4 comentários em “O lado mais charmoso da Copa (3)

  1. Bom, muito se falou, muito se especulou, e, finalmente, chegou a hora de fazer o balanço geral da atuação da seleção…. e é aí que mora o erro! Não basta dizer que faltou isso ou faltou aquilo, temos um legado deixado por dunga, e esse legado tem lados bons e ruins, como qualquer outra coisa na vida!

    Vamos falar do lado bom:
    1 – realmente, as reclamações da copa de 2006 não tem mais lugar, o discurso era esse, e o cara foi lá e cumpriu, talvez um pouco ferrenho demais, mas cumpriu! Comprometimento à toda prova e não existe um brasileiro ponderando sobre vontade, suor, amor à camisa! E de quebra, a impressão agora é de que pra vc ser um jogador de seleção, você além de bom de bola tem que ser sério, responsável e de preferência não alopre nas baladas e outras coisinhas um tanto escusas.
    2- fim dos privilégios globais. Dunga trata a todos da mesma forma (grosseira, diga-se).
    3- fim das convocações de empresários, mesmo as dos afonsos alves da vida foram feitas com base em alguma coisa que não a grana.
    4 – Dunga descobriu Ramirez e Felipe Melo (o cara é bom de bola), podem estar na spróximas convocações tranquilamente.

    É um bom legado, né?

    Vamos falar de coisas ruins:
    1- Futebol de resultado, contraditórios à nossa tradição, nossa cultura. Não é assim que vemos o futebol e não por esse futebol que somos sinônimo de futebol-arte. Isso é grave e não deveria ser nem pauta de discussão. Brasil = futebol pra frente. É patrimônio nacional e não pode ficar a bel-prazer de treinador nenhum!
    2- Futebol não é guerra, não se pratica no quartel e patriotismo tem muito pouco haver com torcer pela seleção. Você é mais patriota se não jogar lixo na rua do que se você se esgolear durante 30 dias a cada 4 anos pela seleção de futebol.
    3- Independentemente, dos traumas do dunga, ele não tem o direito de ser cruel, arrogante e mal-humorado com a imprensa, por que é através da TV que a “pátria de chuteiras chega aos lares dos brasileiros, que não merecem ouvir as grosserias de quem quer que seja. Lembre-se, “você tem direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel”!
    4- A convicação foi errada, não tem como não admitir. Nem ele mesmo (dunga) confiou nos pobres Kleberson, Grafite e Júlio Batista. Passou aperto, olhou pra banco e não tinha opções. Trocou qualidade por comprometimento, e muito já se ouviu a seguinte frase:”é mais fácil fazer um craque se esforçar, do que um esforçado ser craque”, pois bem ela é verdadeira! Um daqueles reclamados poderiam dar um alento.
    5- É teimoso, mas que treinador não é? Sério, me aponta um treinador que não seja teimoso e tenha um jogador no time que só ele entende o motivo!

    São coisas boas e coisas ruins, Dunga como qualquer ser humano tem defeitos e qualidades, tem contradições e dúvidas. É um pouco, arrogante demais, pra assumi-las, mas tem tempo, qualidade, e sobretudo coragem e vontade.

    Quanto ao jogo, futebol é assim mesmo. Times equivalentes, um tempo de cada, mas a holanda fez dois gols e o brasil, um! Poderia ser diferente, mas não foi. Futebol não é matemática. E,
    não ganha o melhor, é o único esporte que não ganha o melhor!

    Por último, tem um erro que não podemos cometer de novo: achar que só a última copa vale de lição. Acho que os erros que 2006 não podem ser repetidos, assim como os de 2010. Vamos aprender com os dois erros. Nossa memória é muito curta!

    Exercício de advinhação:

    Julio Cesar (Vitor), Maicon, Luisão, Thiago Silva e Marcelo; Lucas (Denilson), Arouca (Wesley), Ramirez (Hernanes)e Ganso (Diego); Neymar (Nilmar) e Pato (André).

    Obrigado Dunga.
    Porra Dunga.
    Boa sorte Dunga.

  2. Eu já parto para um balanço até aqui da copa do que mais é atraente, a galeria feminina. Permanecem para empolgar os eliminados a mais fortes seleções de beleza e que se destacaram até aqui, embora outras agora ausentes, tenham dado brilho a copa. As Holandesas e Alemães não poderiam ficar fora da semifinais e são fortes canditadas a decidir o títulos de deusas no dia 11.

  3. Quem define as atribuições deve separar, por exemplo os limites do treinador sobre os conhecimentos do Médico, do Psicólogo, Fisicultor, etc. O Treinador dispensou o psicólogo? foi por ai que entrou a psicologia holandesa ao dizer, pelo seu maior ídolo que a seleção brasileira não era formada pelos nossos melhores jogadores minando a auto confiança dos nossos . O resto foi feito erm campo pelo comportamento frio e determinado dos holandeses em contraponto com o desequilibrio do time do Brasil, no segunto tempo.

Deixe uma resposta