Por que o fofo Ronaldo não respeita o Fenômeno?

Por José Roberto Malia

As fotos foram escancaradas na mídia. E provocaram consternação. Até torcedores inimigos trocaram a pilhéria pela compaixão. Ronaldo foi literalmente nocauteado. Pela balança. Pela vida nada recomendável a um profissional. Certamente nem mesmo um gênio do Photoshop seria capaz de transformar sua figura num simples jogador em fim de carreira. Patético.

Depois de três meses recuperando-se de um ‘simples incomodo muscular’, esperava-se pelo menos o mesmo Ronaldo que levou a Fiel ao delírio no Paulistinha e na Copa do Brasil em 2009. Que nada! Lamentavelmente, a aparência de Ronaldo lembra a dos tiozinhos de fim de semana, aqueles que adoram esbanjar gordura por todos os poros nos raros campos de várzea que conseguiram sobreviver na Paulicéia desvairada.

Do jeito que está Ronaldo não suporta 15 minutos de bola rolando, mesmo utilizando-se do arsenal técnico que só os excepcionais atletas possuem. Por mais que companheiros, médicos, preparadores físicos e fisiologistas tentem resguardar a imagem do maior artilheiro da história das Copas, com as mais absurdas desculpas, a verdade é uma só, incontestável: há muito tempo o fofo Ronaldo deixou de respeitar o fenômeno Ronaldo. Infelizmente.

2 comentários em “Por que o fofo Ronaldo não respeita o Fenômeno?

  1. Muitos ídolos como Zico, Sócrates findaram carreiras com estilo. O Ronaldo fez nome e não está sabendo preservá-lo. Esta forma física em formato de barril é prova de total displicência. E não me vnham falar em respeito, se quem primeiro deveria ser respeitar está abrindo mão.

  2. Eu acho que por tudo o que o Ronaldo conquistou no mundo futebolistico, não deveria expor-se ao ridículo,como está acontecendo.. Se ele fizesse melhor o uso de sua inteligência, já teria parado de jogar profissionalmente, evitando com isso,denegrir cada vez mais uma imagem tão fenomenal criada por ele, com todo o mérito. Deve ser uma pessoa realizada profissionalmente e não precisa mais disso. Realmente causa constrangimento, vê-lo desse jeito.

Deixe uma resposta