29 comentários em “Capa do Bola, edição de terça-feira, 27

  1. Aliás, Gerson e amigos, nessa “briga” da Governadora com os clubes, penso que ela está corretíssima. O grande problema, amigos é que esses dirigentes de Remo e Paysandu, querem ganhar dos dois lados, como fizeram com o projeto de sócio torcedor, onde, antes de serem implantados, o ingresso custava 10 reais e, depois da implantação, como a maioria aderiu aos planos em que o torcedor para só a metade do valor do ingresso, eles dobraram o valor(20 reias), ou seja, quem aderiu ao plano, pensando que ía pagar 5 reais, ficou com cara de bobo e, agora, continua pagando os mesmos 10 reais, só que com uma diferença, que agora, alem dos 10, paga uma mensalidade de 30 reais. É brincadeira? Agora, o Governo é o melhor patrocinador dos clubes Paraenses e, ainda vai custear as passagens e hospedagens dos clubes que estão no brasileirão desse ano, logo, é mais um acréscimo nos valores já firmados. Agora, o Governo dá tudo isso em troca de mostrar os jogos para Belém, principalmente, mostrando as propagandas do governo e, aí, eles querem só para o interior, porque ainda querem ganhar mais dinheiro, sobre nós torcedores. Te dizer. Parabéns a Governadora Ana Júlia Carepa e, digo mais, se eles insistirem nisso, Governadora, retire o Patrocínio deles. Duvido que eles vão continuar a falar bobagens nas rádios e tvs. Quando se lida com um bando de Incompetentes, governadora, temos que peitá-los, mesmo, e sei que a senhora o fará, em favor dos torcedores do Pará dos quais, a maioria, são seus eleitores. Mais uma vez, Parabéns. O TORCEDOR PARAENSE, AGRADECE.

    1. Amigo Cláudio, você lembra do meu posicionamento a respeito logo depois de o acordo ser anunciado? Não questionei o papel da governadora, mas a absoluta irresponsabilidade dos dirigentes em aceitarem a transmissão de jogos de Remo e Paissandu para a capital paraense. Avisei que estavam matando a galinha dos ovos de ouro. Houve, aqui mesmo no blog, quem divergisse, alegando que a TV não afeta as rendas. O tempo se encarregou de mostrar, inclusive para a dupla de dinossauros, que as transmissões foram mal planejadas e fogem ao bom senso – não por culpa da emissora oficial, que está fazendo o papel dela. O problema é que nossos clubes, ávidos por grana, perdem o juízo e depois tentam mudar as regras do jogo. O pior é que esse contrato vai até 2014. Até lá não teremos mais nenhum torcedor indo a campo, pode apostar.

      1. O que não é aceitável, caro Gerson, é firmar compromisso que vai além do mandato. 2014 é muito tempo para uma agonia, inversa para a agonia de preparar o Brasil para a copa.

  2. É por aí Cláudio. Esses dirigentes de clubes, como LOP, pensam que todos são bobos. Se está no contrato, não tem nem o que discutir. Na hora de fechar patrocínio e convênios não raciocinam e só pensam no valor que vão abocanhar, quando acertado é que vão raciocinar os fatores contras.

  3. Aí eu vou discordar de vc, amigo Gerson, a televisão não tira tanto o torcedor do estádio e sim, os valores dos ingressos cobrados. Entenda uma coisa, se não tivesse esse patrocínio do Governo, os clubes estariam na falência, sem condições de arcarem com suas folhas de pagamento( isso foi dito, tanto pelo LOP, como pelo Amaro), logo,é muito dinheiro, amigo. Se não fosse como o Governo queria, vc pensa que ele iria pagar o mesmo valor para transmitir só para o interior? Gerson, Paysandu x Águia, ingresso a 10 reais, com o sócio torcedor pagando 5 reais, vai lotar a curuzu, mesmo com o jogo passando na tv, pode ter certeza. O que não pode são eles ganharem esse dinheirão e, ainda querer que o torcedor pague os mesmos valores de antes do patrocínio. Isso é falta de visão de crescimento. Desculpe, mas é incompetência, mesmo.

  4. Muito bem lembrado mais este detalhe, caro Cláudio. Apesar de que a 10 reais, ainda uma parcela ficaria em casa por comodismo.

  5. Melhor do que esse convênio, só aquela ajuda que o JATENE deu ao Remo comprando 15.000 ingressos por jogo na C de 2005. Assim mano, não precisava nem pensar em vender o charco dos Baenas.

  6. Concordo com a proposta e argumentações do Claudio Santos;
    por isso sugiro ingressos a R$ 10,00, para Paysandu e Águia.
    A CAMPANHA É:
    TUDO É DEZ!

  7. Gerson, não houve nenhuma tentativa, de poupar o torcedor Paraense de ver a cara dessa PERSONA NON GRATA ricardo teixeira?
    Entendo que faltou sensibilidade.

  8. Por que não a 7? Como continuidade aos festejos dos 7XO. É propagar esse vínculo que nem o Mangueirão será suficiente para acomodar toda a torcida. Dei a sugestão, agora fica por conta dos interessados.

    1. Bela Sacada Berli. Gostei;
      A Campanha é:
      Tudo a 7, todo torcedor pagará só R$ 7, pelo ingresso DE ARQUIBANCADA, em qualquer jogo do BICOLOR AMAZÔNICO;
      é prá BAMBURRAAAAAAAR!!!!!

