Imagens da chegada do Papão a Rio Branco

A delegação do Paissandu chegou a Rio Branco (AC) na manhã deste sábado para a partida de domingo, às 16h, na Arena da Floresta, contra o Rio Branco. Ainda no aeroporto, os jogadores aparecem aguardando o ônibus para o hotel e, em seguida, a chegada ao centro da capital, onde o bicampeão paraense está hospedado. O time está praticamente definido pelo técnico Charles Guerreiro: Fávaro; Bosco, Da Silva, Paulão e Edinaldo; Tácio, Romeu, Marquinho e Fabrício; Lúcio e Bruno Rangel.  (Fotos: TARSO SARRAF/Bola)

E haja cerveja!

 

E como o assunto é Alemanha, o blog aproveita para mostrar flagrante da abertura da Oktoberfest, em Munique, na manhã deste sábado. A festa mundial da cerveja prossegue até o dia 4 de outubro, reunindo diariamente milhares de ávidos cervejeiros. Acima, uma multidão trajando roupas típicas da região da Baviera brinda o início das bebemorações.

Folheando o álbum secreto da família Corleone

James Caan, Marlon Brando, Francis Ford Coppola, Al Pacino e John Cazale: só craques no set de filmagens de O Poderoso Chefão, parte I, em Nova York. Fotos como esta, inéditas, aparecem num belo livro lançado por Steve Schapiro. Além da famosa imagem de D. Vito Corleone acariciando seu gato, muitas outras imagens até então desconhecidas compõem a obra, que se constitui em importante documento sobre a saga dirigida por Coppola. “The godfather family album”, de Steve Schapiro, é um “álbum de familia” dos Corleone de mais de 500 páginas sobre os três filmes mais emblemáticos produzidos sobre a máfia. Marlon Brando, Al Pacino, Robert De Niro, James Caan, Robert Duvall e Diane Keaton estrelam a maior parte dos registros fotográficos.

A célebre cena, no cassino cubano, quando Michael (Pacino) beija o irmão Freddo (Cazale) e revela que sabia da traição. Um grande momento do cinema como arte.

Cena que reúne toda a família Corleone posando para a foto de casamento da única filha de D. Vito, nos quintais da grande casa.   

D. Vito na grande reunião com os chefões da máfia italiana nos EUA.

Por que o interesse pela Carta Capital?

O Conversa Afiada informa que a dra. Sandra Cureau, procuradora da Justiça Eleitoral enviou ofício à Carta Capital para saber quais instituições do governo federal anunciam na revista. Qual será a nobre intenção da dra. Cureau? Será que considera que empresas do governo não podem anunciar na Carta Capital como em qualquer publicação? Ou será que acha que essas verbas só devem ir para Veja, Folha e cia.?

O que terá movido a dra. Cureau? Alguma denúncia? Alguma constatação? Seria interessante em nome do interesse público que ela esclarecesse essas questões. No site do TSE nada aparece. É possível imaginar que a dra. Cureau, como funcionária dedicada apenas ao interesse público, esteja preocupada em saber como andam sendo investidas as verbas governamentais para propaganda, que afinal são dinheiro meu, seu, dela e nosso. O fato de isso ocorrer em período eleitoral é mera coincidência, naturalmente.

Aproveito o nobre propósito da procuradora eleitoral para sugerir que dê uma olhadinha no uso do dinheiro público do Estado de São Paulo, coisa pouca, cerca de R$ 9 milhões, na aquisição, em maio desse ano, de assinaturas de jornais e revistas para o chamado Projeto Sala de Leitura, da Rede Estadual de Ensino, cuja relação público abaixo.

E já que anda tão interessada na Carta Capital, a dra. podia indagar por que só a Carta Capital não foi contemplada em tão generosos contratos, que nem de publicidade são, mas de compra direta de milhares de assinaturas – cada uma representando 52 exemplares – de revistas feitas pelo Governo de São Paulo. E nenhuma delas da Carta Capital. Que discriminação…

As assinaturas do Serra:

•27/maio/2010
Contrato: 15/00548/10/04
– Empresa: Editora Brasil 21 Ltda.
– Objeto: Aquisição de 5.200 Assinaturas da “Revista Isto É” – 52 Edições – destinada às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.203.280,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010

•28/maio/2010
Contrato: 15/00545/10/04
– Empresa: S/A. O ESTADO DE SÃO PAULO
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas do Jornal “o Estado de São Paulo” destinada às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.568.800,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010.

•29/maio/2010
Contrato: 15/00547/10/04
– Empresa: Editora Abril S/A
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas da Revista “VEJA” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São de Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.202.968,00
– Data de Assinatura: 20/05/2010.

•8/junho/2010
Contrato: 15/00550/10/04
– Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo” para as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.581.280,00
– Data de Assinatura: 18-05-2010.

•11/junho/2010
Contrato: 15/00546/10/04
– Empresa: Editora Globo S/A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas da Revista “Época” – 43 Edições, destinados as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 305 dias
– Valor R$ 1.202.968,00
– Data de Assinatura: 20/05/2010.

(Do blog de Paulo Henrique Amorim)

Embriague-se

 Bacco, por Caravaggio.

Por Charles Baudelaire

É preciso estar sempre embriagado. Isso é tudo: é a única questão. Para não sentir o horrível fardo do Tempo que lhe quebra os ombros e o curva para o chão, é preciso embriagar-se sem perdão. Mas de que? De vinho, de poesia ou de virtude, como quiser. Mas embriague-se.
E se às vezes, nos degraus de um palácio, na grama verde de um fosso, na solidão triste do seu quarto, você acorda, a embriaguez já diminuída ou desaparecida, pergunte ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, pergunte que horas são e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio lhe responderão: “É hora de embriagar-se! Para não ser o escravo mártir do Tempo, embriague-se; embriague-se sem parar! De vinho, de poesia ou de virtude, como quiser”.

(Enivrez-vous
Il faut être toujours ivre. Tout est là: c’est l’unique question. Pour ne pas sentir l’horrible fardeau du Temps qui brise vos épaules et vous penche vers la terre, il faut vous enivrer sans trêve. Mais de quoi? De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise. Mais enivrez-vous.
Et si quelquefois, sur les marches d’un palais, sur l’herbe verte d’un fossé, dans la solitude morne de votre chambre, vous vous réveillez, l’ivresse déjà diminuée ou disparue, demandez au vent, à la vague, à l’étoile, à l’oiseau, à l’horloge, à tout ce qui fuit, à tout ce qui gémit, à tout ce qui roule, à tout ce qui chante, à tout ce qui parle, demandez quelle heure il est et le vent, la vague, l’étoile, l’oiseau, l’horloge, vous répondront: “Il est l’heure de s’enivrer! Pour n’être pas les esclaves martyrisés du Temps, enivrez-vous; enivrez-vous sans cesse! De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise.”)