CBF demite Dunga e toda a comissão técnica

Aconteceu o que já se esperava. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) demitiu na tarde deste domingo o técnico Dunga e toda a comissão técnica da Seleção. A decisão acontece apenas dois dias adepois da eliminação do Brasil nas quartas de final da Copa. A delegação desembarcou na madrugada deste domingo no país. No comunicado, a CBF informa ainda que a nova comissão será anunciada até o final deste mês de julho. Assim, deve estar apta a participar do primeiro compromisso do Brasil no semestre, um amistoso contra os Estados Unidos, em agosto. Ao chegar em Porto Alegre na tarde deste domingo, o técnico Dunga admitiu que ainda iria conversar com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, para saber o que a entidade decidiria sobre o futuro da Seleção. Jorginho, auxiliar técnico, chegou a dizer no Rio que estava à disposição da entidade “para dar continuidade ao bom trabalho realizado”. Juntos, Dunga e seu auxiliar venceram a Copa América e a Copa das Confederações, conquistaram a medalha de bronze nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, e deixaram a Copa do Mundo nas quartas de final.

Dois dias depois da derrota para a Holanda, Dunga ainda busca explicações para o fracasso da Seleção na Copa. Na chegada a Porto Alegre na manhã deste domingo, ele reforçou toda a frustração pelo fracasso na África do Sul. “Chego com a sensação de que um pedaço ficou na África”, lastimou. “As coisas corriam bem em nosso trabalho. Mas é futebol. Fizemos um grande primeiro tempo contra a Holanda e a nossa queda aconteceu nas bolas paradas”, emendou. Ao contrário da recepção a Felipe Melo e Jorginho no Rio, Dunga recebeu aplausos de fãs ao atender a imprensa na área externa do aeroporto Salgado Filho. Ele destacou o apoio recebido pela seleção nos últimos anos. “A população viu o nosso trabalho, sempre quisemos resgatar o amor pela seleção, um time trabalhador. Tivemos que ser mais duros em algumas oportunidades, proteger os jogadores”, aparentemente se desculpando pelo clima hostil que ele próprio criou em torno da equipe. (Com informações do site da CBF, UOL e ESPN)

19 comentários em “CBF demite Dunga e toda a comissão técnica

  1. Lembra o Sinomar, ganhou quase todas, mas quando perdeu de 4 levou um bico no trazeiro. Neste caso a medida foi providencial.

    1. esse rapaz não esquece o Leão, pq será ?

  2. …Jorginho, auxiliar técnico, chegou a dizer no Rio que estava à disposição da entidade “para dar continuidade ao bom trabalho realizado”.

    Que bom trabalho? Esse Jorginho é um imbecil, bom trabalho seria se tivesse ganho a copa ou pelo meno ter ido mais longe.

  3. Engraçado.. se não tragico.. a CBF demite e tenta se livrar de sua grande responsabilidade como má gestora de nosso futebol.Senhor Ricardo Teixeira, faça uma carta renuncia a nação Brasileira, faça um gesto nobre : SAIA JÁ!

  4. Bom, muito se falou, muito se especulou, e, finalmente, chegou a hora de fazer o balanço geral da atuação da seleção…. e é aí que mora o erro! Não basta dizer que faltou isso ou faltou aquilo, temos um legado deixado por dunga, e esse legado tem lados bons e ruins, como qualquer outra coisa na vida!

    Vamos falar do lado bom:
    1 – realmente, as reclamações da copa de 2006 não tem mais lugar, o discurso era esse, e o cara foi lá e cumpriu, talvez um pouco ferrenho demais, mas cumpriu! Comprometimento à toda prova e não existe um brasileiro ponderando sobre vontade, suor, amor à camisa! E de quebra, a impressão agora é de que pra vc ser um jogador de seleção, você além de bom de bola tem que ser sério, responsável e de preferência não alopre nas baladas e outras coisinhas um tanto escusas.
    2- fim dos privilégios globais. Dunga trata a todos da mesma forma (grosseira, diga-se).
    3- fim das convocações de empresários, mesmo as dos afonsos alves da vida foram feitas com base em alguma coisa que não a grana.
    4 – Dunga descobriu Ramirez e Felipe Melo (o cara é bom de bola), podem estar na spróximas convocações tranquilamente.

    É um bom legado, né?

    Vamos falar de coisas ruins:
    1- Futebol de resultado, contraditórios à nossa tradição, nossa cultura. Não é assim que vemos o futebol e não por esse futebol que somos sinônimo de futebol-arte. Isso é grave e não deveria ser nem pauta de discussão. Brasil = futebol pra frente. É patrimônio nacional e não pode ficar a bel-prazer de treinador nenhum!
    2- Futebol não é guerra, não se pratica no quartel e patriotismo tem muito pouco haver com torcer pela seleção. Você é mais patriota se não jogar lixo na rua do que se você se esgolear durante 30 dias a cada 4 anos pela seleção de futebol.
    3- Independentemente, dos traumas do dunga, ele não tem o direito de ser cruel, arrogante e mal-humorado com a imprensa, por que é através da TV que a “pátria de chuteiras chega aos lares dos brasileiros, que não merecem ouvir as grosserias de quem quer que seja. Lembre-se, “você tem direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel”!
    4- A convicação foi errada, não tem como não admitir. Nem ele mesmo (dunga) confiou nos pobres Kleberson, Grafite e Júlio Batista. Passou aperto, olhou pra banco e não tinha opções. Trocou qualidade por comprometimento, e muito já se ouviu a seguinte frase:”é mais fácil fazer um craque se esforçar, do que um esforçado ser craque”, pois bem ela é verdadeira! Um daqueles reclamados poderiam dar um alento.
    5- É teimoso, mas que treinador não é? Sério, me aponta um treinador que não seja teimoso e tenha um jogador no time que só ele entende o motivo!

