Uma derrota difícil de assimilar

A repercussão da dramática derrota de Gana continua forte entre os sul-africanos, que depositavam esperanças num bom papel da equipe de Asamoah Gyan. Não contavam com a fibra uruguaia, personificada nas defesas que o atacante Suárez fez no último minuto da prorrogação, cometendo um pênalti para evitar a derrota. Gyan, em seguida, desperdiçaria a chance da vitória, batendo forte no travessão. O título de um jornal de Johanesburgo, “A mão do demônio”, dá bem a medida do impacto que o desfecho do jogo causou sobre todos os africanos.

3 comentários em “Uma derrota difícil de assimilar

  1. O que deixa a marca do desgosto é a maneira como tudo aconteceu. No caso do Brasil, perdermos sabendo que somos mais time. Os argentinos levaram de 4 sem contestação, logo justiça feita. O Paraguai era eficiente na defesa e tinha conciencia que chegar a final seria um aborto.

  2. Diogo Papão - Campeão da Década (9 títulos entre 2001 e 2010). Clube que deus as maiores glórias para o Pará disse:

    A mão do demônio nada, foi o pé do capeta, afinal, foi o Gyan que jogou no travessão a chance de Gana ir às semi.

    Ora bolas!

  3. acho que faltou um pouquinho de rupinol pra seleção rsrsrsrsr

Deixe uma resposta