Neymar vai ganhar R$ 3,4 milhões

O atacante Neymar, 18, vai receber a fortuna de R$ 3,4 milhões anuais do Santos. Mas pode ganhar ainda mais. Segundo apurou a Folha, por ter aceito a proposta santista, esse será o valor mínimo que ele receberá por temporada. Desses R$ 3,4 milhões, aproximadamente R$ 1,9 milhão é um valor fixo: refere-se aos R$ 160 mil mensais que ele já recebe.

O outro R$ 1,5 milhão anual é o mínimo que Neymar receberá por sua imagem, que será vendida a empresas que quiserem explorá-la. Caso os ganhos não cheguem a este total, empresários bancarão a diferença. O novo contrato do atacante tem validade até 2015, e a multa rescisória passou a valer 45 milhões (R$ 100 milhões). Se jogasse no Chelsea, ele receberia em torno de 3,5 milhões por temporada (R$ 650 mil mensais).

Wagner Ribeiro, empresário do atacante, deu mostras de que a transferência do atleta foi apenas adiada. Ao Sportv, ele afirmou que o clube londrino estava pronto para pagar 35 milhões (R$ 78 milhões), até então o valor da multa rescisória. Segundo ele, a passagem de Neymar para Londres já havia sido comprada.

E a Folha de S.Paulo informa neste sábado que o presidente Lula se reunirá com os jogadores do Santos Neymar e Paulo Henrique Ganso, além do presidente do clube, Luis Alvaro Oliveira Ribeiro, na próxima segunda-feira, às 14h, em um hotel na capital paulista. De acordo com as informações divulgadas, Lula demonstra satisfação com a permanência de jogadores de alta qualidade no Brasil. Na última quinta-feira, Neymar anunciou que permanecerá no time alvinegro, após recusar proposta do Chelsea.

O jornal ainda informa que Pelé teve importância na permanência do atacante no Santos no país. Segundo a Folha de S.Paulo, o ex-jogador teve uma conversa com o pai de Neymar, para quem disse que o jogador deveria se transferir para o exterior somente após se firmar com destaque na Seleção Brasileira. Para o maior ídolo da história do Santos, o atacante deve chegar a uma equipe de fora do Brasil não para disputar posição, mas para jogar.

Coligação nega censura contra a Tabajara

O site da Frente Popular Acelera Pará contesta a acusação de censura contra a Rádio Tabajara FM. Em nota, a coligação informa que “a representação formalizada pelo Jurídico ao Tribunal Regional Eleitoral refere-se ao descumprimento sistemático, por parte da rádio, da legislação eleitoral, mais especificamente no que se refere ao art. 45, III, da Lei 9.504/97, que veda, a partir de 1º de julho do ano da eleição, nas emissoras de rádio e televisão, sejam difundidas opiniões contrárias a candidato”.

Acrescenta que “a Frente pede à Justiça que a empresa seja multada, conforme estabelece o já referido artigo 45 da Lei Eleitoral. E envia como elementos de prova a gravação e a degravação de um trecho do programa Jogo Aberto, que foi ao ar em 7 de agosto deste ano, durante o qual os apresentadores Carlos Mendes e Francisco Sidou expressam claramente uma série de opiniões contra a candidata Ana Júlia, entre as quais um suposto uso eleitoral dos veículos alugados para a PM e uso de dinheiro público para propaganda, numa evidência de que a emissora vem de forma direcionada realizando campanha de desgaste da imagem da candidata, esperando assim favorecer a um dos candidatos ao governo na disputa”.

O fechamento da rádio neste sábado, numa operação conjunta entre a PF e a Anatel, “nada tem a ver com a representação da Frente à Justiça Eleitoral. Criada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em 1997, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é uma agência reguladora brasileira, administrativamente independente, financeiramente autônoma, não subordinada hierarquicamente a nenhum órgão de governo brasileiro”.

Anatel lacra rádio que criticou governadora

Depois de denunciada na quinta-feira pela coligação “Acelera Pará”, da governadora Ana Júlia Carepa, ao Tribunal Regional Eleitoral, a Rádio Tabajara FM foi lacrada na manhã deste sábado por fiscais da Anatel, sob alegação de funcionamento irregular. O alvo do recurso da coligação é o programa “Jogo Aberto”, apresentado aos sábados pelos jornalistas Carlos Mendes e Francisco Sidou. Ela quer que a emissora seja multada por ter criticado o aluguel de 450 carros pela Polícia Militar. Para a coligação, a crítica atingiria a governadora, favorecendo seus adversários na disputa eleitoral. A emissora recebeu prazo de 48 horas para apresentar defesa e se manifestou ontem.

O jornalista Carlos Mendes alega que a rádio cumpre o seu papel jornalístico e responde por uma acusação que, segundo ele, ‘castra’ a profissão. “Ela não quer crítica nenhuma. Pareceu mais uma atitude de desespero, porque na última pesquisa Ibope publicada no Pará, a governadora apareceu com 53% de rejeição”, afirmou.

Minha solidariedade ao amigo Carlos Mendes, grande repórter da equipe do DIÁRIO e correspondente do Estadão no Pará.

Pequena homenagem ao grande Raul

Os amigos costumam dizer que Raul Seixas levou a vida de rockstar às últimas consequências. Nos últimos anos de vida, mesmo sofrendo de pancreatite, ele não reduziu o consumo de exagerado de drogas e álcool. A doença levou à morte o Maluco Beleza aos 44 anos, no dia 21 de agosto de 1989. A decadência perante o público, os problemas com empresários e gravadoras são problemas menores diante da relevância artística de sua obra. Prova maior disso é que, passados 21 anos, suas músicas continuam na boca do povo.

O interesse pela obra de Raulzito está vivo entre novas gerações de fãs, que fazem questão de soltar a voz com o grito “Toca Raul!”, ouvido em bares, pistas de dança e shows de rock. Um dos legados do roqueiro é parecido com o fenômeno que acontece com Elvis Presley: sósias fazem questão de se vestir de forma idêntica a Raul e atuar como covers do cantor. Sua confirmação, como mito do rock nacional, é frequente em homenagens no teatro, na TV, nas biografias e relançamentos de álbuns. (Com informações do G1)

Aliás, neste sábado à noite, no Old School Rock Bar (rua Antonio Barreto), um Raulzito paraense homenageia o velho Raul em grande estilo.

Até Datafolha acha que Dilma leva no 1º turno

A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, aparece na liderança da corrida presidencial com 17 pontos de diferença para seu principal adversário, José Serra (PSDB), e venceria no primeiro turno se as eleições fossem hoje, segundo pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo neste sábado (21). A petista tem 47% das intenções de voto contra 30% de Serra.

De acordo com o levantamento, a candidata do PV ao Palácio do Planalto, Marina Silva, registra 9%. Os outros candidatos não pontuaram. A margem de erro de é dois pontos percentuais. Os votos brancos e nulos somam 4%. Enquanto 8% dos entrevistados não souberam ou não responderam.

Encomendada pela Folha de S. Paulo, a pesquisa foi realizada no dia 20 de agosto, com 2750 entrevistados em todo País, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 16 de agosto de 2010, sob o número 24460/2010.