4 comentários em “Capa do Bola, edição de sábado, 3

  1. ESSE GAROTO aí é ainda muito inocente. Pelo menos é um garoto, a quem a inocência é uma virtude. Para velhos, porém, a inocência é razão de vergonha. Para outros, não há inocência e sim conveniências.
    Não culpemos Dunga, J. César, F. Melo, ‘Fabuloso’, etc. O verdadeiro culpado não aparece, não costuma dar entrevistas. Impôs goela a baixo um arremedo de treinador,que a grande mídia, por conveniência mercadológica, engoliu. Enquanto isso, ele se perpetua no cargo dessa grande e milionária empresa privada que se chama CBF. Em vão, porém, o nosso protesto porquanto seus eternos eleitores (por inocência? Claro que não!) continuarão a elegê-lo.
    Enquanto isso, garoto, continua a chorar. Eu sofri pela última vez em 1982, a última copa romântica (pelo menos eu era).

  2. Nessas horas a leitura de Modernidade e Holocauto (de Zygmunt Bauman) faz todo sentido. Especialmente considerando os comentários do Valentim

  3. Vai chegar um dia em que garotos assim não vão mais chorar, pois eles saberão que a coisa não é como deveria ser. Enquanto houver FIFA e CBF as coisas são programadas antes. E aí não haverá mais choro nem torcida, lamentavelmente. É uma máfia internacional sem fim.

Deixe uma resposta