    São coisas boas e coisas ruins, Dunga como qualquer ser humano tem defeitos e qualidades, tem contradições e dúvidas. É um pouco, arrogante demais, pra assumi-las, mas tem tempo, qualidade, e sobretudo coragem e vontade.

    Quanto ao jogo, futebol é assim mesmo. Times equivalentes, um tempo de cada, mas a holanda fez dois gols e o brasil, um! Poderia ser diferente, mas não foi. Futebol não é matemática. E,
    não ganha o melhor, é o único esporte que não ganha o melhor!

    Por último, tem um erro que não podemos cometer de novo: achar que só a última copa vale de lição. Acho que os erros que 2006 não podem ser repetidos, assim como os de 2010. Vamos aprender com os dois erros. Nossa memória é muito curta!

    Exercício de advinhação:

    Julio Cesar (Vitor), Maicon, Luisão, Thiago Silva e Marcelo; Lucas (Denilson), Arouca (Wesley), Ramirez (Hernanes)e Ganso (Diego); Neymar (Nilmar) e Pato (André).

    Obrigado Dunga.
    Porra Dunga.
    Boa sorte Dunga.

  5. Enfim, livres do Dunga – espero que para sempre. Porém, trocar Dunga por Felipão ou Luxemburgo ou Mano Meneses ou Parreira ou Zagallo ou Murici ou Leão ou Celso Roth ou etc… é trocar seis por meia dúzia. Se for algum destes medalhões o escolhido vou torcer contra a seleção brasileira e quero que ocorra um novo “maracanasso” em 2014.
    Vamos deixar de ser medíocres e só fazermos o óbvio. A CBF tem que tirar o poder absoluto do treinador – se é que isso não serve de exemplo para ela também perder o seu.
    O treinador tem que fazer parte de um colegiado que definirá as macros estratégias e esquemas táticos da seleção, bem como será integralmente responsável pelas convocações. O treinador dirigirá a equipe no campo dentro dos principios definidos e representará apenas um voto no colegiado – se submeterá a maioria.
    Este colegiado deve ser composto por notórios conhecedores de futebol e formado no máximo por cinco ou sete membros – é importante que seja um número ímpar para não dar empate nas decisões.
    Como sugestão, este colegiado poderia ser formado por Tostão (representando os mineiors), Zico (os cariocas), os jornalistas Alberto Helena (os paulistas) e Rui Osterman (os gaúchos), mais participação do técnico profissional que pode ser qualquer um destes da ativa. Minha preferência é Dorival Júnior, apesar dele ter queimado o Kerlon no Cruzeiro em nome de um time competitivo – um time de resultados – que se não me falha a memória só ganhou um campeonato mineiro que, como o gaúcho, praticamente só tem dois candidatos ao título, com raras exceções.

  6. Caro Gerson, lembra do Ronaldo Fenômeno grogue ou foi dopado ? contra França. Agora nos vemDr, Runco dizer o que já sabíamos – que Julio Cesar, Kaká e Luis Fabiano não estavam 100 por cento. Não houve aí um contra-senso do Dunga ? Pelo menos no que concerne ao Luis Fabiano que até hoje ñ entrou em campo contra a Holanda, tendo Grafite no banco. Há que se mudar tambem essa burra insistencia geral de nossos técnicos em não realizarem substituições por deficiencia técnica no primeiro tampo.De resto, era quase consenso nacional, que nossa seleção não iria muito longe. Em 05.07.10, Marabá-PA.

  7. se o dunga tivesse levado ganso gaucho neymar e tivesse perdido os mesmos que defendiam a convacaçoes dos mesmos estariam agora dizendo que o dunga tinha que ter lavando os jogadores que vinham vencendo com ele iam dizer que o gaucho nunca rendeu o espersdo na seleçao e que os outros eram inexperientes e nao aguentaram a pressao ou seja se correr o bicho pega se parar o bicho come futebol no brasil e isso mesmo

  8. Eu acho que no final das contas, foi bom o nosso Ganso, não ter ido.Poderia ter se queimado junto com o Felipe melo.
    Outra coisa, Gerson, por que um estrangeiro não pode ser técnico do Brasil? Tipo aquele sueco da Costa do Marfim, Stevem Gorannsenn, parece que é este o nome, ou o halandes Guss Hind, que é bom tbm, por que só brasileiro?

  9. Nas copas que o Brasil ganhou, em nehuma foi campeão das confederações e nem copa América, seguidamemente. Portanto não é parâmetro para a indicação de um técnico. Dunga apenas está obedecendo ordens de Ricardo Teixeira. O Brasil perdeu porque não tinha como mudar o seu esquema de jogo. Era só aquele. Um treinador que age assim é burro ou Pau mandado. Este é o preço que pagaremos pela copa de 2014. Assim foi em 98, para vencermos em 2002.Quem aposta?

Deixe uma resposta