Seleção francesa mergulha na crise

A balbúrdia parece não ter fim na seleção francesa. Os jogadores se recusaram a entrar em campo para o treinamento aberto determinado pela Fifa: tudo por causa da expulsão do atacante Nicolas Anelka da delegação, explicaram em carta divulgada neste domingo. Cerca de 200 pessoas esperavam para assistir. Tudo começou com uma discussão entre o capitão Patrice Evra e o preparador físico Robert Duverne. Suspeita-se que a causa da briga tenha a ver com a declaração do lateral esquerdo, quando ele defendeu Anelka e disse que o problema era que havia um “traidor” na delegação. O treino ia começar quando uma calorosa discussão começou no centro de campo entre ambos. O técnico francês, Raymond Domenech, teve que intervir e separá-los.

Os jogadores então saíram e caminharam para o ônibus, um dia após o atacante Anelka ter sido cortado da delegação por ter insultado Domenech no intervalo da derrota de 2 a 0 para ao México na quinta-feira. “Todos os jogadores do elenco francês, sem exceção, gostariam de afirmar sua oposição à decisão tomada pela Federação Francesa de Futebol de excluir Nicolas Anelka”, diz o comunicado. Para completar o ambiente conturbado na seleção francesa, o diretor da federação de futebol Jean-Louis Valentin deixou o cargo depois do incidente entre Evra e o preparador físico.

2 comentários em “Seleção francesa mergulha na crise

  1. Não fosse a França e o noticiário da Copa estaria frasqueiro. Dá gosto “cobrir” a seleção francesa, tem assunto prá tudo, começa pela organização e termina pelo talento da equipe. Assim é que bom trabalhar, sem capitao do mato para atrapalhar..

Deixe uma resposta