Por Serra, até a TFP sai da tumba

Do Blog do Noblat

Uma pilha de panfletos repousava, esta tarde, sobre uma redonda no salão do Centro de Convenções Brasil 21 onde o candidato a presidente José Serra (PSDB) reuniu-se com cerca de 300 pessoas, entre militantes e estrelas do partido como os senadores eleitos Aécio Neves e Itamar Franco, os governadores eleitos de Minas Gerais e de São Paulo, Antonio Anastasia e Geraldo Alckmin, respectivamente, e outras menos votados.

Uma mulher distribuiu exemplares do panfleto durante a parte fechada da reunião à qual a imprensa não teve acesso. Assinado pelo Instituto Plínio Correia de Oliveira, o fundador da tradicional organização da direita católica Tradição, Família e Propriedade, o panfleto diz: “Você sabe o que é o PNDH-3? Se você é uma pessoa que pensa em votar na Dilma, conheça bem este projeto antes de votar.

O PNDH-3 é um projeto lei que tem por objetivo implantar em nossa leis a legalização do aborto, acabar com o direito da propriedade privada, limitar a liberdade religiosa, perseguir os cristão, legalizar a prostituição (e onde fica a dignidade destas mulheres?), manipular e controlar os meios de comunicação, acabar com a liberdade de imprensa, taxa sobre fortunas o que afastará o investimento, dentre outros. É um decreto preparatório para um regime ditatorial.

O que podemos esperar de um governo que tenta atropelar a sua Constituição, tratados e convenções internacionais? Não duvide da veracidade destas informações, pesquise direito a respeito e vote consciente! No próximo dia 3 de outubro, você pode mudar radicalmente o campo de batalha contra o PNDH-3. Para o bem ou para o mal… Tudo vai depender de como se comportará o novo Congresso Nacional depois do resultado das urnas. Mas é muito grande o número de pessoas que ainda não se conscientizaram do momento perigoso que atravessamos.

“Se você não fizer nada agora, não adiantará chorar sobre o resultado das urnas.E prepare-se para assistir nos próximos 4 anos uma transformação radical do país. Pense na sua família! O direito de votar é seu, o dever de promover a vida é do povo brasileiro.é através do voto que demonstramos no nosso poder! Passe essa informação adiante, não se omita, lute pelos nossos direitos! Depois pode ser tarde demais! Vamos eleger os políticos “Ficha Limpa de PNDH-3”. Veja as propostas de seus candidatos , fique alerta! Divulgue essa informação através das redes sociais da internet (blogs, Orkut…)

Envie o seu cartão amarelo de alerta aos deputados e senadores. Faça você também a sua parte, não se omita! Se puder faça copias deste texto e ajude-nos com este trabalho, imprima os cartazes disponíveis nesse site. “Jesus disse: eu vim para que todos tenham vida!”. “Uma democracia sem valores converte-se facilmente num totalitarismo aberto ou dissimulação, com a história demonstra”. João Paulo II.”

Consultados pelo repórter deste blog, Erich Decat, assessores de Serra negaram qualquer ligação da campanha com o instituto responsável pela confecção e distribuição do panfleto. Mas um deputado federal do DEM, que participou da reunião, sob a garantia de não ser identificado, adiantou ao blog:

– Vamos bater, sim, nessa questão do aborto que está no programa do PT. Vai ser o embate da vida e do aborto, vida e aborto. Nada de questão econômica ou qualquer outra, mas de princípio.

Serra, que vive falando em ética e liberdade de expressão, está de braços dados com os grupos mais reacionários e intolerantes da sociedade brasileira. TFP e Opus Dei abraçaram a causa tucana desde o primeiro turno.

Tribuna do torcedor (43)

Por José Abdala (comara_lic@yahoo.com.br)

Gostaria de saber porque a imprensa esportiva do Pará não noticia que os jogadores do Águia não recebem salários há 2 meses que prêmios estão atrasados e que nada está definido quanto à premiação no caso de acesso à Série B. Será que é que caso o time seja eliminado usarão isso como motivo? Por que os dirigentes do Águia não se manifestam sobre o assunto? Na minha opinião, acho que esses assuntos devem ser explorados pela imprensa visando a resolução dos problemas para que o Águia possa reprersentar o Pará com a dignidade que os jogadores do time têm demonstrado até o momento.

Coluna: A ordem é não complicar

O planejamento é digno de times de Primeira Divisão. O Paissandu deixou de lado a improvisação mambembe que caracteriza a Série C e viajou para Fortaleza ainda no domingo, para treinar e se preparar sempre pressa para o primeiro duelo do mata-mata contra o Salgueiro-PE, no próximo sábado.
O técnico Charles Guerreiro sugeriu a programação e a diretoria o atendeu. Os custos da estadia de uma semana na capital cearense se justificam diante da prioridade máxima dada ao acesso à Série B. Longe dos olhos (e da cobrança) da torcida, os jogadores consolidam os laços de união e concentram-se exclusivamente no objetivo de iniciar bem o mata-mata, se possível com vitória fora de casa.
Há três anos marcando passo na Terceirona, o Paissandu finalmente parece ter compreendido o valor da boa preparação. Se Dario Lourenço (2008) e Edson Gaúcho (2009), com times inchados de falsos reforços, não conseguiram subir de divisão, Charles trabalha com um grupo mais enxuto e bem menos badalado.
A rigor, só existem duas estrelas na companhia: Tiago Potiguar e Sandro. Ambos alcançaram essa condição especial pelo futebol que vêm jogando e pela importância que têm para o time. Tanto é assim que são admirados e respeitados dentro do elenco.
Esse equilíbrio interno também contribui para os números da campanha alviceleste. Ao contrário dos anos anteriores, quando o time parecia rachado ao meio entre forasteiros e nativos, o Paissandu de hoje não enfrenta discussões quanto a prêmios e salários atrasados, fatores que pesaram negativamente no desempenho contra o Icasa, no ano passado.  
Desta vez, antecipando-se a eventuais cobranças, a diretoria deliberou dividir ao meio a arrecadação do jogo do dia 17, na Curuzu, e destinar metade ao grupo de jogadores. Providência simpática, que motiva os atletas e tem o efeito adicional de convencer o torcedor a pagar mais caro pelo ingresso. Parece que, finalmente, as lições foram bem assimiladas. 
 
 
Héliton quer ficar no Pará, perto dos seus. O Remo insiste em emprestá-lo a algum clube de fora. O Sport é a bola da vez. Na verdade, a diretoria não diz, mas receia que o jovem atacante vá reforçar as tropas do tradicional rival, carente de um substituto para Moisés. 
 
 
Luxemburgo está de volta ao Flamengo. Suas duas passagens anteriores não resultaram em conquistas, apesar do bom aproveitamento – 51 vitórias em 98 jogos. Uma coincidência aproxima técnico e clube neste momento: ambos estão na mais absoluta pindaíba, precisando se reerguer depois de caminhadas indignas no Brasileiro. Questionado pelos altos salários que cobra e os pífios resultados que seus times apresentam, Luxemburgo sabe que o Rubro-Negro pode ser sua derradeira tábua de salvação. Se fracassar, ambos afundam no mar das tormentas.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 6)