Viagem longa e interessante até Durban

Amigos do blog, um pedido de desculpas pelas várias horas sem atualizações e a explicação devida na forma de uma pequena reportagem ilustrada. Tivemos que sair muito cedo de Johanesburgo com destino a Durban, que fica a 588 quilômetros de distância. Equipe formada (Valmir Rodrigues, Giuseppe Tomaso, Walmir Jorge/Rádio Paiquerê e eu), decidimos deixar nosso hotel por volta de 7h (2h aí de Belém), mas acabamos encarando um forte nevoeiro, por mais de 200 quilômetros. Na rota, alguns sustos diante da visão de acidentes feios entre caminhões, com vítimas fatais na estrada.

Aos poucos, a neblina foi se dissipando e conseguimos pegar estrada boa, com céu aberto (sem azul, como é próprio dessa época do ano por aqui) e paisagens deslumbrantes, que o visitante não imagina existir na África. A todo instante, um novo detalhe chamava atenção de todos. Montanhas belíssimas, formações naturais e vales imensos, tendo sempre como pano de fundo a savana a perder de vista. Viagem facilitada pelas excelentes condições da pista, que permitem a Tomaso desenvolver até 190 km/h (não há limite de velocidade nas auto-estradas) para tentar compensar o tempo perdido (cerca de 1h30) sob a neblina.

À altura da metade do trajeto, paramos num posto para reabastecer e deparamos com três camelos, pastando num cercadinho, para observação de visitantes curiosos, mas com uma tabuleta avisando para manter cuidadosa distância de 3 metros. Na manhã desta quinta-feira, quase todos os carros ali eram de brasileiros e portugueses, que se dirigiam a Durban para ver o jogo do Brasil. No melhor estilo turista oriental, mais fotos para mostrar em casa.

A paisagem, que normalmente se imagina árida, é rica em vegetação. À margem da estrada, cidades belíssimas, gente risonha e franca, bares exóticos, como se vê nos filmes “Paris, Texas” e “Bagdá Café”. Avançamos cada vez mais e, já pertinho de Durban, os primeiros sinais de uma subsede da Copa, com direito a bandeiras das seleções participantes e uma imensa bola junto à estrada.

Seis horas depois de deixar o tranquilo Booysens, em Joburg, adentramos finalmente a moderna e acolhedora Durban. Cidade de 3 milhões de habitantes, com imensos viadutos e auto-estradas, fica à beira do oceano. O estádio Moses Mabhida (para 70 mil pessoas), de arquitetura imponente, fica à margem de uma imensa lagoa natural. Passamos por lá antes de procurarmos nosso hotel, Petit Provence, junto à praia, no distrito de Ballito. Daqui a pouco, mais informes sobre essa viagem em torno da Seleção Brasileira.

Um comentário em “Viagem longa e interessante até Durban

  1. É aquilo que falei, através do Blog do Gerson, estamos muito bem informados em tudo que está acontecendo na copa e, de quebra, ainda conhecemos um pouco mais da África. As fotos são muito boas, parabéns.

Deixe uma resposta