  9. Por ocasião do contrato (clubes&funtelpa) a situação dos clubes era de penúria e não havia luz no fim do tunel. Até vender a alma ao diabo poderia ter sido proposto e seria aceito. Todo dinheiro oficial é do povo e a este o direito de receber em forma de benefício. Qual o benefício neste caso ? Benefício do lazer, entretenimento, etc., sabido que o povão quase sempre não vai aos jogos por falta de condições financeiras.
    Transmissão para o local tira sim publico dos estádio.

  10. Tavernard, amigo, como falei, com ingresso a 10 reais e, com o sócio torcedor pagando 5 reais, a parte do público que a tv irá tirar do estádio, será fichinha,perto do patrocínio que Remo e Paysandu ganham, o que não pode, é alem deles ganharem do patrocinador, que como vc bem lembrou,é dinheiro nosso, ainda querer aumentar o preço do ingresso. No futebol, não há espaço para Incompetentes, o problema é que eles insistem em se meter nele, por isso nossos clubes estão como estão. Veja por exemplo, o Remo, fará 3 jogos em casa, no período de 1 mês, é só ver quanto o Governo está pagando por esses 3 jogos. Duvido que ele ganhasse metade, dependendo apenas das rendas. É a minha opinião.

    1. Claudio, concordo com vc…e para complicar mais ainda, na edição de hj do DP, o LOP informa que no Paisandu e Rio Branco, 500 ingressos do jogo Aguia e Remo foram contabilizados como sobra..como assim ? e olha que quem está gerenciando essa parte são so nossos clubes..domingo independente da transmissao ou nao pra capital é casa cheia com certeza….

      1. LOP declarou e parece que não, pelo menos não disse, tomou providências. Eu disse que o jogo sendo na Curuzú a renda para o clube é maior porque dar para fazer o arroz e ele vem só questionando 500 ingresos. Tem mais boi voando.

      2. E só pra vc ver, amigo Edmundo que essa Governadora é porreta mesmo, que, já a partir de amanhã, já começam as transmissões, com o São Raimundo x Fortaleza, às 20hs. Valeu. Os torcedores começaram a ganhar, pelo menos agora.

    2. O que defendo é que a parceria com a TV estatal envolva transmissões de jogos para o interior do Estado ou de um clube da capital jogando no interior. Acho um suicídio financeiro, para todos (inclusive para o governo), a transmissão de jogos para a própria praça. Bom senso é fundamental.

      1. Gerson, mas mesmo sem TV aquele jogo do Remo contra o Cametá daria um publico pequeno..20,00 contos pesa….vs ver no domingo, com o Paisandu embalado, com TV …creio num publico de 10.000 pessoas…fora os ”ingressos” que o LOP diz ser ”sobra” de outros jogos..rsrsr….eu pelo menos naum deixo de ir no Antonio Baena ou Leonidas Castro para assistir na TV…qto ao suicidio financeiro, eles, os dirigentes dos clubes gostam pois devem ”faturar” algo…em tempo : ano eleitoral é phoda Gerson…

    3. Caro Cláudio,

      Concordo contigo em gênero, número e “degrau”, como diz o outro… Mas o que mais me impressiona é que os dirigentes dão a entender que assinam contratos sem lê-los! É incrível!!!

  11. Agora concordo como Claudio. Com
    um time bom, e preço acessível a televisão não tira renda. Eles pensam que sempre vão enganar. Gostei da governadora. Não aceita sai. Eu já disse que sócio-torcedor tem que ter independência dos dirigentes, pois vão ser enganados sempre.

  12. Gerson, a tua opinião tem um pouco de fundamento. Agora aquele torcedor que esta doente ou impossibilitado de ir ao estádio fvai icar sem ver seu time? Os torcedores que vão aos estádios, continuarão indo, pois é a sua preferência. Mas cobrando esse valor, só vai a metade. Foi o que aconteceu. É preciso entender que a maioria de torcedores de estádio é aquele que tem pouca renda, temina ficando frustado. E acho que o governo vê por esse ângulo.

    1. Caro Luiz, acho que o torcedor paraense sempre foi de ir a estádio, aliás como poucos no Brasil. Sempre foi uma característica nossa, ter torcidas presentes, que não se conformam em torcer ouvindo rádio. Agora, com TV passando ao vivo jogos noturnos para a própria praça, não há paixão que sobreviva. E o contrato é de cinco anos! Vamos continuar a ter torcedores inflamados, mas estádios cada vez mais vazios. É contra essa incongruência que me posiciono, mas o problema não é do governo – que busca visibilidade, acima de tudo -, mas dos dirigentes, que pensaram exclusivamente na grana e só com o tempo irão perceber que estão matando a galinha dos ovos de ouro.

  13. Gerson, eu falo em causa própria. Eu não tenho com quem ir, já sou sex (sexagenário). Já pensou enfrentar aquelas situações diversas que nos deixam cabreiro: bomba, bandeiras na tua cara, urina na cabeça, preço exorbitante… e o ônibus de volta? A televisão deve cobrar patrocínios que cubram tais despesas. E ainda mais,é que você vai sabendo que 30% da renda não entra na contabilidade do clube, às vezes até mais. Agora se você me apresentar um time de qualidade, com certeza terei companheiro para ir ao estádio e tudo se modifica. Os dirigentes menosprezam a nossa inteligência.

Deixe uma resposta