Coluna: Inversão de prioridades

Para o bem do campeonato, o Time Negra, time B do Paissandu, vai mal das pernas na primeira fase e é improvável que se classifique para a etapa principal. Por iniciativa da diretoria, a equipe tem disputado seletivas desde 2008, com a conivência da Federação Paraense de Futebol, tirando a vaga de times sem vínculo com os grandes da capital.
Em qualquer lugar do mundo, equipes-satélite não são admitidas na mesma divisão do clube-mãe. O Real Madri B só compete nas divisões inferiores da Espanha. O mesmo ocorre com o Palmeiras B em S. Paulo. Aqui, terra de muro baixo, Miguel Pinho tomou a decisão de reviver o Time Negra (clube de origem do Paissandu) para, em tese, servir de laboratório para as revelações da base e jogadores em disponibilidade na Curuzu.
Na prática, o tal projeto se revelou apenas um truque para que o Paissandu disputasse o certame estadual com dois times – 25% do total de oito participantes. O mais espantoso é que isso ocorreu em 2009, sem que nenhum dos demais clubes protestasse contra a trapaça.
Quando se imaginava que a idéia de jerico estivesse sepultada, eis que a atual diretoria ressuscitou o Time Negra, sob o comando do ex-jogador Didi. Desde a fase preparatória, o projeto apresentou problemas. Em jogo-treino na Curuzu contra o Paissandu, às vésperas da fase decisiva da Série C, a criatura se voltou contra o criador mostrando empenho inesperado. Alguns titulares, como Tiago Potiguar, chegaram a ser ameaçados em campo.
Apesar das críticas públicas ao comportamento agressivo dos comandados de Didi, a diretoria nada fez. Com o passar do tempo, o motivo do apoio ficou bem explícito: o presidente do Time Negra é filho do presidente do Paissandu. A filial estaria, inclusive, sob controle direto do dirigente.
Talvez essa estranha relação baste para explicar a decisão de ceder ao Time Negra quatro jogadores do elenco do Paissandu. Assim, de supetão, Nei, Marquinhos, Héliton e Tiago Potiguar foram inscritos na atual fase do campeonato para reforçar o time B.
Na Curuzu, ninguém conhece a natureza do “empréstimo” e as condições salariais dos atletas – se é que receberão algum dinheiro para pôr as canelas em risco. Marquinhos revelou que o presidente pediu que eles “dessem uma força” ao Time Negra. Amadorismo puro. Aliás, não há notícia de contrato de seguro que preserve a integridade física do quarteto pertencente ao Paissandu.
O presidente do clube, de estilo voluntarioso e recém-eleito para novo mandato, não se preocupou em consultar os conselheiros a respeito da cessão dos jogadores. Donde se conclui que, a essa altura, o Paissandu é a base de apoio do Time Negra, e não o contrário, como deveria ser.
 
 
O Remo se debate com sérias dificuldades para contratar jogadores regionais. O volante Daniel, ex-Águia, cobrou salários de R$ 12 mil. Outros seguiram nesse mesmo patamar. A inflação nas propostas deve fazer com que os dirigentes busquem nomes em outros Estados, o que é mau negócio para quase todos. 

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 12) 

Parazão: Parauapebas assume vice-liderança

Ao derrotar o Sport Belém por 3 a 1, na tarde deste domingo, no estádio Rosenão, o Parauapebas alcançou a vice-liderança da primeira fase do Parazão 2011,  com 8 pontos, logo atrás do líder Ananindeua, que tem 9. Marcaram para o time de Samuel Cândido, no segundo tempo da partida, o zagueiro Adriano Love, o atacante Cristiano Tiririca e Jairo, cobrando pênalti. Para o Sport, descontou Isaías, também na cobrança de penalidade. No estádio do Souza, pela manhã, a Tuna se reabilitou com importante vitória sobre o Ananindeua. Com gols do meia Fininho, a Águia superou a Tartaruga em partida que começou com mais de 40 minutos de atraso, por falta de policiamento e ambulância no estádio do Souza. O zagueiro Filho fez o gol do Ananindeua. Na outra partida da rodada, na Curuzu, o Time Negra voltou a decepcionar, perdendo para o Abaeté por 2 a 0. André Mensalão e Mocajuba (de pênalti) fizeram os gols, ainda no primeiro tempo.

Com o término da quarta rodada,  a classificação é a seguinte:

1º Ananindeua, 9 pontos

2º Parauapebas, 8

3º Castanhal, 7

4º Tuna, 6

5º Abaeté, 6

6º Sport Belém, 4

7º Santa Rosa, 3

8º Time Negra, 2

Santa Rosa vence Castanhal e deixa lanterna

Uma tremenda zebra abre novas perspectivas na tábua de classificação da primeira fase do Campeonato Paraense. O lanterna da competição foi a Castanhal, na noite deste sábado, e surpreendeu os donos da casa. O Santa Rosa, que ainda não havia vencido ninguém, derrotou o Japiim por 1 a 0, com um gol de Elias aos 45 minutos do segundo tempo. O Castanhal, que tinha chances de alcançar a liderança nesta quarta rodada, permanece com 7 pontos e pode ser ultrapassado pelo Parauapebas, terceiro colocado, que recebe o Sport Belém, no estádio Rosenão, neste domingo, às 16h. Os demais jogos da rodada são Tuna x Ananindeua, às 9h30, no Souza; e Time Negra x Abaeté, às 9h30, na Curuzu. O Ananindeua é o líder isolado da primeira fase, com 9 pontos ganhos. (Com informações da Rádio Clube)

Torcida do Liverpool cantava Beatles em 1964

Corriam os mágicos anos 60 e os Beatles eram deuses no mundo inteiro e, obviamente, em Liverpool. Orgulho da cidade, a banda estava em todas as bocas pela qualidade e força de suas músicas. Neste video antigo, uma homenagem tocante: a torcida do Liverpool canta o megahit “She Loves You” nas arquibancadas de Anfield Road, para surpresa até da formal imprensa esportiva inglesa. Vale lembrar que entre os Beatles o futebol dividia opiniões: Paul McCartney torcia pelo Everton, grande rival do Liverpool; John Lennon tinha simpatia pelo Liverpool; Ringo Starr era Arsenal e George Harrison não curtia o esporte. (Com informações do Bola de Meia)

Brasileiro 2010: Ranking final de média de público

27.446 Corinthians/SP
23.467 Ceará/CE
22.993 Fluminense/RJ
20.369 Grêmio/RS
18.945 Flamengo/RJ
18.728 Botafogo/RJ
16.630 Internacional/RS
16.377 Atlético/PR 
16.072 Cruzeiro/MG 
15.849 Vitória/BA 
14.704 São Paulo/SP
13.967 Vasco/RJ 
13.447 Atlético/MG 
10.971 Palmeiras/SP 
9.447 Avaí/SC 
9.200 Santos/SP 
7.968 Goiás/GO 
7.891 Atlético/GO 
7.739 Guarani/SP 
4.569 Prudente/SP

(fonte: CBF)