Um volante chamado Jucilei

Se houve uma evolução clara do futebol brasileira nos últimos anos, ela aparece na posição de volante. Aos poucos, diminuímos a inutilidade do cabeça-de-área de contenção, aquele que só combate, mas não tem lastro para ajudar na armação. Voltamos à era do “regista”, aquele que, além de roubar, sabe entregar a dita cuja a domicílio.

Assim foi a aula do Professor-Volante Jucilei ontem à noite, no Engenhão. Jogou demais. E, no ritmo de sua cabeça erguida, de passadas largas e de passes precisos, regra alucinante da multi-função que o mundo moderno exige,  comandou a vitória do Corinthians (2 a 1) sobre o Fluminense. Resultado que cola os paulistas no primeiro lugar ao lado dos tricolores (o saldo do Flu é melhor em apenas um gol), mas devemos lembrar que o time de Adílson Batista tem uma partida a menos. Basicamente, três pontos que numa futura contabilidade final do Brasileirão-2010 podem valer muito mais. (Por Lédio Carmona)

Deixe uma resposta