África do Sul volta ao normal e ignora finalíssima

Imagens da região central de Johanesburgo, no começo da tarde desta sexta-feira. Movimento normal nas ruas, vida de sempre, povo apressado para ir aos bancos ou às compras. Nem parece antevéspera de finalíssima da Copa do Mundo, ali pertinho, no Soccer City. De vez em quando, aparece uma camisa de Espanha ou Holanda, mas nas mãos dos camelôs que tentam queimar o estoque antes que o Mundial acabe. Nos prédios públicos, funcionários usam a camisa dos Bafana-Bafana, que havia sumido de circulação depois da eliminação na primeira fase. A sensação, porém, é de que usam por obrigação, mas não estão muito ligados na decisão de domingo.

Definitivamente, a África do Sul não será a mesma depois da Copa, em função dos melhoramentos – pontes, estradas, viadutos, estádios -, mas seu povo continuará tão distante do futebol como antes. O rúgbi e o críquete seguem dominando as atenções e os interesses dos filhos de Mandela.

Um comentário em “África do Sul volta ao normal e ignora finalíssima

  1. A África do Sul não vai ser a mesma realmente. só não esqueçamos que além dos viadutos vão ficar também vários elefantes brancos que vão exigir uma fortuna em manutenção todos os meses bem como uma divída pública gigantesca, que a população vai passar décadas pagando.
    Aquilo que a FIFA chupa cabra deixa pra traz.

Deixe uma resposta