceses de Petrópolis e Nova Friburgo, localizadas nas áreas atingidas pela tragédia em questão.

Para doações em dinheiro:

Campanha “SOS Sudeste”(CNBB e Cáritas Brasileira):

Caixa Econômica Federal (CEF) – Agência 1041 – OP. 003/Conta 1490-8

ou

Banco do Brasil – Agência 3475-4/Conta 32.000-5.

Cáritas da Arquidiocese do Rio de Janeiro:

Banco Bradesco – Agência 0814-1/Conta 48500-4

Justiça pode bloquear renda da estreia remista

O sufoco financeiro volta a rondar o Remo. Depois das constantes ameaças de leilão na gestão de Amaro Klautau, o clube pode ter a renda do jogo com o S. Raimundo – primeira rodada do campeonato estadual – inteiramente bloqueada para cumprimento de débitos trabalhistas. Se até sexta-feira, 21, o clube não cumprir o acordo celebrado com a Justiça do Trabalho, que determina o pagamento dos quatro meses de salários atrasados dos funcionários, a ciranda de leilões e bloqueios de bilheteria será reaberta. 

Em dezembro, o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT) entrou em acordo com a nova presidência do Remo, com objetivo de negociar a dívida trabalhista do clube e evitar que a área do Carrossel fosse a leilão. O negócio teve como base empréstimo de R$ 1 milhão que o Remo obteve junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Foram liberados R$ 400 mil, sendo que R$ 300 mil entregues de imediato à Justiça e os demais R$ 100 mil foram utilizados em despesas da gestão passada. 

Os R$ 600 mil restantes seriam destinados a pagar salários atrasados de funcionários e a indenização de jogadores contratados por AK em 2010. Ao mesmo tempo, a nova diretoria se comprometeu a pagar R$ 100 mil mensais para abater do passivo trabalhista do clube. A expectativa dos dirigentes é que a CBF libere o dinheiro até o final desta semana, para evitar que a situação deixada pela administração passada inviabilize os passos da nova gestão.

Remo contrata ex-jogador da Macaca

O Remo fechou a contratação de Marcelo Soares, que defendeu o Guaratinguetá (SP). O jogador deve ser apresentado na quarta-feira, a tempo de ser incorporado à pré-temporada do elenco em Barcarena. Segundo a diretoria de futebol, outro atacante deve ser contratado até sexta-feira. Marcelo Soares, 28 anos, viveu boa fase na Ponte Preta (SP) em 2008, sagrando-se vice-campeão paulista e marcando cinco gols no torneio.

Coluna: À procura de um camisa 9

Torcedor é bicho cismado e costuma dar mais valor, com razão, a um bom ataque do que a uma zaga excepcional ou a um meio-de-campo criativo. De seu posto lá na arquibancada, contemplativo, sabe que o homem que define as coisas é sempre mais precioso para um time.
Objetividade. Esta é a palavra que define um artilheiro desde que o futebol foi inventado. Os realmente bons no ofício, como Romário e Ronaldo Fenômeno (aquele outro), jamais enfeitavam. Sem tempo a perder, davam um ou dois toques depois que a bola chegava à área. Era o suficiente.
É justamente essa competência minimalista, raríssima nos dias atuais, que os remistas procuram desesperadamente a apenas uma semana do começo do campeonato estadual. Claro que as chances de sucesso são remotas. A estreita margem salarial que o clube tem para oferecer (teto de R$ 20 mil) é apenas parte do problema. O maior entrave mesmo é a baixa quantidade de opções no mercado.
Depois de ver o maior rival contratar o baiano Mendes, os azulinos chegaram a sonhar com os veteranos Schwenke e Finazzi. Mas agora, pés no chão, analisam a oferta do também baiano Itacaré, que tem pouquíssimas referências. Seria uma aposta cara e de alto risco.
Diante do pobre currículo de Itacaré, crescem as possibilidades de Marciano, que ainda é a mais simpática à diretoria, embora o jogador tenha saído de Belém divorciado da torcida, como todo o restante do time que perdeu o Parazão 2010. O problema é que a contratação de Marciano também está travada, pois o Icasa não está disposto a liberá-lo. O fato é que quem tem um bom camisa 9 não libera assim sem mais nem menos.
 
Quem acompanhou de perto o amistoso Independente x Tuna, ontem, em Tucuruí, ficou preocupado com o nível de ambos. Tecnicamente, os dois times estão bem fraquinhos, sem a solidez que o campeonato estadual vai exigir. A Cruz de Malta ainda tem a desculpa de estar reconstruindo a equipe depois do desmanche ocorrido no final da primeira fase, quando perdeu vários bons valores – Fininho, Charles e Analdo.
Apesar do triunfo, o dono da casa demonstrou pouco entrosamento, com um meio-de-campo que custou a engrenar no jogo. Depois de verdadeiro festival de passes errados, os gols da vitória saíram nos 10 minutos finais, dando a falsa impressão de grande superioridade.
Meu informante garante que, se não houver evolução até a estréia, Tuna e Independente são candidatos a enfrentar sérios solavancos na competição.
 
A empolgada crônica esportiva da Paulicéia celebra o gol olímpico de Roberto Carlos como façanha do outro mundo. Teve até um sujeito que definiu RC como deus dos gramados! Menos, menos. Mestre Nilton Santos deve estar sorrindo compreensivamente a essa altura, perdoando os hereges. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 17)